close
Opinião

Pode rezar, Sr. Justus.

Não é de hoje, que a gente discute quanto à ascenção da chamada classe média brasileira nos últimos anos.

O crescimeno da economia brasileira fez com que muitos brasileiros passassem a ter um maior poder de compra.

O setor que mais ganhou com essa ascenção, sem dúvida nenhuma é o do varejo.

Só para se ter uma idéia, a chamada classe C, possui algo em torno de 30% do potencial do consumo do país e quando se analisa somente o setor varejista, essa porcentagem chega a 33%.

Não é a toa que esse mercado no Brasil vem crescendo absurdamente nos últimos anos, o que anda atraindo olhares dos investidores estrangeiros, em nosso país.

Na última semana, fomos surpreendidos com a notícia de que o Grupo Pão de Açucar, de Abilo Diniz teria adquirido as Casas Bahia, de Samuel Klein.

Um notícia bombástica e que sacudiu o mercado. Juntas, somarão mais de 1.100 lojas em 17 estados brasileiros.

Como disse o JJ em seu blog hoje pela manhã, também não consigo entender como uma empresa que fatura R$ 7 Bi por ano pode comprar uma outra empresa que fatura R$ 14 Bi. Mas tudo bem, a questão aqui não é essa.

Quando li a notícia, uma das primeiras coisas que me veio a cabeça, foi quanto a conta publicitária do maior anunciante do país: as Casas Bahia.

Sou publicitário, pow. É nisso que me ligo.

Atualmente, a conta pertence à Y&R, o que faz da agência, a líder em compra de mídia no Brasil.

Acontece que o Grupo Pão de Açúcar possui sua própria agência, a  house PA Publicidade, que atende as contas de grande parte das empresas do grupo.

Será então, que a Casas Bahia, deixaria a Y&R?

Comecei então a varrer a net, atrás de declarações do Presidente da Y&R, o publicitário Roberto Justus. Pensei: “Não é possível que ale ainda não tenha se manifestado”.

Em pouco tempo, encontrei no Blog do Adonis, uma reportagem que falava sobre o assunto.

Segundo a reportagem, Justus disse que não iria se manifestar, mas que o negócio não era uma “compra” e que o marketing deve continuar como está.

Será mesmo que com uma house no grupo, Abilio Diniz vai aceitar pagar comissão para alguma agência?

Eu duvido.

Pode rezar, Sr. Justus.

 

 

Tags : abilio dinizadonisagênciablogbrasilcasas bahiaclasse econômicacomissãoconta publicitáriafusaogrupo pão de açucarmercadomídiapa publicidadepropagandapublicidaderoberto justussamuel kleinsetor varejista
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook