close

Guilherme Crespo

Publicidade

Audi divulga o modelo A8 e o novo filme do Homem-Aranha

CREATIVOS BR – BLOG DO CRESPO – PUBLICIDADE – AUDI A8

Os super-heróis têm cada vez mais o carisma do público em geral. Com uma grande legião de fãs pelo mundo, se tornam protagonistas muitas vezes de filmes publicitários para diversas marcas.

A Audi não perdeu tempo e, a fim de promover seu modelo A8, fechou parceria com a produtora do filme “Spider-Man: Homecoming”, que está prestes a ser lançado no início de julho nos EUA.

No filme, o jovem Peter Parker está passando por um teste para tirar sua carteira de motorista. Ele enlouquece o instrutor utilizando os mais variados itens tecnológicos que o Audi A8 possui. Depois de um percurso, o personagem ainda tem tempo para sair do carro e lutar com bandidos sem ter sua ausência notada.

O filme é da Muhtayzik Hoffe e já conta com mais de um milhão de visualizações no YouTube.

Leia Mais
Vai e vem

Sara Silva é a nova Diretora de Planejamento da F.biz

CREATIVOS-BR-BLOG DO CRESPO-VAI E VEM-SARA FBIZ

A gaúcha Sara Silva acaba de chegar à F.biz para fazer parte da equipe de Renata d’Ávila, CSO da agência. Ex-JWT, a nova Diretora de Planejamento da agência chega com a missão de atender as marcas Jeep e Motorola. “Criatividade e estratégia são resultados da entrega de toda a agência e não de uma área ou outra apenas, e isso combina muito com a forma integrada de trabalho da F.biz”.

Com 17 anos de carreira, Sara é formada em Publicidade e Propaganda pela PUC-RS e pós-graduada em Comunicação com o Mercado pela ESPM-SP e já trabalhou para marcas como Nissan, Claro, Coca-Cola, Guaraná Antarctica, P&G (Always, Gillette), J&J (Listerine), HSBC, Kellogg’s entre outras. Seu objetivo é aprimorar os seus conhecimentos sobre tecnologia e comportamento humano, em processos mais integrados de trabalho.

Leia Mais
Opinião

Ser generalista ou especialista?

duvida

Ouvir os mais experientes é algo que falta aos jovens nos dias de hoje. Talvez por isso há tanta informação que, em vez de ser bem aproveitada para se tornar conhecimento, continua a ser apenas uma informação.

Logo depois que casei, tive um problema com o chuveiro e não sabia trocar sua resistência. Tentei fuçar e apanhei bastante do chuveiro. Liguei para o meu pai e, em tom de desabafo, disse a ele que estava cansado de não saber fazer nada. Foi aí que ele me deu um dos melhores conselhos que já recebi: você deve aprender a ser generalista, e não especialista.

A verdade é que sempre estudei e foquei meus estudos e dedicação naquilo que eu entendia e era bom. Fiz diversos cursos de Redação, minha profissão. Enquanto eu estava focando no mesmo assunto para me tornar uma especialista, outros estavam aprendendo diferentes áreas. Eu estava errado? Não necessariamente. É bom ser especialista, mas no mercado atual – assim como na vida pessoal – o generalista tende a se dar melhor e ter mais oportunidades.

Resolvi então transformar a informação que recebi em conhecimento. Desde então tenho feito cursos diferentes, e estou buscando conhecer outros mundos. Entrei para uma pós-graduação em Gestão de Negócios, me inscrevi num curso de sommelier, tenho lido livros de diferentes assuntos e estou buscando um espacinho na minha agenda e uma graninha no meu bolso para fazer um curso de culinária. Cursos de mecânica básica e “como se virar em casa com problemas domésticos” também seriam uma boa.

Então sejamos mais generalistas do que especialistas. Como disse, não que seja ruim você ser especialista em algo, mas ser generalista lhe ajudará a ser mais versátil, a sofrer menos no dia a dia e conhecer novos e diferentes mundos, além de – por que não – descobrir um novo talento?!

Leia Mais
Opinião

A força das redes sociais

forças

As redes sociais têm cada vez mais importância na imagem de marcas e pessoas. Por meio delas é possível levar uma empresa ao sucesso ou até mesmo ao fracasso. Saber como se portar e que posições tomar é fundamental para que você esteja sempre “de bem” com o seu público.

É verdade também que as pessoas estão mais intolerantes. Não à toa, as redes sociais dão voz e são palco de críticas ou elogios vindos de pessoas de todos os cantos do mundo. Uma opinião endossada por outra pessoa vira bola de neve e os julgamentos refletem em verdadeiras campanhas de ódio.

Uma vez li em um livro, chamado Tudo é Óbvio, que as pessoas tendem a defender aquilo que a maioria defende, como por exemplo em um linchamento. Se você está passando na rua e todos estão falando que a pessoa que está apanhando é um ladrão, você automaticamente a julga como ladrão e entra no linchamento, mesmo sem saber a verdade da história. Lógico que isso é uma tendência do subconsciente, e também não é uma unanimidade, apenas uma tendência.

O mesmo acontece com as marcas. As chances de você odiar uma marca que todos estão criticando são grandes. Quem nunca entrou nas redes sociais de uma empresa e, ao ver muitas críticas, não desistiu de comprar ou adquirir produtos da marca?

Sites como TripAdvisor, Booking e Reclame Aqui são grandes exemplos que vão além das redes sociais e têm papel fundamental na construção das imagens das empresas. São determinantes para você decidir se ficará hospedado naquele hotel, se comerá naquele restaurante ou se comprará o produto daquela marca que atendeu mal o outro.

Fato é que as redes sociais podem se tornar grandes aliadas das empresas se bem administradas. Se comunicar com os críticos, se desculpar quando necessário e se fazer presente nas redes sociais é algo importante para as marcas que prezem pela boa imagem. As redes dão voz ao público, mas também dão voz às empresas, e cabe a elas se posicionarem e aproveitar tão interessante canal de comunicação para estreitar relacionamento com as pessoas.

Leia Mais
Opinião

O que eu aprendi sobre trabalhar fora

CREATIVOS BR – BLOG DO CRESPO – OPINIÃO – MORAR FORA

Trabalhar fora é um sonho antigo de todos, e dos pais de todos. Talvez porque morar fora passe uma imagem de que você venceu, e aparecer “Mudou para Los Angeles” no Facebook pode ser uma tremenda de uma inveja para os amigos. Outros porque acham que vão ficar ricos porque passarão a ganhar em outra moeda, e alguns ainda defendem a ideia de que, se nada der certo, ao menos volta com o inglês afiado.

Pois bem, eu nunca trabalhei fora. Mas não se espante. Tudo o que estou dizendo aqui é baseado em fatos reais de amigos ou de pessoas que deram seus testemunhos em um curso que fiz recentemente.

É verdade sim que o mercado lá fora é concorrido, mas é mentira que é muito mais fácil morar lá fora. Por mais que seu inglês seja fluente, você sempre será deslocado por ser o caipira, e não confiável por ser brasileiro. Entre outros pontos, não ter no sangue a paixão pelos esportes americanos e respectivos times de coração também serão motivos para que você se sinta sempre o patinho feio.

Além da adaptação, os costumes são diferentes. Ouvi dizer que americanos não têm hora de almoço. Buscam lanches ou fazem refeições rápidas na própria mesa de trabalho. Ou seja, dificilmente você terá um momento para relaxar e fazer amigos. Em contrapartida, você sai no horário e sua vida social recebe o devido respeito.

A vida nas agências lá fora é bastante corrida. Com grande número de agências, sobram trabalhos e reuniões de todos os tipos e a qualquer hora. Aqueles momentos de descontração vendo vídeos no YouTube durante o horário de trabalho são raros por lá. Se você estiver ocioso, fique tranquilo que o colocarão em uma reunião.

Outro ponto importante é que, sim, você ganhará em dólar, ou euro, mas lembre-se que gastará na mesma moeda. Logo, o bônus e o ônus se anulam. Todavia, é fato que lá você tem uma melhor qualidade de vida devido à estrutura do país (isso falando de Estados Unidos, mas qualquer país da Europa também segue a regra).

Se você for trabalhar fora pensando que vai mudar de vida financeiramente, desista. Mas se você quer uma nova experiência, conhecer outra cultura ou outra forma de fazer propaganda, ir para fora é o caminho mais que certo para se dar bem.

Leia Mais
Digital

SmartFit bloqueia anúncios calóricos

CREATIVOS BR – BLOG DO CRESPO – DIGITAL – SMARTFIT

Quem nunca se rendeu a um anúncio recheado de bacon ou com um sorvete cremoso estampado não sabe o que é fugir da dieta e correr para o fast-food mais próximo.

Sabendo dessas tentações, a SmartFit, rede de academias, agora conta com a ajuda dos AdBlocks. A extensão F.A.T. Blocker impede que o usuário se depare e se renda aos pecados da gula. Basta instalar a extensão no seu Google Chrome e focar na dieta e nos exercícios físicos.

Mas, da mesma forma que as pessoas deixam a dieta para a próxima segunda-feira, baixar a extensão pode ser uma tarefa facilmente postergada.

Confira o filme da campanha:

Leia Mais
Vai e vem

Livia Marquez é a nova head do YouTube Space

CREATIVOS BR – BLOG DO CRESPO – VAI E VEM – LIVIA MARQUEZ

A ex-diretora de advertising e brand management da TIM, Livia Marquez, estará de casa nova em breve. Depois de passar por 6 anos na operadora, a profissional foi em busca de novos desafios e se deparou com o convite para gerenciar o YouTube Space, mantido pelo Google em diversos países.

Área destinada a desenvolver e apoiar os criados de conteúdo do YouTube, o setor ganha a expertise de uma profissional que respondia pela Comunicação da TIM, e que foi indicada ao Prêmio Caboré em 2010 na categoria Profissional de Marketing.

Leia Mais
Opinião

O dia a dia de um Redator

redator

Empatia é se colocar no lugar do cursor que pisca esperando pacientemente suas ideias serem inseridas em seu espaço. É se preocupar com o tamanho das palavras a fim de que elas se encerrem no final da linha, mantendo assim uma estética um pouco melhor. É separar as orações de maneira justa, terminando cada ciclo ou pausando-o quando necessário for.

A preocupação do Redator em encontrar uma ideia, um assunto ou um tema criativo enquanto os ponteiros do relógio giram se torna texto quando a empatia surge. A criatividade sai do óbvio e se torna única em um mundo onde os redatores buscam, ou simplesmente são obrigados a, falar de assuntos polêmicos do dia a dia ou atender um pedido de um cliente.

Criatividade, na vida de um Redator, é ser diferente, mas sem esquecer a essência, o português correto e as palavras de efeito. O uso de figuras de linguagem é livre, e um texto pode ficar muito mais rico com hipérboles, assonâncias, aliterações, metáforas, é verdade. Mas escolher outro caminho e pensar de pontos de vista diferentes às vezes é muito mais interessante e autêntico.

A essa hora, o Redator – que no início do texto apenas olhava fixamente no cursor piscando – já tem um texto quase pronto. Disse o que precisava, da forma que queria, sem esquecer a língua portuguesa e mantendo a estrutura de um texto bom, com começo, meio e fim.

É neste momento que o Redator conclui o texto, utilizando este último parágrafo como conclusão e encerramento, terminando o texto com uma frase com bastante efeito e densidade, a fim de que todos nós possamos refletir: “droga, nada me veio à cabeça. Vou começar de novo”.

Leia Mais
Mídia

CBF pode realizar feito inédito

seleção

A CBF pode realizar um feito inédito para as transmissões dos jogos amistosos da seleção brasileira de futebol nos dias 9 e 13 de junho.

Desde que a emissora Globo se tornou a principal transmissora das partidas de futebol da seleção canarinho, no século XXI, nunca ficou sem transmitir uma única partida.

Fato é que desta vez as coisas mudaram. E com a recusa da CBF referente aos direitos de imagem dos jogos contra a seleção da Argentina e a da Austrália, abriu-se a oportunidade da entidade pela primeira vez ser responsável pela produção do jogo da seleção brasileira  transmitida via plataforma digitais. Vale ressaltar que a primeira transmissão foi no amistoso da seleção brasileira contra a Colômbia, em homenagem à Chapecoense.

Essa medida vem se popularizando. Na final do campeonato paranaense deste ano entre Atlético PR e Coritiba, os times recusaram a proposta da RPCTV, filiada à Globo, e transmitiram as duas partidas da final pelo Facebook e YouTube.

Caso esta possibilidade se concretize, abrirá uma nova janela de como serão as futuras negociações de direitos de transmissões de partidas de futebol que irão balançar o mercado publicitário.

E para quem quiser acompanhar a partida, os canais de televisão da TV Brasil e TV Cultura estarão disponíveis. Já nas plataformas digitais, é possível acompanhar os jogos pela transmissão via Facebook e também pelo site ou aplicativo da Vivo.

Leia Mais