close
Marketing

A mudança no hábito de consumo dos brasileiros durante a quarentena

Foto para postagem Varejo
freepik

Não tinha como não tocar nesse assunto, visto que já estamos a quase um mês de quarentena no Brasil e há aproximadamente 4 meses que o mundo vem enfrentando essa pandemia.

Um vírus que tem mexido com mais de 150 países e colocado em xeque dois terços da população mundial por não ter uma vacina ou remédio que retarda os efeitos dessa doença. Até o momento temos apenas medidas de prevenção e a busca incessante dos cientistas para minimizar os danos, porém enquanto os especialistas não encontram a cura, outras áreas da sociedade estão sendo bastante afetadas, assim como: cultura, educação, política e economia.

Bom, mas até aí não é novidade pra muita gente. Porém o fato é que toda essa situação mexeu com o comportamento da sociedade. Cidades que nunca dormiam, agora estão praticamente desertas, empresas tomando decisões precipitadas e vendo repercussões negativas em suas redes sociais, a audiência migrando de plataforma e o ser humano se adaptando a nova realidade.

Diante desse cenário a Opinion Box realizou pesquisas avaliando o impacto do Covid-19 no comportamento dos consumidores brasileiros para auxiliar a economia e o comércio a tomar decisões direcionadas às novas necessidades da população.

Dentre as principais mudanças de hábito podemos constatar que 58% estão consumindo mais notícias para compreender e manter-se informados da situação, devido ao cenário não tão satisfatório, tem crescido também o número de brasileiros com ansiedade chegando a 48% e pelo fato de ficarem em casa, atividades relacionadas ao lar subiram desde higiene pessoal 43%, limpeza e faxina 45%. 

Sobre os hábitos que a população mais deixou de fazer estão as atividades relacionadas ao isolamento social, dentre elas:  frequentar casa de amigos e parentes 67%, e ir ao shopping 65%, frequentar as lojas de rua 65% e ir a bares e restaurantes 61%. Por outro lado as atividades que mais se tem feito nos últimos dias são cozinhar 33%, praticar jogos online 32% e trabalho em home office 26%.

Analisando as categorias de serviços, podemos observar um crescimento de usuários para serviços de supermercados online com mais de 25%, plataformas de ensino a distância e cursos online mais de 18% e farmácias online com 17%. Mas quando o assunto é intensidade de uso, o papel inverte e os primeiros colocados são plataformas de streaming de filmes e séries com 46% e em segundo a TV por assinatura com 41%.

E já que falamos da TV, claro que a internet, redes sociais e whatsapp não ficaram pra trás e o crescimento do seu consumo tem sido de 60%, 53% e 49% consequentemente.   

Sabemos que qualquer mudança por menor que seja neste momento, afeta variavelmente o hábito de consumo da população e obviamente os dados mencionados acima, mas o que podemos alegar é que após essa crise passar e a rotina voltar ao normal, uma coisa que certamente não deve retornar são os velhos hábitos, provavelmente nem todos os hábitos serão como antes.

 

Tags : Hábito de consumomudança de hábitopesquisasquarentena
Pabllo Stanlley

O autor Pabllo Stanlley

Publicitário, formado pela Estácio CEUT-PI e MBA em Gestão de Marketing na ESPM-SP, certificado pelo Grupo de Mídia. Trabalhou em agências atuando no departamento de Mídia, gerenciando as contas do Governo do Piauí e outros clientes do mercado. Fez parte do time da afiliada da TV Globo como Analista de Planejamento, desenvolvendo projetos comerciais voltados para as necessidades do mercado aproximando os anunciantes ao veículo de comunicação. Atuou no mercado de saúde como coordenador de marketing do plano Unimed - PI.

Comentários no Facebook