close

ooh

Conteúdo

Como o marketing sensorial impulsiona suas vendas?

Em um mundo instantâneo, conectado e viciado em distrações, as experiências é que são responsáveis por fazer os consumidores pararem e prestarem atenção no seu negócio. Assim, focar apenas em exibir seu produto já não é mais tão relevante quanto a alguns anos atrás.

Por isso, o marketing sensorial se tornou um investimento interessante para quem deseja fixar a marca na mente dos consumidores.

Afinal, perceptivelmente ou não, valorizamos bastante os pequenos momentos, sejam eles excêntricos ou cotidianos. A sensação de tomar um café fresco pela manhã, o alívio de sair de uma rotina pesada de trabalho ou mesmo a alegria de ver um vídeo de gatinhos são algumas das sensações que podem fazer parte da sua estratégia de marketing.

O segredo que nos esquecemos sobre os exemplos acima é que nossos cinco sentidos são peças fundamentais para trabalhar com o marketing sensorial. Mas como podemos definir o que é o marketing sensorial? Quais benefícios ele pode trazer para o seu negócio? Como criar estratégias eficientes?

É baseada nessas reflexões que a Três Meios se propôs a criar este artigo. Separe alguns minutos do seu dia e confira se o marketing sensorial é a estratégia ideal para você que deseja alavancar suas vendas!

 

Marketing sensorial: o que é?

A primeira coisa que precisamos compreender sobre o marketing sensorial é que em nenhum momento tentamos “empurrar” o produto para o cliente. Nada de dizer que você tem grandes descontos ou de ficar exibindo características sobre o seu produto.

Todas essas práticas estão diretamente relacionadas à parte racional do nosso cérebro, e não é essa a região que você está tentando atingir.

Pode não parecer, mas quando nossa parte emocional (ou inconsciente) toma as rédeas do pensamento, deixamos em segundo plano o nosso racional. Quantas vezes você já se pegou pensando sobre uma atitude que tomou para só depois entender que o acontecido fora apenas consequência de um impulso incontrolado?

Esse é apenas um dos exemplos que demonstram a potência do nosso emocional, e ele é importante! Importa porque age com intensidade na decisão de compra do consumidor.

Assim sendo, você já pode inferir que o marketing sensorial é capaz de oferecer uma experiência estabelecedora de conexões emocionais com o cliente.

Ora, mas seria esse um tipo de neuromarketing?

Não exatamente. Apesar do marketing sensorial trabalhar com nosso sistema nervoso, não há como engloba-lo dentro do neuromarketing, eles possuem propostas diferentes.

No próximo trecho, segue a principal diferença entre o neuromarketing e o marketing sensorial.

 

Por que não neuromarketing?

Apesar de ambas as práticas estarem relacionadas ao cérebro humano, o neuromarketing e o marketing sensorial são bem diferentes entre si.

No neuromarketing utilizam-se estudos neurológicos para as práticas de marketing: é a busca por padrões e comportamentos de compra dos consumidores.

O neuromarketing e o marketing sensorial trabalham com aquilo que é sensível ao consumidor

Tal como as sensações, os padrões de comportamento estão relacionados mais à nossa parte inconsciente e menos às decisões conscientes. Por outro lado, a análise comportamental explora mais a nossa essência “automática” — ou seja, se baseia naquilo que fazemos sem pensar. O neuromarketing estuda, em sua maioria, os hábitos.

A abordagem do marketing sensorial é diferente: enquanto o neuro se preocupa em explorar atividades habituais e utiliza delas para influenciar sua decisão de compra, o marketing sensorial apela para os momentos especiais usando, para tanto, os cinco sentidos.

Normalmente, os sentidos explorados são conectados àquelas memórias afetivas ou nostálgicas como o cheiro do bolo da avó, do perfume da esposa ou o sentimento de paz que alguns têm ao se deparar com o campo.

Resumindo: o neuromarketing estuda o que é habitual enquanto o marketing sensorial estuda o que é especial. Abaixo, você confere três das principais vantagens alcançadas nas vendas quando se conta com o marketing sensorial.

 

3 vantagens do marketing sensorial

  1. Cria vínculo emocional

Se você estimula boas memórias ao público, é possível que comecem a associar uma sensação semelhante à sua marca. Ou seja, sempre que sentirem um cheiro correlacionado a esta memória ou olharem para o seu slogan, vão se lembrar da sua marca;

 

  1. Estimula o desejo de compra

Quem nunca viu uma Coca-Cola gelada em um dia de calor e não ficou, de súbito, com vontade de tomar um refrigerante? A sensação de frescor da bebida estimula sua vontade de comprá-la, e esse é um sentimento poderoso;

 

  1. Desenvolve identidade

O marketing sensorial não apenas serve para estimular as boas memórias e sensações, mas para vincular sua marca a elas.

As esfihas do Habib’s são um bom exemplo: só pela observação você já se torna capaz de distinguir qual alimento pertence à rede de fast-food e qual foi feito por outra lanchonete ou restaurante.

Por que o marketing sensorial funciona?

Desde o início deste artigo até o presente momento você percebeu uma forte tendência produzida por nossas sensações na capacidade de raciocínio, certo? Esse é o principal motivo pelo qual o marketing sensorial funciona.

Mas não pense que isso pode ser feito de qualquer jeito, pois seu mau uso corresponde ao efeito contrário da proposta: espantar sua clientela. De uma maneira ou outra, o marketing sensorial afetará o público, e o melhor é que saibamos como usá-lo para aproveitar seus efeitos positivos.

Afinal, assim como a associação das sensações positivas pode impulsionar um consumidor para a compra, errar na estratégia pode fazer com que ele sinta algum tipo de repulsa, evitando se aproximar de você.

O potencial de transformar os consumidores em admiradores da sua marca ou de fazê-los sentir uma forte conexão com suas propostas é justamente a razão pela qual o marketing sensorial tem sucesso, e dificilmente será substituído no futuro.

 

3 cases bem sucedidos de marketing sensorial

  1. Dunkin Donuts: os bolinhos do Dunkin Donuts são reconhecidos no mundo inteiro, e a marca faz questão de aproveitar isso.

Uma das ações mais conhecidas no marketing sensorial foi o momento em que a empresa colocou dispensadores de aroma em um ônibus na capital da Coreia do Sul, distribuindo o cheiro característico do café servido nas lanchonetes da marca

É claro que a ideia não surgiu apenas para deixar o veículo cheirando a café: o aroma foi dispensado de maneira estratégica, sempre que um anúncio da marca era transmitido pela rádio interna do ônibus.

  1. Hotel Marriott: usando a tecnologia de realidade aumentada — aquela usada no popular game Pokémon Go —, o Hotel Marriott levou seus hóspedes a incríveis destinos de viagens. E nota-se: em toda experiência havia disponível um hotel da marca.
  2. McDonald’s: além de ser uma rede de fast food, o McDonald’s é um gigante do marketing. Tanto que é impossível dissociar a combinação de cores vermelha e amarela da marca, caracterizada pelos famosos “arcos dourados” em um fundo vermelho.

 

Como usar o marketing sensorial para vendas?

Notou que, dentre os três exemplos, ao menos um dos sentidos corporais era estimulado? Neles é que estão a base do marketing sensorial, e cada uma das sensações pode ser aproveitada de uma maneira diferente.

Para demonstrar como a utilização do marketing sensorial impulsiona suas vendas, vamos exemplificar, logo abaixo, uma estratégia para cada um dos nossos cinco sentidos!

 

5 estratégias, cinco sentidos

  1. Audição

Também chamado de marketing sonoro, o uso da audição pode ser um gatilho para que sua marca seja identificada de longe. Uma boa estratégia é contratar um especialista para criar uma música exclusiva para sua marca.

Apostar naquela trilha sonora única faz parte do marketing sonoro

Se você é do Rio de Janeiro, certamente se lembra da música do Metrô Rio (e talvez ela esteja tocando em sua cabeça nesse exato momento). Podemos dizer que esse também é um case bem sucedido de marketing sensorial.

Outro case de sucesso, é o da empresa Mahogany, que decidiu impactar mais o seus consumidores utilizando uma playlist em suas lojas. Mas não foram quaisquer músicas, a marca decidiu pensar em canções que que iam na direção no modo como a empresa se posiciona no mercado.

Dessa forma, toda vez que um consumidor ouve uma determinada música, ele pode remeter à Mahogany.

  1. Olfato

Sua marca não precisa ter um produto com um cheiro característico como no exemplo do Dunkin Donuts. Essas fragrâncias também podem estar associadas a memórias comuns.

Por exemplo, se você possui uma confeitaria que faz bolo artesanal, pode usar dispensadores de aroma com o cheiro de bolos tradicionais caseiros, como bolo de milho, aipim ou chocolate.

Embora não estejamos sempre atentos a isso, os cheiros marcam nossa experiência cotidiana

Muitos consumidores comiam esses “bolos de avó” na infância. Por isso, esses cheiros certamente ativarão uma sensação nostálgica daquela época, atraindo-os para a sua loja.

Um exemplo que deu muito certo foi a empresa Heinz que, para divulgar seu novo sabor de Ketchup bacon e cebola caramelizada, instalou em alguns abrigos de ônibus, na Av. Brigadeiro Luiz Antonio, um dispositivo que disparava o aroma de cada sabor.

As pessoas que estavam aguardando o ônibus podiam sentir o cheirinho do produto, aguçando a fome dos que são apaixonados por bacon e cebola caramelizada. Com isso, as chances do público comprar o novo produto quando for ao mercado são maiores, já que eles já sabem o cheirinho do ketchup.

  1. Paladar

Seu produto tem um sabor particular, mesmo que seja algo tão comum quanto batata frita? Você chegou a este sabor por conta de alguma combinação de temperos que a concorrência não conhece? Então aproveite essa oportunidade e use-a como parte de sua estratégia de marketing sensorial para vender mais!

Faz parte do marketing sensorial os sabores marcantes e as lembranças particulares

  1. Tato

Este talvez seja o mais complicado, e muitas vezes é confundido como um marketing de experiência. Mas você também pode explorá-lo como marketing sensorial, e as lojas de móveis são bons exemplos.

Já reparou que os móveis são dispostos nas lojas como se o ambiente fosse uma sala de estar? Pode parecer bobo, mas isso é feito para lhe passar a sensação de familiaridade, de como seria se a sua própria sala estivesse mobiliada com aqueles produtos. Tentar dispor seus produtos de uma maneira que simula a experiência sensorial já vivida pelo consumidor pode ser uma boa ideia!

Outra forma de atingir seu público, através do tato é fazer como a marca de Pão Açúcar: buscando divulgar seu novo jeito de vender, colocou gôndolas virtuais OOH nas estações de metrô Butantã e Faria Lima, em São Paulo. A intenção era mostrar ao passageiros como fazer compras pode ser prático e rápido.

Para isso, os passageiros que precisavam apenas baixar o aplicativo da rede varejista e fazer suas comprar através do leitor de código de barras. A ação foi muito bem recepcionada e a rede conseguiu atingir seu público de uma forma inusitada;

  1. Visão

De outro lado, a visão acaba sendo a opção mais fácil para elaborar estratégias de marketing sensorial. Tal como as esfihas do Habib’s, facilmente reconhecíveis, e a logo do McDonald’s, que pode ser vista de longe, pense em estratégias que utilizam determinadas cores que destacam seus produtos de maneira a conectar e impressionar seus clientes.

Isso pode tanto ser feito com produtos premium quanto com os mais básicos. Já viu os vídeos da famosa batata de Marechal, aquelas que inundaram a internet na época das Olimpíadas do Rio 2016?

Mostrar como as batatas são dispostas na marmita e na sacola foi o suficiente para atrair a curiosidade não só dos cariocas, mas de diversos brasileiros (e até estrangeiros), que formaram filas em frente à barraca. Vale mencionar que o bairro de Marechal Hermes não fazia parte do circuito olímpico.

O McDonald’s acabou de ganhar o Grand Prix de Outdoor por sua ação,chamada de campanha “Next Exit”  de padronização do sistema de sinalização rodoviário e metropolitano, facilitando a chegada dos consumidores até as lojas mais próximas deles.

A ideia foi usar as curvas da letra M como uma espécie de anúncio minimalista, com frases como “Próxima saída” “À sua direita”.

Dessa forma, a rede de fast food atingiu seu público usando o marketing sensorial, através de uma campanha simples e que condizia com a imagem da marca.

Gostou do conteúdo? Quer saber mais de OOH? Fale com a Três Meios.

Leia Mais
Mídia

Retail Media anuncia expansão de sua rede digital OOH

Empresa anunciou a conquista de novos contratos em São Paulo e Nordeste

A Retail Media, empresa de DOOH em ambientes de consumo, anuncia a conquista de novos contratos para expansão de sua rede digital OOH no Nordeste.

Pelo planejamento, a empresa iniciará suas atividades em Salvador no mês de outubro e,em seguida, nas praças de Recife e Fortaleza prosseguindo com as implantações de suas telas digitais. O mobiliário DOOH da Retail Media será expandido nas lojas do Grupo Pão de Açucar, nessas praças. A rede do grupo já contempla telas digitais nos ambientes de consumo das bandeiras Hirota, Petz e na Rede carioca Guanabara.

Segundo Mário Leão, Diretor Nacional de Vendas, “em novembro a empresa já terá completado as instalações do novo parque de mobiliário digital nas três capitais do Nordeste.”

Mário também comemora o recém contrato assinado com o Hiper Center Andorinha, loja referência na zona norte de São Paulo. “Com a concretização de mais essa parceria, a cobertura na região ganhará uma relevância muito importante para a abrangência da atuação dos nossos serviços em São Paulo. Com a instalação dos novos equipamentos, a Retail Media passará a impactar mais de 30 milhões de consumidores por mês.”

“Estamos aumentando a nossa estrutura e cobertura, dessa maneira ultrapassaremos as 500 telas, número que estipulamos como objetivo antes da pandemia. Continuaremos nossa expansão e traremos novidades, ainda este ano”, finaliza Mário.

Leia Mais
MídiaPublicidade

5 técnicas para melhorar o impacto dos seus outdoors

Com certeza, se os seus outdoors estão nas ruas, é porque você e sua equipe gostaram do resultado, e eu não estou aqui para julgar a beleza do seu outdoor. Bom, mais ou menos. Na verdade, quero te mostrar algumas técnicas para melhorar o impacto da sua arte no público-alvo.

Quantidade de informação
Não é por ser uma área grande que você deve sobrecarregá-la. As pessoas não prestam muita atenção nesta veiculação pois são impactadas ao ir de um ponto A para um ponto B. Por isto, seja sucinto e diga apenas o necessário, escrevendo aquilo que a pessoa terá tempo para ler.

Distribuição do conteúdo
Assim como a quantidade de informação pode acabar com o seu outdoor, a distribuição delas também. Deixar os elementos alinhados e mais espalhados favorece uma leitura mais rápida e dinâmica para o público. Isto garante ainda mais que ele consiga ser impactado rapidamente e que receba a informação corretamente.

Localização do outdoor
As dicas anteriores são muito importantes, porém variam de acordo com a localização dos banners. Se eles forem expostos numa estrada, por exemplo, dê destaque à imagem e ao logotipo, diminuindo o máximo possível a quantidade de informações não verbais.

Porém, se ele fica no metrô, próximo às catracas ou de frente para a plataforma, ouse explorar melhor a linguagem textual. Na catraca, a pessoa geralmente pega uma fila para entrar no metrô e, ao esperar o vagão, ela simplesmente não tem pra onde olhar, tirando o celular (uma boa hora para impactar também, não é mesmo?).

OOH inteligente
Sim, se o cliente tem uma verba legal, aposte nela. Para isto, você tem que estudar as especificações técnicas da empresa de outdoor e garantir uma ideia brilhante. Você pode agir junto de tecnologia ou jogos de luz, como a campanha da Netflix sobre o Drácula – que aliás é uma ótima inspiração se quiser explorar este campo do out of home.

Influencers
O mais comum em vermos nos outdoors são os influenciadores da marca, pois a expressam através de seus pensamentos e ações. É uma boa estratégia para alcançar o público, pois se sentem mais próximos da empresa através de um interesse em comum: a Anitta para a Skol Beats, a Simone e Simaria para a TIM ou qualquer outro artista que vier à sua mente.

Bom, depois dessas ideias, espero que esteja inspirado para criar suas próximas peças de mídia OOH e melhorar o engajamento do público. Lembre-se: se as pessoas não conseguirem ler a mensagem, não serão impactadas como você e o cliente esperam.

Leia Mais
Mídia

Parceria entre Trident e 99

Para anunciar a parceira entre Trident e 99, a F/Nazca Saatchi & Saatchi lança campanha “Mascou, Descontou”, que dará desconto de 15% no aplicativo para os consumidores da edição especial do chiclete. coque iphone 8 Foram criadas animações que vão ao ar nas redes sociais das duas marcas, utilizando 15% menos de palavras para ressaltar o desconto oferecido por essa união. coque iphone Baseada no conceito, “Masca que Relaxa”, de Trident, e “Recalcula’’, da 99, a ação oferece o benefício aos usuários do aplicativo para curtirem uma viagem sem estresse com os carros do 99Pop. coque iphone 7 Para isso, precisam comprar um trident com a embalagem da campanha e cadastrar o cupom que vem dentro do chiclete. coque iphone O Trident com a nova embalagem está disponível nos principais pontos de venda das capitais brasileiras incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Salvador, Curitiba e Porto Alegre. coque iphone A ação acontece até dezembro ou enquanto durarem os estoques. coque iphone 2019 Confira os vídeos abaixo. coque iphone A campanha conta também com ações nas mídias digitais e OOH.

Leia Mais
Mídia

Licitação para concessão de banheiros públicos gera mais mídia OOH em São Paulo.

A prefeitura de São Paulo lançou, na segunda-feira (19), edital para iniciar o processo licitatório para concessão de banheiros públicos. O contrato prevê exploração de espaço publicitário em troca do serviço. coque iphone xr O governo, com auxílio da SPObras, abriu na terça-feira (20) consulta pública para esclarecer dúvidas sobre o projeto. Os interessados poderão enviar dúvidas e observações até o dia 27 no site da prefeitura. A empresa vencedora terá contrato de 25 anos com a prefeitura, e será responsável pela instalação, manutenção e higienização de 500 banheiros fixos e 100 móveis na cidade. coque iphone Em contrapartida, terá direto de exploração publicitária dos espaços. vente de coque iphone A vencedora terá prazo de 8 meses para entregar 400 banheiros fixos e mais 4 meses para entregar o restante previsto no contrato. coque iphone solde Para vencer a licitação, a empresa deverá apresentar a maior oferta e a melhor proposta técnica, considerando o planejamento de manutenção e exploração publicitária. Os banheiros poderão ter anúncios fixos em até duas faces de no máximo 2 m². O projeto tem base na Lei Cidade Limpa, que instituiu os editais de concessão dos relógios de rua, administrados pela JCDecaux, e dos abrigos de ônibus, administrado pela Otima. coque iphone 8 Vale acrescentar que recentemente a Otima expandiu para 40 estações do metrô sua cobertura de mídia em Wi-Fi. coque iphone A empresa passa a desenvolver e gerenciar a plataforma comercial do Wi-Fi das linhas Verde, Vermelha e Azul.

Leia Mais
Vai e vem

b.drops fortalece seu time comercial

Empresa de mídia out of home (OOH) especializada em salões de beleza, a b.drops acaba de contratar duas novas Executivas de Negócios para fortalecer seu time comercial. Patrícia Favaro e Andréia G. coque iphone pas cher Silva se juntam aos executivos Cleber Alucci e Natália Carvalho em São Paulo, e Fernanda Nardelli e Andrea da Silva em Curitiba, ambas equipes sob o comando do diretor comercial Mário Leão. soldes coque iphone pas cher Patrícia Favaro – possui mais de 20 anos de experiência em publicidade tendo iniciado sua carreira na agência JWT e passado por outras grandes como Y&R e Leo Burnett. coque iphone Em veículos, atuou em jornais como Gazeta do Povo, Estadão, Jornal Metro e O Popular-GO. soldes coque iphone Andréia G. coque iphone solde Silva – tem grande conhecimento do mercado e foi uma das responsáveis pelo crescimento da b.drops em São Paulo.

Leia Mais
Mídia

Eletromídia instala painéis em estações de metrô no Rio de Janeiro

Agora o Rio de Janeiro conta com painéis dupla face e de LED full HD na linha 4 do metrô. Os trechos entre as estações de metrô General Osório e Jardim Oceânico entraram para as possiblidades de mídia OOH com 70 dispositivos.

De acordo com Daniel Simões, sócio e diretor geral da Eletromídia, a escolha dos equipamentos foi feita visando os mais modernos e inovadores para esta linha. Além disso, o local e o tamanho do equipamento possibilitarão que o usuário tenha 100% de visualização em uma enorme frequência. Segundo Daniel, por este motivo a Eletromídia entregará melhor performance de resultados para os clientes.

Leia Mais
Mídia

Empena traz anúncio de currículo

 

No mínimo, uma ação inusitada. 

Grandes anunciantes já ocuparam o espaço.

Porém, agora, o que estampa a lateral de um grande prédio na cidade de Campinas, interior de São Paulo, é um currículo vitae de um rapaz de 26 anos, formado em Administração de Empresas.

O número deixado para contato, cai direto na caixa postal. Na secretária eletrônica, uma mensagem na oz de um garoto com sotaque carioca, diz que não está conseguindo atender todo mundo.

Oras, então deu certo?

O cara conseguiu emprego?

Quanto custou esse anúncio?

Quantos anos ele terá de trabalhar para pagar essa empensa?

Nada disso. Com toda a certerza do mundo, trata-se de um teaser de uma grande campanha que vem por aí.

O porteiro do prédio revelou apenas que o anunciante é do Rio de Janeiro (procurando emprego em Campinas?)

Bela sacada de alguma agência carioca. A notícia roda o mundo em blogs de comunicação.

Vamos aguardar pra ver o que vem por aí.

 

 

Leia Mais