close

facebook

Publicidade

Prêmio Amigos do Mercado 2020: saiba como votar

Vote nos seus candidatos preferidos das 15 categorias ao Prêmio mais amigável do mercado publicitário.

Começou na madrugada desta segunda-feira a votação para a quarta edição do Prêmio Amigos do Mercado. E os candidatos já deram início às suas campanhas nas redes sociais pedindo seus votos. Das mais criativas maneiras, com utilização de memes e apelos dos mais diversos e inusitados tipos, os candidatos esperam os votos dos amigos do mercado que podem ser computados até o dia 25 de novembro às 23h59, não mais do que isso!

A premiação – que reúne 150 finalistas em 15 categorias dos mais diferentes segmentos da área da publicidade – já tem data marcada e acontecerá no dia 03 de dezembro.

 

SAIBA COMO VOTAR

A votação acontece exclusivamente dentro do grupo Amigos do Mercado, no Facebook, somente para membros. Para se tornar um participante, é necessário ser um profissional ou estudante da área de publicidade, propaganda, marketing ou área correlata. Se você ainda não faz parte do grupo Amigos do Mercado, basta solicitar a participação, responder algumas perguntas e, após a validação da moderação, buscar a enquete da categoria desejada e votar no(s) candidato(s) desejado(s). Sim, é possível votar em mais de um candidato por categoria.

Então não economize no voto. Apoie seu candidato, ajude-o na campanha e fique ligado para ver quem serão os vencedores da quarta edição do Prêmio mais amigável do mercado publicitário.

 

SOBRE O AMIGOS DO MERCADO

Grupo que reúne mais de três mil usuários em grupos de WhatsApp segmentados por região e área de atuação; mais de 33 mil membros no grupo fechado do Facebook e mais de dois mil seguidores no Instagram, o Amigos do Mercado tem por objetivo tornar o mercado publicitário mais amigável. Surgiu em 2015 e, desde então, permite que os membros, através dos canais mencionados, troquem contatos, vagas de emprego, currículos e notícias do mercado publicitário. Além disto, realiza uma série semanal de lives com profissionais de agências, veículos e anunciantes para falarem sobre a área e mudanças que ocorreram em decorrência do período pandêmico.

 

Leia Mais
Digital

WhatsApp lança discretamente ferramenta para compartilhar status no Facebook

O lançamento faz do plano do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, de criar um aplicativo unificado que combina WhatsApp, Facebook e Instagram para permitir que mais de 2,6 bilhões de usuários se comuniquem entre os aplicativos até 2020

Aplicativo de mensagens instantâneas de propriedade do Facebook, o WhatsApp começou a implantar um recurso para os usuários do Android permitirem que eles compartilhem suas histórias de status diretamente no Facebook Story e outros aplicativos.

Assim como o Instagram , o status do WhatsApp Stories permite que os usuários publiquem imagens, textos e vídeos em seu perfil que desaparecem após 24 horas.

O WhatsApp ainda não fez um anúncio oficial, mas vários usuários relataram isso no Twitter .

“Então o WhatsApp tem um novo recurso, você pode compartilhar sua história no WhatsApp para o Facebook. Para mim, isso é bastante interessante, um modo centralizado de comunicação com várias plataformas”, publicou um usuário.

 

Leia Mais
Digital

Chegou nossa vez! Instagram e Facebook liberam função música no Brasil.

Você já deve ter visto alguma pessoa fora do país adicionando stories com música a qual não adiantava aumentar o volume, você nunca conseguiu ouvir. O Facebook lançou há quase um ano a opção de inserir músicas aos stories, mas o lançamento ficou apenas em alguns países e ficamos apenas com a vontade de ter a tão esperada opção.

Mas a espera acabou e hoje o Facebook e Instagram lançam oficialmente para os brasileiros a possibilidade de se expressar usando a música!

Conheça as novidades lançadas:

Música nos Stories:

Opção para adicionar músicas às fotos e vídeos em seus Stories. Basta abrir a câmera no Instagram ou Facebook, ou mesmo selecionar uma foto ou vídeo da sua galeria, tocar no ícone de adesivos e adicionar o adesivo de música.

Lip Sync Live

O Lip Sync Live é uma novidade não conhecida mas que permite que você faça dublagens ao vivo pelo Facebook. Com o Lip Sync Live, as pessoas podem se expressar a partir de uma variedade de gêneros e artistas.

Músicas no seu Perfil do Facebook

É apaixonado por música? Agora você também vai poder adicionar faixas a uma nova seção dedicada a músicas no seu Perfil do Facebook.

Gostou da novidade? Fala pra gente!

 

Referência: https://br.newsroom.fb.com/news/2019/06/instagram-e-facebook-trazem-musica-para-stories-no-brasil/

Leia Mais
Digital

Seria esse o fim do Facebook?

Depois das diversas acusações que recaíram sobre o Facebook nas últimas semanas, um anúncio all type toma conta dos principais jornais do mundo; e hoje o maior objetivo da empresa é resgatar a credibilidade na segurança dos dados e manter os seus investidores. coque iphone 7 Uma reportagem recente apontou o vazamento de dados de mais de 50 milhões de usuários pela Cambridge Analytics, e o uso deles como parte da estratégia de segmentação de anúncios na campanha presidencial de Donald Trump, coque iphone xs max em 2016, coque iphone tem ameaçado expostamente a credibilidade da rede quanto à segurança de dados. O reflexo imediato sobre essa divulgação, feita na terça feira, 19, coque iphone 6 e ainda em investigação, já aponta uma queda de aproximadamente 10% nas ações do Facebook, ficando em torno de US$ 60 milhões. acheter coque iphone en ligne Uma análise do quadro financeiro do Facebook realizado por Colin Sebastian, analista financeiro, afirma que a maior dificuldade que o Facebook enfrenta é a perda de investimento das grandes marcas em sua plataforma na compra de mídia e no relacionamento com os consumidores. Para reverter a ideia de falta de proteção com os dados, coque iphone en ligne o Facebook estampou nesse domingo, 25, uma página inteira dos mais prestigiados jornais dos Estados Unidos e do Reino Unido, incluindo The Washington Post, The New York Times, The Wall Street Journal, coque iphone pas cher The Observer, Sunday Mirror entre outros a seguinte mensagem: “Somos responsáveis por proteger suas informações. Se nós não podemos, não a merecemos.” O anúncio em all type com a assinatura de Mark Zuckerberg admite o vazamento dos dados e esclarece que já foram tomadas as medidas cabíveis para que o fato não venha mais a acontecer.

Leia Mais
Marketing

PUBLICITÁRIOS USAM GRUPO NO FACEBOOK PARA DIVULGAR VAGAS E PROMOVER ENCONTROS

Se você não conhece o grupo AMIGOS DO MERCADO, é bem provável que algum amigo já conheça. Aliás, muitos já devem estar por lá. coque iphone x Funciona como um megafone do mercado publicitário, pois são quase 20 mil membros no Facebook e por lá rolam mais de 1000 publicações por mês. coque iphone 8 Tudo começou pela iniciativa de três publicitários: Marcos Braga, Delen Bueno e Murilo Oliveira. A ideia de criar o grupo no Facebook nasceu em um grupo de Whatsapp e até evento próprio eles já promoveram, como o Prêmio Amigos do Mercado, que aconteceu no final do ano passado. A festa de premiação teve o patrocínio do CreativosBr. coque iphone 7 O principal ponto de contato é um grupo fechado no Facebook. coque iphone 6 Os organizadores contam que o propósito deles é tornar o mercado publicitário mais amigável, criando um espaço democrático de convivência (virtual e real), com profissionais de veículos, agências de publicidade, anunciantes e estudantes. coque iphone 2019 Por lá rolam vagas de empregos, notícias, troca de contatos e discussões sobre assuntos ligados à publicidade. soldes coque iphone Sem falar que é tudo de graça, vale a pena conhecer! Agora mais dois profissionais juntam-se ao time que busca organizar, nas horas vagas, as ações do grupo. coque iphone xr Filipe Crespo, diretor de mídia e professor, será o responsável pela integração e maior envolvimento com o meio acadêmico; e Luciano Ottaviani, consultor de marketing, será o responsável pela relação com empresas que buscam parcerias ou patrocínios. Com a contribuição dos mais novos profissionais responsáveis no grupo, é esperado que se propague cada vez mais vagas, que seja promovida mais ações de marketing e troca de informações, cumprindo o papel proposto do grupo e fazendo cada vez mais verdadeiros amigos de mercado.

Leia Mais
Digital

Mídia fragmentada e oportunidades de conversão

Durante o 8º Congresso da Abeb, em São Paulo, Gad Alon – diretor de parcerias em métricas do Facebook – apresentou dados que evidenciam a fragmentação da audiência. coque iphone xr De acordo com este dados, na década de 70, nos Estados Unidos, os 10 programas mais assistidos alcançavam 37% da audiência, e hoje o número chega a 17%. coque iphone Outra diferença é que nesses quase 50 anos os domicílios que tinham em média 8 canis de TV agora contam com mais de 194 opções. Além disso, para consagrar a fragmentação, os telespectadores adicionaram a segunda tela. É cada vez mais difícil atingir o público diante da diversidade de opções de consumo de mídia, contudo Alon afirma que diante deste cenário haverá oportunidades aos profissionais de marketing que investem em plataformas digitais e mídias tradicionais. Para Alon, a concentração do público está dividida entre os modais e isso não significa que as pessoas não estejam prestando atenção aos comerciais. soldes coque iphone “A noção de atenção mudou. acheter coque iphone en ligne Para sermos mais efetivos, é necessário abraçar isso”, diz Alon. Um estudo realizado pelo Facebook sustenta seu discurso. Durante o lançamento de uma série o uso da rede social apontou aumento de 50% durante os intervalos. coque iphone 2019 “Antes, quando pensávamos em cross device e cross channel era sobre complementar alcance, mas não é mais sobre isso. Agora é sobre frequência e estímulo”, afirma Alon. No Facebook deve ser considerado o tempo de visualização com um dos pilares da comunicação. Alon explica que mesmo vídeos que não foram vistos até o fim podem trazer bons resultados para empresas, principalmente porque, nesses casos, eles custam cerca de um quinto do valor ao anunciante.

Leia Mais
Digital

5 passos para analisar uma fake news

Esse ano, o assunto “fake news” ficou mais frequente em nossas mídias sociais, conversas com amigos, portais de notícias e afins. O assunto está em alta, mas não é um tema atual. Em 2016, após a candidatura de Trump nos Estados Unidos, os boatos de fakes news e sua influência direta na política começaram a circular, e a cobrança por respostas de Mark Zuckerberg também. coque iphone 7 Devido às eleições de 2018, tanto nos EUA como no Brasil (país que possui o segundo maior número de usuários no Facebook), as cobranças por esclarecimentos e formas de diminuir as fake news aumentaram e o criador do Facebook tem sido colocado contra a parede. coque iphone 2019 No Brasil, cerca de 12 milhões de pessoas difundem notícias falsas sobre política, segundo o Gpopai (Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas) da USP. Essas informações falsas têm 70% mais chances de viralizar que as notícias verdadeiras, alcançando muito mais pessoas (Instituto de Tecnologia de Masachussetts). Enquanto os grandes da tecnologia buscam formas de evitar a disseminação dessas notícias, nós podemos prestar atenção em alguns detalhes e evitar espalhá-las.

  • Analise o site:

Se o site não for conhecido por você, procure pesquisar outras notícias nele e verificar a credibilidade dos dados. coque iphone 7

  • Não leia só o título:

Na internet, obtemos informações o tempo inteiro e, muitas vezes, só consumimos notícias de forma submersa. Mas o título da matéria nem sempre condiz com o que está escrito, portanto, procure ler de forma integral antes de compartilhar com os amigos.

  • De olho na data da publicação:

Muitas vezes compartilhamos notícias que não são falsas, mas antigas, e acabam tendo uma abordagem muito negativa e fora do contexto.

  • Investigue o autor:

Prestar atenção em quem escreveu o texto é de extrema importância, pois se é alguém que você já leu ou ouviu falar, ajuda na credibilidade do texto a ter responsabilidade de passar aquela informação. coque iphone 2019

  • Erros ortográficos e adjetivos:

Boas reportagens têm cuidado em manter um bom vocabulário, presando o uso correto das normas gramaticais. coque iphone Muitas matérias repassadas no WhatsApp tendem a ter muitos erros, além do uso exacerbado de adjetivos para sensacionalizar o que está escrito. O mundo das mídias sociais é completamente novo para nós, e ainda estamos aprendendo a observar os seus efeitos perante a sociedade. Mas precisamos buscar aprender e nos educar, para disseminar boas práticas a fim de que não gere malefícios na sociedade.

Leia Mais
Mídia

Agências de Mídia querem cobrar por direitos autorais do Facebook e Google

Nove agências de imprensa européia, incluindo a AFP – uma agência de notícias francesa bastante reconhecida – estão cobrando o Google o Facebook para que lhes paguem direitos autorais pelo uso de noticiais com os quais as duas companhias lucram.

A chamada ocorre quando a UE está debatendo uma diretriz para que o Facebook, o Google, o Twitter e outros grandes jogadores paguem os milhões de artigos de notícias que eles usufruem.

Segundo o jornal Le Monde, o Facebook não se tornou uma das maiores redes sociais do século XXI, mas sim “O Facebook se tornou a maior mídia do mundo”. Isso porque “o Google e o Facebook sequer possuem uma sala de redação do mundo. Eles não têm jornalistas na Síria arriscando suas vidas, nem uma agência no Zimbabue investigando a partida de Mugabe, nem editores para verificar e verificar informações enviadas pelos repórteres no terreno”.

“O acesso a informações gratuitas é supostamente uma das grandes vitórias da internet. Mas é um mito”, argumentaram as agências. Enquanto receitas do Google crescem, anúncios para mídia de notícias caíram 9% na França.” Anos passaram (sem que nada seja feito) e uma penca de notícias gratuitas e confiáveis agora está ameaçada porque a mídia simplesmente não poderá mais pagar por isso”, acrescentaram as agências de notícias.

As tentativas de novidades na França, na Alemanha e na Espanha para forçar os gigantes da internet a pagarem só resultaram em trazer “algumas migalhas simbólicas”, completaram. Alguns membros do Parlamento Europeu estavam preocupados com o fato da proposta de diretiva ameaçar o acesso gratuito às notícias para os utilizadores da Internet.

“Os usuários da internet não seriam tocados … simplesmente aqueles que agora pagam uma parte desproporcional da receita de publicidade teriam que compartilhar uma parte significativa dela com aqueles que realmente produzem a informação sobre a qual o dinheiro é feito”, completou.

O apelo foi assinado pela AFP, a agência alemã DPA, a British Press Press Association, a agência espanhola EFE, a italiana Ansa, a agência sueca TT, Belga da Bélgica, a APA da Áustria e a agência holandesa ANP.

Leia Mais
Digital

Tendência de investimento de mídia digital para 2018

As plataformas digitais seguem ganhando força e conquistando cada vez mais (likes) espaço na vida das pessoas e nas estratégias corporativas. Em matéria do Meio & Mensagem, profissionais compartilharam como enxergam o cenário de investimento publicitário das marcas para os canais digitais em 2018. Vale observar que, de acordo com pesquisa publicada pelo ComScore em 2017, o mobile no Brasil chegou a representar 73% dos minutos “consumidos” na internet.

As mídias sociais são consideradas fundamentais na comunicação de empresas de todos os tamanhos. Com isso, vêm adquirindo maior participação nas verbas e demandando mais inteligência e integração entre agências e anunciantes, principalmente pelo dinamismo intrínseco da ferramenta e agilidade do cenário. Segundo dados da Zenith Optimedia, cerca de 20% do investimento mundial em publicidade se concentram entre Google e Facebook.

Os desafios dos profissionais de digital e mídia estão entre definir plataformas e redes mais adequadas a interagir com o público final e metrificar dados em um contexto que muda a todo tempo. Segundo a matéria do Meio & Mensagem, em tentativa de mapear as redes sociais dominantes em 2018, o Stories do Instagram e o Whatsapp terão maior atenção das marcas.

Para o diretor executivo de criação da Sapient AG2, Paulo Aguiar, o Instagram será a rede do ano por ser consolidada e apresentar crescimento constante. Ele afirma que o Stories é muito mais do que banners e pouco explorado atualmente. Cristina Uehara, supervisora de conteúdo da ID, também vê um cenário positivo para a rede.   Ela crê que as marcas ainda não usaram todo o potencial do Instagram, em especial do stories, para engajamento e relacionamento com o público. Cristina aposta que o Facebook será o destaque do ano por investir no formato de vídeo para ultrapassar o YouTube.

Enquanto isso, Diego de Carli, head de social da W3haus, afirma que apesar de estar ainda fora das estratégias publicitárias, é o WhatsApp que vai bombar: “é o canal mais humano de todos”. Diego alerta que é preciso ter foco e cuidado com a ferramenta. Mateus Braga, diretor executivo de criação da Isobar Brasil, também está atento ao crescimento do WhatsApp, pois segundo ele é a rede que está mais presente no dia a dia das pessoas.

 

Leia Mais
Digital

Instagram Stories e WhatsApp Status chegam a marca de 300 milhões de usuários ativos

As duas ferramentas que surgiram como clones do Snapchat bateram a marca de 300 milhões de usuários, ultrapassando os 173 milhões de usuários da rival.

O Snapchat chegou a uma perda de 443 milhões de dólares, enquanto, no mesmo período do ano passado, Mark Zuckemberg viu o Facebook lucrar mais que o dobro de sua receita, comparado a 2015, com a influência direta dos anúncios no Instagram.

No mês passado, o Facebook lançou um recurso que permite aos usuários compartilhar ‘Instagram Stories’ diretamente para ‘Facebook Stories’. Embora a opção de publicar ‘Storie do Facebook’ para ‘Storie de Instagram’ ainda não tenha chegado, a empresa disse que poderia trazê-lo no futuro próximo.

Segundo o TechCrunch, o Facebook pode copiar futuramente os avatares personalizáveis do Snapchat e a ferramenta de compartilhamento de localidade do SnapMap. Enquanto isso, o Snapchat, que deverá reportar ganhos na segunda quinzena de novembro, conseguiu adicionar apenas 7 milhões de usuários ativos diários no segundo trimestre de 2017.

Leia Mais
1 2 3 6
Page 1 of 6