close

Alberto Fachin

Mídia

Agências de Mídia querem cobrar por direitos autorais do Facebook e Google

AgênciasdemídiaqueremcobrarpordireitosautoraisdoFacebookeGoogle-Creativosbr-Mídia-BlogdoCrespo-Creativosbr-Creativos-Mídia-Facebook-Google

Nove agências de imprensa européia, incluindo a AFP – uma agência de notícias francesa bastante reconhecida – estão cobrando o Google o Facebook para que lhes paguem direitos autorais pelo uso de noticiais com os quais as duas companhias lucram.

A chamada ocorre quando a UE está debatendo uma diretriz para que o Facebook, o Google, o Twitter e outros grandes jogadores paguem os milhões de artigos de notícias que eles usufruem.

Segundo o jornal Le Monde, o Facebook não se tornou uma das maiores redes sociais do século XXI, mas sim “O Facebook se tornou a maior mídia do mundo”. Isso porque “o Google e o Facebook sequer possuem uma sala de redação do mundo. Eles não têm jornalistas na Síria arriscando suas vidas, nem uma agência no Zimbabue investigando a partida de Mugabe, nem editores para verificar e verificar informações enviadas pelos repórteres no terreno”.

“O acesso a informações gratuitas é supostamente uma das grandes vitórias da internet. Mas é um mito”, argumentaram as agências. Enquanto receitas do Google crescem, anúncios para mídia de notícias caíram 9% na França.” Anos passaram (sem que nada seja feito) e uma penca de notícias gratuitas e confiáveis agora está ameaçada porque a mídia simplesmente não poderá mais pagar por isso”, acrescentaram as agências de notícias.

As tentativas de novidades na França, na Alemanha e na Espanha para forçar os gigantes da internet a pagarem só resultaram em trazer “algumas migalhas simbólicas”, completaram. Alguns membros do Parlamento Europeu estavam preocupados com o fato da proposta de diretiva ameaçar o acesso gratuito às notícias para os utilizadores da Internet.

“Os usuários da internet não seriam tocados … simplesmente aqueles que agora pagam uma parte desproporcional da receita de publicidade teriam que compartilhar uma parte significativa dela com aqueles que realmente produzem a informação sobre a qual o dinheiro é feito”, completou.

O apelo foi assinado pela AFP, a agência alemã DPA, a British Press Press Association, a agência espanhola EFE, a italiana Ansa, a agência sueca TT, Belga da Bélgica, a APA da Áustria e a agência holandesa ANP.

Leia Mais
Mídia

Grupo Abril passa por processo de reestruturação

GrupoAbril-Passa-Por-Restruturação-BlogDoCrespo-CreativosBR-Midia

Após a saída de Walter Longo, o executivo Arnaldo Figueiredo Tibyriçá assumiu o comando do Grupo Abril. Com isso, houve um aumento demasiado nas demissões que não foram divulgadas pela imprensa.

Para reorganizar o grupo, Arnaldo Figueiredo diz que “Demos os primeiros passos que, infelizmente, envolveram o desligamento de alguns colaboradores. Mas isso permitiu redesenhar a estrutura de todos os processos. Nosso objetivo com isso é lidar com um legado estrutural dos tempos em que tínhamos um portfólio de negócios mais diversificado e, ao mesmo tempo, ajustar a estrutura para alavancar nossos negócios atuais. É um movimento voltado para a eficiência e rentabilidade por meio da redução e simplificação da nossa estrutura.”

“Quanto aos boatos de que estaríamos num processo de recuperação judicial, garanto que isso não faz parte da minha missão porque a superação de nossos desafios não requer medidas desse tipo. E, profissionalmente, apesar da minha formação jurídica, eu não tenho nenhum interesse em participar de um cenário desses. Aceitei o desafio de ser presidente da Abril para gerar valor e lidar com desafios de negócios. Alimentar boatos equivocados como esse indica apenas um desconhecimento sobre nossos negócios”, completa Arnaldo.

Vale ressaltar que foi no dia 13 de novembro que o Grupo Abril anunciou que Walter Longo deixaria o cargo da presidência.

Leia Mais
Digital

Como a P&G ajudou na luta contra a fraude publicitária

Marc_Pritchard_at_IAB_3x2

O Trustworthy Accountability Group, um organismo de vigilância da indústria focado principalmente na luta contra a fraude publicitária, disse nesta terça-feira que o número de empresas que receberam o selo “Certified Against Fraud” aumentou mais do que o dobro desde abril, com 26 companhias adicionadas desde então.

A notícia chega aproximadamente um ano depois que Marc Pritchard, diretor de marca da Procter & Gamble, disse que sua empresa exigiria que “qualquer entidade que trabalhe com mídia digital” teria que passar pelo programa Certified Against Fraud da TAG ou arriscar perder o negócio da P&G. A P&G é considerada o maior anunciante do mundo, gastando US$ 4 bilhões por ano.

“Sem dúvida, quando Marc Pritchard fez sua ligação à ação, criou uma incrível quantidade de impulso em torno da TAG”, diz Mike Zaneis, CEO da TAG.

“As empresas não estão fazendo isso porque querem lucrar com a P&G, mas porque outros comerciantes estão exigindo”, diz Zaneis. “E eles querem trazer segurança a marca e impedir a fraude”.

Zaneis também diz que a participação na iniciativa “ads.txt” da indústria, que foi criada este ano para eliminar a “falsificação de domínio”, se tornará um dos requisitos da Certidão Contra a Fraude da TAG no próximo ano.

A TAG certificou seu primeiro lote de empresas em dezembro de 2016, uma pequena multidão com apenas 17 companhias. O total hoje é de 49, com mais 120 no processo de revisão ou aprovação. “Mais de 80 empresas de fora dos Estados Unidos se inscreveram para a certificação TAG este ano, uma grande parte da qual vem da Europa e da Ásia”, diz Zaneis.

O programa de certificação antifraude da TAG tem como objetivo frustrar a fraude publicitária ao “marcar” todo mundo no ecossistema de anúncios digitais, desde compradores e vendedores de mídia até vendedores e intermediários de fraudes publicitárias.

A certificação não é gratuita, uma vez que as empresas devem pagar pelo menos US$ 20.000 por ano para manter o selo Certified Against Fraud do Watchdog.

Enquanto isso, ninguém sabe quanto se perdeu com a fraude publicitária nos canais digitais a cada ano porque o ecossistema de anúncios digitais é muito complexo para contar.

Leia Mais
Digital

Instagram Stories e WhatsApp Status chegam a marca de 300 milhões de usuários ativos

SNAPCHAT-COMP-FB

As duas ferramentas que surgiram como clones do Snapchat bateram a marca de 300 milhões de usuários, ultrapassando os 173 milhões de usuários da rival.

O Snapchat chegou a uma perda de 443 milhões de dólares, enquanto, no mesmo período do ano passado, Mark Zuckemberg viu o Facebook lucrar mais que o dobro de sua receita, comparado a 2015, com a influência direta dos anúncios no Instagram.

No mês passado, o Facebook lançou um recurso que permite aos usuários compartilhar ‘Instagram Stories’ diretamente para ‘Facebook Stories’. Embora a opção de publicar ‘Storie do Facebook’ para ‘Storie de Instagram’ ainda não tenha chegado, a empresa disse que poderia trazê-lo no futuro próximo.

Segundo o TechCrunch, o Facebook pode copiar futuramente os avatares personalizáveis do Snapchat e a ferramenta de compartilhamento de localidade do SnapMap. Enquanto isso, o Snapchat, que deverá reportar ganhos na segunda quinzena de novembro, conseguiu adicionar apenas 7 milhões de usuários ativos diários no segundo trimestre de 2017.

Leia Mais
Opinião

Apple: o Rubinho Barrichello dos smartphones

APPLE-NOVO-RUBINHO-BARRICHELLO-DOS-SMARTPHONES-OPINIÃO-CREATIVOSBR

Neste ano de 2017, houve muitas reviravoltas no mercado de smartphones. A Apple, com seus queridos e cobiçados smartphones, completou a décima geração, iniciada por Steve Jobs. Apesar disso, quem começou com um pé na frente no mercado Ocidental este ano foi sua principal concorrente, que lançou antes do iPhone X – edição comemorativa da décima geração – o Samsung Galaxy S8 e S8 Plus.

Em março, a empresa internacional sul-coreana apresentou ao mundo seu novo aparelho com o conceito da tela infinita que chegou para ficar. O aparelho sensação do momento ganhou visibilidade a ponto de manifestarem que a Apple, ao lançar o iPhone X neste mês de setembro, copiou o novo modelo da Samsung, assim como todo ano fazem.

Apesar disso, a Apple procurou não ficar para trás e trabalhou para trazer novidades aos consumidores como a inovação de realidade virtual, modo retrato na câmera frontal e configurações de iluminação de estúdio. Por um lado, a Apple inovou em alguns aspectos ao seu novo lançamento. Por outro, ela deixou a desejar, limitou-se a manter duas cores dos aparelhos e também deixou de inovar no design, algo que a destacou nos primórdios da era dos smartphones.

Esses atrasos fazem com que o valor da Apple não se torne tão bons por não atrair tanto os consumidores que ainda não são fiéis à marca. Permitindo que outras empresas tomem o espaço que poderia pertencer à maçã. Consequentemente, a empresa fica restrita aos mais fiéis. Isso é só um dos atrasos da Apple, lembrando que isso já se repetiu quando a Apple lançou a tampa traseira de vidro, a opção multi janelas e a resistência À água e poeira.

Novamente tenho a sensação de que a Apple é o Rubinho Barrichello dos smartphones. Enquanto a Apple está lançando a tela infinita, que em teoria é uma inovação, muitos outros fabricantes já lançaram em questão de meses ou em questão de ano.

Me pergunto quando a Apple irá lançar a tela curva que desde 2015 já se encontra na sua principal concorrente!?

Leia Mais
Mídia

TV Minuto tem nova parceria

Metro

A Eletromidia, empresa responsável em operar a TV Minuto, anunciou a ampliação de conteúdo com a parceria do Portal Cultura Leste. O portal, que existe há 8 anos, visa promover e divulgar conteúdos culturais e artísticos da periferia paulistana por meio das telas da TV Minuto.

Trazendo informações em tempo real, os monitores da TV Minuto estão presentes nos vagões de trens nas linhas Verde, Azul e Vermelha do Metrô de SP, e também em estações das linhas da CPTM.

A TV Minuto é exposta a mais de 6 milhões de pessoas por dia. Contabilizando mais de 6.000 monitores, sendo 48 telas distribuídas em 142 composições do metrô. Para Ana Paula Della Mônica, Diretora de Marketing da Eletromidia,“essa é uma maneira de colaborar com quem faz um trabalho essencial de divulgação de cultura e arte que acontece nos extremos da capital paulista”.

Diariamente são transmitidas informações sobre notícias, publicidade, prestações de serviços, agendas culturais entre outros conteúdos.“Estamos muito otimistas com esta parceria, pois contribuirá com a disseminação da informação, fazendo com que chegue ao máximo de pessoas, fortalecendo nossa iniciativa, enriquecendo o trajeto de quem vem e vai por meio dos transportes da cidade e fomentando a arte e a cultura”, diz Douglas Thiago Resende, Diretor de Marketing do Cultura Leste.

Leia Mais
Digital

Aplicativo facilita o gerenciamento de contas do Twitter

business-690675_1920

O novo recurso traz a possibilidade de gerenciar contas on-the-go. Já o compartilhamento de contas do Twitter só está disponível no site do desktop do TweetDeck – até agora.

Querendo facilitar a vida dos profissionais que gerenciam as contas de uma marca longe de seus computadores, o Twitter – após dois anos e meio do lançamento do TweetDeck – está trazendo o recurso de compartilhamento de contas para seus próprios aplicativos para dispositivos móveis, como anunciou a empresa na quinta-feira. Como resultado, as pessoas que compartilham uma única conta, como os funcionários de uma marca e suas agências, não precisam mais fazer login no site do desktop TweetDeck para publicar tweets dessa conta.

Além de publicar tweets, os membros de uma equipe também podem retweetar e curtir os tweets dos outros, além de enviar mensagens diretas, agendar tweets, criar listas para feeds separados preenchidos por apenas certas contas e momentos especiais. No entanto, nem todos os recursos estarão disponíveis através dos aplicativos móveis do Twitter, pelo menos por enquanto. Os donos dessas equipes e os administradores não poderão gerenciar os membros da equipe – responsáveis pelo gerenciamento da conta – através dos aplicativos móveis do Twitter. De acordo com um porta-voz do Twitter, os donos das contas terão que usar o TweetDeck para isso.

Leia Mais
Publicidade

Nasa transmite eclipse solar ao vivo via Facebook e Twitter

Nasa transmite eclipse solar ao vivo via Facebook e Twitter – Publicidade – Creativos BR – Blog do crespo

A NASA irá transmitir ao vivo, hoje, por meio de suas redes sociais, como o Facebook e o Twitter, o eclipse solar total. O eclipse pode será ser acompanhado em alguns locais dos Estados Unidos a olho nu e também na região de extremo Norte do Brasil.

Tal fenômeno poderá ser acompanhado pelas redes sociais da NASA e a olho nu às 16h30 até às 17h20. Vale ressaltar que a NASA utilizará a tecnologia de 4k em 360° para proporcionar uma melhor experiência aos telespectadores.

A Agência do Governo Federal dos Estados Unidos frequentemente transmite pelas suas redes sociais diversos eventos espaciais. Uma das suas últimas transmissões ao vivo foi pelo instagram, quando lançou o SpaceX:

http://m.jc.ne10.uol.com.br/canal/mundo/internacional/noticia/2017/05/31/nasa-transmite-nesta-quinta-lancamento-da-spacex-287077.php

 

Leia Mais
Opinião

TRATE BEM OS STAKEHOLDERS

BLOG-DO-CRESPO-CREATIVOS-BR-OPINIÃO-TRATAMENTO-HUMANIZADO

Há duas semanas eu fiz uma encomenda via contato WhatsApp e durante todo o processo de compra até a entrega fui atendido de uma maneira muito atenciosa e cortês pela fundadora dessa linha de produtos. Tive diversos problemas que atrasaram, e muito, a entrega da minha compra fazendo com que recebesse o produto somente após duas semanas.

Por mais que se trate de um pequeno negócio, a empreendedora agiu como muitas empresas médias e de grande porte deveriam, mas não agem. Depois de tantas adversidades, fui contemplado com a minha compra e como brinde, recebi alguns outros produtos de sua linha.

Ainda recordo do que foi dito pela empreendedora, “Se fosse outro cliente já estaria gritando comigo” e, realmente, quantos estariam gritando aos prantos e cuspindo críticas por suas frustrações? Em vez disso, pensei que tratá-la de uma maneira humanizada com toda educação e paciência seria um estímulo maior para que os meus problemas fossem resolvidos por ela. Dito e feito!

Durante todo o tempo a dona da marca procurou resolver o meu problema e acredito que a minha tolerância e compreensão serviram de estímulo para que meus problemas fossem resolvidos ainda mais rápido e de quebra, com um ótimo exemplo de como gerenciar crise no final da história. Então, não trate bem somente o seu cliente, mas também o seu fornecedor, seu funcionário, etc. Este tipo de comportamento só vai te agregar.

Somos seres humanos e frustrações e situações de fúria são totalmente normais, por isso que aqueles que mantêm a calma e serenidade se sobressaem perante aos demais.

Leia Mais
Marketing

Campanha “Apague a Fome” conscientiza de forma criativa, pedestres de NY

erase hunger

Assim como São Paulo, Nova York é uma das cidades mais agitadas do mundo. E assim como qualquer cidade movimentada, os cidadãos que as frequentam vivem a mil por hora sem dar atenção, ou até mesmo perceber, os problemas sociais que residem em torno de si durante seu trajeto diário.

Uma campanha de marketing da Crossroads Community Services visa desacelerar os cidadãos de NY e fazer com que notem o problema da fome e falta de moradia da cidade com o objetivo de motivar os residentes da cidade a se voluntariarem na doação ou na tomada do conhecimento da comunidade Crossroads. Para conseguir isso, a equipe criativa da Saatchi&Saatchi visou tornar o pensamento sobre a falta de moradia e a fome menos perturbador e mais confiável para Nova York.

Regiões que haviam locais para comer era o lugar óbvio para dar início a ação”, diz Carolyn Gargano, Diretora Criativa de Arte da Saatchi&Saatchi Wellness. “Nós estávamos muito conscientes do público das classes mais elevadas e daquelas pessoas em situação carente. Então pensamos, por que não ir direto ao encontro desse público? Pensamos em fazer uma peça pop-up que poderia ser colocada em qualquer tipo de festival de comida, parque ou mesmo um evento corporativo“, complementa. Para ter ideia, só em Nova York existem em torno de 24 mil restaurantes, mas os residentes sempre se alimentam na mesma rua que se encontram pessoas que não foram alimentados corretamente em dias. As análises da City Harvest ilustram que quase 1,4 milhão de pessoas enfrentam fome todos os dias, cerca de 18% da população.

A Crossroads e Saatchi&Saatchi Wellness levaram em sua abordagem instalações pop-up que dizia “EraseHunger”, explicada por uma série de pacotes de utensílios de bambu. As pessoas que transitavam pelo local podiam pegar estes utensílios a caminho de comer em feiras de alimentos e mercados ao ar livre. Dentro do conjunto de utensílios havia um cartão que mostrava a localização da Crossroads Community. O cartão incluía uma lista de horários de café da manhã, brunch e jantar, quando a fome viesse para que, assim, recebesse uma refeição gratuita. O propósito é enviar uma mensagem, mesmo que indiretamente, de que as pessoas na cidade estão com fome. Também permite que o destinatário entregue o cartão a outra pessoa que possa estar com fome ou a um sem-teto para que eles possam ser alimentados.

A Crossroads testou a campanha em vários bairros para ver como os nova-iorquinos reagiriam antes de se espalhar para mais de 20 parques e festivais de comida. Gargano diz que os testes obtiveram ótimos resultados, independentemente do tamanho da parcela, que variou de uma pequena exibição de calçada a uma tela de 11 a 20 pés em frente ao Edifício Flatiron. O lançamento mais bem-sucedido da campanha pode ter sido em festivais de comida, diz ela, onde a equipe Crossroads conseguiu interagir não apenas com os nova-iorquinos que podiam entregar cartas, mas com a população com fome que gostariam de colaborar.

Scott Carlton, um diretor criativo e escritor da Saatchi&Saatchi Wellness, que também trabalhou na campanha, diz que o ato de entregar o cartão a alguém que precisa de comida serve como uma maneira de se identificar com o próximo e conectar com a população mais carente de Nova York.”Dar a alguém algo que eles podem usar para se alimentar, ajuda você a se identificar e sentir que somos humanos juntos neste mundo apenas nos ajudando“, diz Carlton.

No primeiro festival de comida em que Crossroads participou, 240 pacotes de utensílios foram retirados em 35 minutos. As pessoas que tiveram contato com pop-up conversaram com a equipe Crossroads, tiraram selfies e discutiram o problema de moradia e a fome em Nova York. “O simples ato de entregar um cartão e dizer: eu vejo vocês e eu me importo com você. Aqui está algo para ajudá-lo, significa mais do que deixar cair um dólar em uma caixa“, diz Gargano. “Todos os que conhecemos que entregaram os cartões foram afetados por esse sentimento, e eles tiveram uma resposta de gratidão. Uma sensação de amor “.

Este engajamento é facilitado ao atrair a fome como uma questão humana em vez de usar imagens de ‘pessoas sem-teto sadias’“, diz Carlton. “A fome é algo com o qual cada ser humano pode se relacionar”. Gargano diz que “a campanha é uma lembrança de que as pessoas na rua são seres humanos reais, não apenas objetos inanimados a serem ignorados ou um problema a ser reservado para outro dia”, finaliza.

Leia Mais
1 2
Página 1de 2