close

Itamar Peixoto

Vai e vem

Antônio Rodrigues é o novo Diretor de Mídia da FCB Brasil

Antônio Rodrigues é o novo Diretor de Mídia da FCB Brasil – Vai e Vem – Creativos BR

Com passagens pela Young&Rubicam, África e  DPZ&T, Antônio Rodrigues, o novo Diretor de Mídia da FCB Brasil, já atendeu clientes como McDonald’s, Itaú, Brahma, Vivo, Colgate, BMW Group e Walmart.

Antônio iniciou sua carreira na Y&R em 2005, e desde 2012 é membro da Divisão de Integração do Grupo de Mídia de São Paulo. Em 2016, foi ganhador de 05 prêmios de Mídia, sendo dois no Maximídia: “Melhor Estratégia de Mídia e Grand Prix”, uma Prata no EffieAwards Latam na categoria “Media Idea”, e um Ouro e uma Prata no Festival de Media Latam nas categorias “Melhor Estratégia de Comunicação e Melhor Lançamento de Campanha”. Todos com o projeto C&H FoodTruck – McDonald’s.

Leia Mais
Mídia

Certificação de Mídia 2017

Certificação de mídia 2017 – Grupo de Mídia SP – Creativos Br – Mídia

As inscrições para a Certificação de Mídia podem ser feitas on-line (clique aqui) e estarão abertas até dia 29 de setembro. A prova será realizada numa quinta-feira, dia 05 de outubro. A certificação consiste em uma prova realizada pelo Grupo de Mídia de SP em parceria com a empresa Primeira Escolha, especializada na aplicação de testes. Para se inscrever, é necessário preencher todos os dados da ficha de pré-inscrição e pagar taxa de R$ 300 via cartão de crédito ou boleto bancário.  O local da prova será informado após o período de inscrição.

A primeira edição da certificação foi em 2010 e desde então acontece uma vez por ano. Essa iniciativa nasceu com o objetivo de aferição profissional dos conhecimentos técnicos em pesquisa e planejamento de mídia, evidenciando a qualidade de formação do profissional certificado. Vale ressaltar que o certificado não possui prazo de validade.

​Todo e qualquer profissional atuante na área de Mídia, sendo em agência, veículo ou anunciante, poderá participar para avaliar seus conhecimentos. Será aprovado quem acertar no mínimo 70% das questões sobre Mídia. Além de Mídia, a prova também abrange perguntas de lógica e interpretação de dados.

​​Para se preparar para a prova, o Grupo de Mídia SP sugere os seguintes livros:

– Planejamento de Mídia. Autor: Jack Z. Sissors – Lincoln J. Bumba Editora: NOBEL

– Praticando o Planejamento de Mídia. Autor: Jack Z. Sissors – Lincoln J. Bumba Editora: NOBEL

E o curso:

– Módulo Básico de Mídia GMSP – gm.org.br/cursos/detalhes/curso-modulo-basico.

Dúvidas poderão ser esclarecidas pelo email luana@primeiraescolha.com.br, colocando no assunto “Certificação Grupo de Mídia”.

Todas as informações podem ser consultadas no site do Grupo (www.gm.org.br).

Leia Mais
Opinião

Como ter independência (ou morte)

Independência ou morte – Opinão – Creativos BR – Multiprofissional – Empreendedorismo – Comunicador

O conceito de independência, em grego… Os senhores estão anotando? De acordo com o “grande oráculo” da atualidade, Google, as principais definições são:

  1. Estado, condição, caráter do que ou de quem goza de autonomia, de liberdade com relação a alguém ou algo.
  2. Caráter daquilo ou daquele que não se deixa influenciar, que é imparcial; imparcialidade.

Autonomia, liberdade e imparcialidade podem ser a própria independência ou o caminho para chegar até ela. Se você “dormiu no ponto” pode ser que a granada esteja na sua mão, e se deixar essa granada cair, o senhor vai explodir o turno de comunicadores inteiro. Caso o senhor seja do tipo “mimimi”, pede pra sair e nem continue a leitura.

Vou retomar o raciocínio. O “conceito” em questão é sobre independência profissional e se trata basicamente de empreendedorismo na carreira. Creio que não esteja falando grego, empreender é bem diferente de abrir empresa ou startup. É muito possível e viável ter uma atitude empreendedora no local onde está agora, seja ele qual for.

Bom, mas a pergunta que não quer calar é: como ter independência (e não morrer)?

É preciso ter autonomia. Governe-se, seja dono da sua ideia. Vista a camisa preta dos seus objetivos profissionais, você merece. Se posicione, faça mais pela sua profissão do que pelo seu emprego ou empresa. Acredite em você, defenda seus ideais mesmo que isto lhe custe o emprego ou o cliente, você é maior que isso.  Se for o caso, “peça as contas”, demita o cliente. O sistema (capitalista) é foda, mas não se venda.

Seja livre. Faça o que tiver que fazer, mas não seja inconsequente. Arrisque, permita-se errar, mas faça o possível para que isso não aconteça. E se acontecer, tenha humildade, reconheça e cresça. Goze do seu direito de ir e vir. Troque de emprego, mude de casa, abra outra empresa. Se jogue.

Seja imparcial. Jamais confunda feeling profissional com gosto pessoal. Não se abale com uma porta fechada, uma ideia reprovada ou com um NÃO em caixa-alta. A cada derrota, nasça de novo. Se cair dez vezes, levante onze.

Faça mais. Reclame menos. Se disponibilize a fazer mais do que sua obrigação, permita o aprendizado. Sem vitimismo… Acumule funções. Pratique a empatia, seja líder sendo funcionário. Seja funcional mesmo sendo o “dono da p*%#@ toda”. Seja diferente quando for conveniente e clichê quando necessário. Seja a disrupção que você quer ver.

Fique atento às mudanças, escute o mercado. Deve significar alguma coisa ter tantas vagas exigindo o tal perfil “multiprofissional”. Lembre-se, se a granada cair, o senhor vai explodir os seus colegas de profissão, o senhor vai explodir os clientes, o senhor vai me explodir. Estamos todos confiando no senhor.

P.S: Dos reclamões, vulgo “mimimis”, não vai subir ninguém. Nunca serão.

Leia Mais
Marketing

O digital e o ROI

O digital e o ROI – Marketing – Creativos BR

Muitos consumidores americanos nunca compraram após serem impactados por anúncio em uma rede social. Foi o que 45% afirmaram em pesquisa publicada no fim de agosto pelo eMarketer, e realizada pela CivicScience. O estudo teve resposta de pessoas ativas na internet com mais de 13 anos de idade e identificou a baixa taxa de conversão em vendas nas redes sociais.
Segundo o relato divulgado, apenas 1% dos entrevistados efetivou uma compra após ser impactado por anúncio no Snapchat e 4% afirmaram que compraram influenciados por publicidade vista no Instagram. O Twitter apresentou taxa de conversão de 2% e o Facebook, com maior volume, as taxas chegaram a 16%.
Para Rodrigo Tigre, sócio-diretor da RedMas, empresas de soluções de publicidade digital, o momento em que as marcas abordam o público nas redes sociais pede mais conteúdo, assim, sendo inadequado para uma conversão em venda. “São de 3 a 4 minutos que você usa para conversar e se atualizar dos amigos, ver fotos de celebridades e influenciadores. É um momento em que o foco está muito ligado ao conteúdo. Você até pode ver uma coisa interessante de um anunciante, mas acredito que o momento não é o ideal para se fazer uma venda”. Tigre enfatiza que o contexto em que o usuário está inserido e também o device que está utilizando nessa situação pode influenciar.
Segundo André Miceli, coordenador do MBA em Digital da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a diferença está na relevância do anúncio que é entregue. “Continuo acreditando que redes sociais são importantes para o comércio eletrônico. Mas parte dessa conversão depende da qualidade do anúncio”.
Também no final de agosto aconteceu o evento IAB AdTech& Data 2017, que intensificou o debate sobre o consumidor digital em diversas frentes. Em uma delas, Paulo Ramazza, gerente de marketing insights e analytics da Magazine Luíza, contou como a marca tem conquistado resultados expressivos. Ramazza disse que a companhia há três anos testa ferramentas de múltipla atribuição, e ao ser questionado sobre a insistência no “last click”, afirma que essa mentalidade é baseada na dificuldade de romper culturas extremamente apegadas ao ROI, a falta de habilidades em analytics e no medo da mudança. “Audiência de valor é baseado em pessoas, e não em pixels”, afirmou.

Leia Mais
Opinião

Comunicação na medida

Comunicação na Medida – Opinião – Creativos BR

Estamos numa era completamente plural. Temos muitas funções, muitos objetivos e muitas fontes. São tantas facilidades para acessar conteúdo de qualidade, que corremos o risco de nos perder em meio a tanta informação. Temos muitas referências, gurus e “influencers”. São tantas certezas recheadas de dúvidas. Temos muitas opções, muitos canais para comunicar, muitos pontos de contato para estabelecer proximidade. Temos muitas ideias.

O consumidor tem poder. A verdade é que sempre teve e a diferença é que agora ele sabe disso e tem voz ativa. A Diretora de serviços, customer success e vendas da Scup, Juliana Vital, também afirma que estamos na era do empoderamento do consumidor. Para ela, o consumidor agora é multicanal e para as marcas conseguirem estabelecer boas relações com esse novo perfil comportamental precisam de uma comunicação constante e positiva, independentemente do canal.

São diversas inovações tecnológicas, muitas delas capazes até de gerar mudança em hábitos. Diante desse cenário com informações acessíveis e concorrência acirrada, as marcas que visam ter destaque precisam estar atentas ao que os clientes mais do que pedem, gritam: querem um bom atendimento, uma boa experiência.

Para se ter uma ideia da negligência corporativa quanto às preferências dos consumidores, uma pesquisa recente realizada pelo Centro de Inteligência Padrão (CIP) levantou como as empresas disponibilizam seus canais de relacionamento e os níveis de satisfação dos clientes relacionados a cada um deles. O telefone tem a prioridade com taxa de 100% de adesão das empresas e conta com 79,2% de satisfação. Parece satisfatório, mas não é. Levando em conta que o chat é um canal que as empresas dão menor valor (60,1%) e dentre os atendimentos nessa plataforma (e nas redes sociais) mais de 90% são satisfatórios para seus clientes.

Os números dessa pesquisa tendem a dizer que as marcas não estão adaptadas às novas necessidades de comunicação dos consumidores. Por mais que apontem para um canal ou outro específico, o fato é que os consumidores são cada vez mais plurais, mais multicanais e precisam ser bem atendidos por todos os canais. E viva a pluralidade.

Leia Mais
Mídia

Nova embalagem de Tang é feita com foto de consumidores

Nova embalagem de Tang é feita com foto de consumidores – Mídia – Creativos Br

Seguindo uma linha bem humanizada, a Tang (marca de bebida em pó) estampará consumidores reais em momentos em família nas suas embalagens. Em continuidade a campanha “Somos feitos em casa”, a promoção “Álbum de família” foi criada em meados de março/abril e, através de uma ação digital, mais de 4 mil consumidores enviaram fotos retratando situações e modelos diversos de famílias.

A curadoria selecionou 110 fotos levando em consideração a história por trás da imagem, além da provável qualidade de impressão. O gerente de marketing da Tang, Felipe Pedrolli, afirma que a marca se preocupa com a essência ao dizer: “Tang enxerga as famílias como uma personificação do nosso posicionamento, uma demonstração dos momentos genuínos que apoiamos. Para a marca, era importante que não fossem apenas fotos, e sim imagens que retratassem um contexto de conexões verdadeiras”.

A marca possui grande participação no mercado nacional, e segundo Nielsen dez/16, chega a mais de 43% de share. Para viabilizar essa ação contou com parceria da HP, Camargo Embalagens e Inapel no processo de produção. Segundo Pedrolli, a impressão digital permite fazer da embalagem um veículo de comunicação com potencial para gerar engajamento e maior conexão da marca com o consumidor.

A estratégia foi criada pela agência Talent Marcel, a operação da promoção pela B/Ferraz e a identidade visual é assinada pela agência Narita Design.

Leia Mais
Marketing

Ovos Mantiqueira faz ação de oportunidade com João Doria

Ovos Mantiqueira faz ação de oportunidade com João Doria – Marketnig – Creativos BR – Blog do Crespo

Há mais ou menos uma semana, o prefeito de São Paulo, João Doria, teve a cabeça como destino final de um ovo em Salvador. O caso foi filmado e teve grande repercussão na internet. Até que uma postagem elaborada pela agência 11:21 deu início a uma ação social para a marca de ovos Mantiqueira.

No desenrolar dessa história, o prefeito negociou com a marca de ovos para uma doação significativa para os moradores de rua da capital paulista. Levando uma doação de 10 mil ovos, gravou vídeo em reposta ao fato. Segundo Gustavo Bastos, fundador da 11:21, foi preciso agilidade para aproveitar a oportunidade. Além da sequência de eventos que se encaixaram, Bastos diz que o cliente foi rápido na aprovação e mais ainda na resposta.

O caso, além de “postagem patrocinada”, teve polêmicas e muitos memes. Vale refletir que duas marcas, uma privada e uma pública (figura pública), valeram-se de uma oportunidade nascida numa adversidade, que refletiu numa grande audiência.

 

Leia Mais
Vai e vem

Icaro Doria é o novo CCO da agência global Arnold Worldwide

Icaro Doria é o novo CCO da agência global Arnold Worldwide – Vai e Vem – Creativos BR – Blog do Crespo

Icaro iniciou carreira no Brasil, mas foi nos Estados Unidos que se consagrou. Segundo o relatório de premiações do AdAge, Doria foi o redator mais premiado da indústria em 2005. Teve destaque atuando como Diretor Criativo da Saatchi & Saatchi Nova York, e passou também por grandes agências como Y&R e Goodby, Silverstein & Partners.

Liderou a campanha da Coca-cola na Copa do Mundo de 2014, quando retomou ao Brasil para abrir escritório da Wieden + Kennedy em São Paulo. Atualmente é CCO da DDB Nova York, agência que o levou de volta ao país, e a partir de setembro tomará posse do mesmo cargo na Arnold Worldwide.

Em sua nova jornada liderará o departamento de criação dos escritórios de Boston e Nova York. Pam Hamlin, Ceo da Arnald Global, enxerga Icaro como “líder de negócios criativos” e afirma que trará consigo uma perspectiva internacional bem-vinda a agência. Icaro que se diz desde adolescente um observador avido da cultura estadunidense terá oportunidade de evidenciar seu talento com marcas como Progressive, Hershey’s, Jack Daniels e CenturyLink.

Leia Mais
Opinião

Não foque em resultados

Não foque em resultados – Opinião – Creativos Br – Blog do Crespo

É isso mesmo, não foque em resultados. Tê-los como objetivo principal pode ser cruel com você mesmo que está por trás dessa missão. Se a “perfeição” é a meta, não atingi-la será frustrante. Além de que, a busca frenética por resultados poderá ser desumana, considerando o nível da entrega pessoal necessária para tal realização, extrapolando horários que qualquer profissional trabalharia com satisfação.

Defendi por muito tempo (e trabalhei nesse molde) o foco em resultados, sem considerar a “hipótese” de que somos humanos e, como todo bom humano, passíveis ao erro. Não é necessário ser bom o bastante ao ponto de não se permitir errar. Erros acontecem, nas melhores e piores famílias, com os melhores e piores profissionais, e se o foco é o resultado isso será uma fatalidade, sendo que a pior acusação é a sua própria de achar que não é bom o suficiente por ter pecado logo naquele errinho “simples”, logo você que se dedicou tanto.

Talvez isso seja uma transição.  Complemento a frase do título: não foque em resultados, foque ativamente em crescimento. Os erros e acertos são fatos que acontecem e acontecerão com todos, a diferença é como nos posicionaremos diante deles. Encare o erro como uma crise e lembre-se que na crise estão as melhores oportunidades. No erro está a melhor oportunidade de crescimento. Não ignore o erro, aprenda com ele, cresça com ele.

Sequências de erros, explicações e discussões com a minha fonte de inspiração vem me fazendo perceber que as justificativas podem servir para terceirizar a culpa com as circunstâncias, afinal somos muito bons para errar daquela maneira, certo? Errado, somos bons o suficiente para reconhecer as falhas e convertê-las em sucesso. Talvez esse seja o verdadeiro sentido de humildade.

Foque em crescimento e terá resultado como consequência. Pra profissão e pra vida.

Leia Mais
Marketing

Campanha da 3 Corações destaca o amor ao café

Campanha da 3 Corações destaca o amor ao café – Marketing – Creativos BR – Blog do Crespo

Dizem que o café é paixão nacional e historicamente falando tem lá a sua grande importância na nossa economia. O tal cafézinho se faz presente na vida de estudantes, profissionais, jovens, idosos, homens e mulheres. E por falar em amor, o Café 3 Corações anuncia uma campanha onde evidencia todo o sentimento que a companhia tem pelo café.

Os  comerciais lançandos transmitem o cuidado e a paixão que a marca tem pelo café através da história de anjos produtores que acompanham a produção desde o grão até a mesa da famlília pra garantir a safisfação com  a qualidade, aroma e sabor. A campanha veio quente com super produção e alto investimento de mídia para reforçar o posicionamento “Sabor que Apaixona”. Assinada pela Mullen Lowe e dirigida por Carlos Manga Júnior, dá continuidade a última campanha veiculada.

Roberta Prado, Head de Marketing do Grupo 3 Corações afirma que a marca carrega o amor em seu nome e paixão pelo café em seu DNA. Para que esse amor chegue até o target, o plano de comunicação integrará diversos meios incluindo TV aberta, plataformas digitais, mídia externa e pontos de venda. A primeira fase da campanha foi lançada dia 23 de julho no intervalo do Fantástico.

“A ideia para esta campanha veio da própria história de 3 Corações. O cuidado e a dedicação em oferecer o melhor café é contagiante e o amor com que eles vivem diariamente esta jornada foi a melhor inspiração para nós”, afirma José Henrique Borghi, co-CEO/CCO da MullenLowe Brasil.

Leia Mais
1 2 3
Página 1de 3