close

saopaulo

Opinião

A visão de uma baiana no Carnaval de São Paulo

Não é novidade que eu me mudei para São Paulo em 2018. Contei para vocês no texto: Baiana em São Paulo. Mas não contei para vocês, o lado carnavalesco das coisas! Cheguei em 2018 em São Paulo, uma semana antes de começar o carnaval, e a pergunta que mais ouvi foi: “Vai antes do carnaval?”, e eu, muito confiante na minha decisão respondia: “O ano já começou. Não posso esperar o carnaval passar.” O primeiro carnaval na capital paulistana em 2018 foi bem tranquilo. Muitas novidades, poucos amigos e sem saber o que fazer. Tirando o dia que eu resolvi sair, fui para 3 bairros diferentes e cheguei atrasada para todos os bloquinhos. Coisas que acontecem, afinal, ainda não sabia que Pinheiros era tão distante do Ibirapuera. Resumindo, fiquei com vontade de ter curtido mais ano passado. Mas 2019 chegou e em janeiro eu já estava na Rua 25 de março, super foliã, carnavalesca, escolhendo as fantasias que ao total foram 5, com muito glitter, confeite e espuma. Os blocos paulistanos trazem essa característica que eu adoro: cada um sai como deseja sair, os abadás caros podem ser substituídos por fantasias criativas, como um homem vestido de “macaco cidadão” – Só quem é ligado nos memes vai entender essa. outlet coque iphone Esse ano, 570 blocos saíram em São Paulo que começou em 22 de Fevereiro e acabou apenas no dia 10 de Março. Alguns desses blocos eram muito grandes e contavam com atrações conhecidas: Bell Marques, Claudia Leitte, Timbalada, Alceu Valença, Elba Ramalho… e outros bloquinhos menores, criados por amigos em bairros com muita bateria (As pessoas adoram baterias aqui). Os blocos rolavam durante o dia, o que de certa forma, democratiza a folia. As crianças entram na festa e eu posso voltar pra casa antes das 18hrs para comer e dormir. coque iphone 2019 soldes (Isso é muito importante!) Ainda tratando de blocos durante o dia, é lindo ver o glitter escorrendo com a maquiagem junto com o suor na sauna do verão paulistano, e para “tentar” mandar os foliões embora, vem a chuva porque essa época nunca tem só sol ou só chuva. soldes coque iphone Mas fiquei emocionada de ver nordestinos com a camisa de Pernambuco, ou do Esporte Clube Bahia, com bandeiras dos seus estados e roupas de cangaceiro no Bloco do Alceu Valença, e cantando forte e alto, como a força do nosso povo. coque iphone 7 Eu me senti representada e orgulhosa. Eu vi cantores de diversos ritmos tocarem músicas baiana e todo mundo cantar em uma só voz, mostrando a energia do carnaval e cultura da Bahia. Vi pessoas no meio do tumulto de um bloco se abaixarem e ajudarem uma senhora a recolher as latinhas do chão. Vi também mulheres livres para usarem o que quiserem, sem medo ou vergonha do que podem falar, pois elas sabem que quem precisar gostar são elas. coque iphone pas cher São Paulo em si é pura pluralidade. No carnaval isso fica mais claro: um carnaval democrático para atender tantos gostos que aqui vivem.

Leia Mais
Opinião

Uma baiana em São Paulo

Eu, baiana da gema, conheci São Paulo há 3 anos, e desde então a capital paulistana se tornou frequente nos meus destinos de viagens anuais, mas a trabalho, é claro. Costumo dividir as pessoas em dois tipos: as que amam São Paulo de paixão e as que odeiam. Eu sou dessas que amam e ficam encantadas. coque iphone No auge dessa paixão, eu mudei pra Sampa, larguei a Bahia, o calor, o mar, o aconchego e a família, Me assumi bicho dessa selva e mergulhei de cabeça na capital paulistana. coque iphone Em meio aos comentários: “Lá é muito frio!”, “Lá é muito perigoso”, “Eu moro em SP e quero ir embora”, estava eu, com menos de 1,60 m de altura e toda coragem do mundo. vente de coque iphone Hoje, enquanto os dias passam em São Paulo e todos os sons se misturam com as cores, os cheiros e as formas, eu observo em silêncio, e ainda um pouco constrangida por sempre tentar dar o segundo beijo, esqueço, aqui é só um. Que chato! Pego a Marginal Pinheiros um pouco antes do horário de almoço no Uber Pool, tem trânsito, todos reclamam, motorista reclama, passageiro reclama e eu apenas penso: “Mesmo devagar o trânsito se movimenta.”, já vi coisas piores. Confesso: comer tem sido o melhor passatempo que tenho feito. Ganhei 2 kg em 2 meses. Não sei se São Paulo tem amor, mas com certeza tem comida, muita comida, de todos os tipos, da Vila Sofia à Vila Madalena, da 25 de Março ao Morumbi. coque iphone 8 Aqui se come muito bem. Gosto também como me chamam, de “Lai”. coque iphone xs max Virei “Lá”. Deve ser para poupar tempo. Para os mais formais: “Ferrari”, uma maneira um tanto quanto diferente de se referir pelo sobrenome. Apesar de adorar o “Imagina” depois do “Obrigada”, fico confusa quando me chamam de “mano”. Sinto falta de ver o mar, da praia aos finais de semana, mas tenho os ‘rolés’ no ‘Ibira’, que não substituem, mas estão sendo divertidos. soldes coque iphone E mesmo com a dificuldade para ver o céu com tantas luzes e prédios, gosto de ver as luzes, de imaginar a diversidade que existe ali. A cidade que não dorme espalha cultura em suas ruas, e tem momentos tranquilos em meio ao verde, que acreditem, existe muito. Na cidade mais inteligente do Brasil, se locomover é fácil, é regra; e manual é o que não falta. Perdida em tanta informação, percebo, Salvador é meu lar, mas não é minha casa, e São Paulo será até existir vontade, pois a mudança é necessária para percebermos que podemos viver em outros meios, de outras formas que não serão fáceis, mas que deixarão lições. Com uma perspectiva melhor, a gente encontra paz em meio ao caos, a gente se encontra.

Leia Mais
Publicidade

Havaianas e Jojo Toddynho: “Que tiro foi esse?” – versão Carnaval.

Já em ritmo carnavalesco, a Havaianas usa o hit “Que tiro foi esse?” para um filme. coque iphone xr Em um vagão envelopado com a campanha global da marca “Viva o verão”, Jojo canta sua música e faz todo o elenco cair em seu ritmo, incluindo as influenciadoras Fernanda Paes Leme e Nana Rude. coque iphone O filme é criação da AlmapBBDO. coque iphone soldes Além do arraso no vagão, a Havaianas, a primeira marca a trabalhar com Jojo Toddynho, distribuirá adereços e promoverá shows nas estações Paulista, Faria Lima e Fradique Coutinho do metrô até dia 18 de fevereiro. coque iphone 7 E ainda, duas bandas Havaianas circularão nas 3 estações animando os foliões. coque iphone xs max As ativações da marca são promovidas pela agência Tudo. coque iphone outlet O vídeo já conta com mais de 6 milhões de visualizações no Facebook. coque iphone 7 Confira.

Leia Mais
Mídia

No Dia da Pizza, “bóra” comer um lanche!

Hoje, dia 10 de Julho, comemora-se o Dia da Pizza.

Ao contrário do que muita gente pensa, a pizza é criação dos chineses e não dos italianos que aperfeiçoaram a massa anos mais tarde.

Aliás, já tive a oportunidade de comer uma pizza em Roma e não gostei nem um pouco. Tinha o gosto exato de um baconzitos!

Mas em São Paulo, onde moro, existem excelentes pizzarias. Sempre que posso, vou à uma delas.

Gosto muito de pizza, dos mais variados sabores e na capital, tenho as minhas casas preferidas.

Acontece que hoje, sendo o ia da Pizza, não vi nenhuma publicidade alusiva à data. Nada, nada, nada!

Pow, vivemos na cidade da melhor pizza do Brasil e nenhuma pizzaria se movimenta nesse sentido?

Curto algumas delas no Facebook e outras tantas possuem meu telefone. Por que não ligam? 

A oportunidade está criada, basta apenas saber aproveitá-la!

Tem gente que acha que publicidade é somente para grandes empresas. Não, não é!!!

Se tem uma pizzaria, faça boa publicidade, principalmente se sua pizza for boa.

Vai vender pizza como água!

Eu compraria!

Mas bom, vou lá comer um lanche!

Boa noite a todos!

Leia Mais