close
Opinião

Assédio sexual e moral na indústria de comunicação

Fonte: Pexels

O assédio na indústria global de comunicação é uma questão que evidencia a gravidade do tema. Pesquisas recentes apresentam dados preocupantes nos quais 90% das mulheres afirmam já terem sido vítimas de assédio sexual e 89% de assédio moral em ambiente profissional, segundo o Meio&Mensagem.

É importante ressaltar que nos ambientes profissionais de comunicação há mais casos de assédio moral do que consideramos, isso resulta muitas vezes em um local de pressão diária para os funcionários, pois nota-se constantemente cobranças de tarefas em prazos quase impossíveis de serem cumpridos, jornadas extenuantes de trabalho (incluindo noites, feriados e finais de semana) e humilhação moral por parte de superiores ou clientes.

Com relação ao assédio sexual os dados comprovam que as principais vítimas são as mulheres. Uma pesquisa, realizada em 2017, pelo Grupo de Planejamento (GP) ouviu 1.400 pessoas (homens e mulheres) que trabalham em empresas de comunicação da região metropolitana de São Paulo. 51% das mulheres afirmaram já ter sofrido assédio sexual e 39% delas acrescentaram que houve alguma forma de contato físico durante a situação.

Vídeo | Pesquisa sobre Assédio Moral e Sexual do Grupo de Planejamento (GP)

“[…] Chorei todas as vezes que isso aconteceu. Contei no RH, mas eles disseram que eu deveria agradecer por gostarem de mim”, disse uma das entrevistadas anônimas do vídeo anexado acima. O estudo trouxe luz para uma realidade que é amplamente conhecida, porque é partilhada por todos, mas absolutamente naturalizada: a toxicidade do ambiente de trabalho e das relações no mercado de comunicação.

Experiências como as citadas, ou até mesmo piores, têm um impacto enorme na saúde física e psicológica das vítimas. E, consequentemente, prejudicando assim a saúde da empresa como um todo já que os funcionários são espelhos da corporação e merecem respeito como tal.

A psicóloga Alessandra Costa, especialista em assédios e corrupção, fala um pouco sobre como esses assédios, ainda tão frequentes, podem ser solucionados. Inicialmente ela reforça a importância da indústria de comunicação ter um Código de Ética e colocá-lo em prática diariamente com todos os funcionários, independentemente da função exercida e hierarquia na instituição.

A CreativosBr convida o mercado de comunicação a refletir sobre o tema que é tão sério e, infelizmente, ainda tão recente. Para ajudar, deixamos em anexo um documento interessante sobre o tema que pode ajudar na análise sobre o assunto. Sendo um pdf feito pela Agência Wunderman Thompson, a qual realizou uma campanha intitulada: “Agência sem assédio”.

Tags : abusoagênciasassédiocomunicaçãopublicidade
Daniela Cardoso

The author Daniela Cardoso

Vivendo seu disfarce de terráquea como estudante de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela FECAP – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, tem experiência profissional com Web Design e Marketing Digital (com formação pelas Instituições SENAI São Paulo e ComSchool). Nas horas vagas se arrisca com ilustrações acompanhada de uma boa música! Apreciadora de cafés, conversas e séries medievais.

Comentários no Facebook