close

Leticia Botelho

Conteúdo

As marcas estão jogando

Engana-se quem pensou que as marcas não poderiam se aproveitar do mundo dos games para acompanhar os consumidores. Esta relação está crescendo e se tornando cada vez mais forte.

De acordo com dados levantados pelo Datafolha em pesquisa encomendada pelo Game Show Brasil, os gamers brasileiros já somam mais de 70 milhões. Segundo a PGB (Pesquisa Game Brasil), os usuários deste universo são representados pelo público adulto, com idade entre 25 e 30 anos e podem passar até 3 horas jogando. Dadas estas informações, podemos compreender a importância deste espaço para a publicidade

As ativações de marcas dentro dos games reforçam a potencialidade desta mídia e é mais uma das formas do anunciante fortalecer a sua presença em diferentes contextos, adequando a sua comunicação ao consumidor. 

Fonte: Dimensão Geek

Recentemente, O Boticário fez sua estréia no mundo dos games inaugurando uma loja no Avakin Life, jogo que propcia ao usuário a oportunidade de criar um avatar e uma segunda vida. Entre os dias 16 e 22 de março, dentro do jogo, a marca ganhou um espaço na “Praça Brasil” e realizou uma série de ações possibilitando que os jogadores resgatassem recompensas e participassem de atividades por meio de pontos. Os usuários ainda poderiam adquirir produtos da marca, como maquiagens e perfumes, e ainda contavam com a assistente virtual, Thaty, responsável por explicar como iriam funcionar as missões. Ao final do período de ativação, a marca promoveu uma festa na piscina, aberta a todos os jogadores do Avakin Life. 

Fonte: B9

O McDonald’s também se aventurou neste universo, mas os escolhidos da vez foram o famoso Minecraft e o clássico The Sims. As duas novas unidades virtuais carregam o visual semelhante ao Méqui 1000 – loja comemorativa inaugurada na Avenida Paulista. Entretanto, o restaurante do Minecraft será funcional e os jogadores podem encontrar no jogo um QR code que, ao ser escaneado, levará o usuário ao McDelivery. Enquanto no The sims, os jogadores  conseguem posicionar o Méqui 1000 na região escolhida para morar com seu personagem.

Jogo Fortnite | Android | Dispositivos Samsung Galaxy | Samsung BR
Fonte: Samsung    

Em 2019,  a Samsung também se uniu ao Fortnite, mas por uma boa causa: o combate ao cyberbullying que acontece dentro do universo com participantes que utilizam a Skin – itens pagos e não transferíveis de customização, como roupas e movimentos, classificados como cosméticos  –  básica fornecida pelo jogo. A ação da marca, intitulada de “Antibullying Skin”, distribuiu trajes Glow para jogadores usuários de aparelhos da linha Galaxy, estes poderiam doar o item a outros usuários do Fortnite. 

Os games, por sua capacidade imersiva, podem aumentar – e muito – a lembrança de marca e mídia espontânea de um anunciante e, cada vez mais, as marcas estão ocupando este ambiente

Que belas jogadas, hein! 

Fontes: Propmark, Meio e Mensagem, Brasil Game Show, Drops de jogos, Portal Popline, Uol, CNN Brasil, Promoview, B9, Dimensão Geek, Samsung

Leia Mais
Conteúdo

Tendência para 2021: brand safety, o que é e qual a sua importância?

Na era digital, onde qualquer coisa se espalha rapidamente, a reputação de uma marca pode ser manchada em segundos e, em alguns casos, levar tempo para se restabelecer.

O digital já faz parte das estratégias de comunicação de muitas marcas, e uma ferramenta muito usada para a compra deste espaço é a mídia programática. Com este recurso, um software, baseado em diretrizes de segmentação, é o responsável por escolher onde as campanhas serão veiculadas. 

Um estudo elaborado pela Shape the future latam sobre marketing, negócios e inovação, apontou o brand safety como uma das tendências para 2021.

Mas o que é brand safety?

Para garantir a segurança reputacional da marca, o Brand safety – traduzido para o português “segurança da marca” –  consiste em uma série de precauções que um anunciante deve tomar antes de expor a sua imagem no ambiente digital. Esses cuidados garantem que a marca seja exposta em um contexto seguro, longe de espaços que estejam associados a discursos de ódio, fake news, conteúdo adulto, entre outros. 

Não estar atento ao brand safety pode fazer com que uma marca, além de danificar a sua imagem reputacional perante os consumidores, perca competitividade em relação aos seus concorrentes, os investimentos também podem ser perdidos, uma vez que o dinheiro já foi aplicado na compra daquela mídia.

E quais são esses cuidados?

O brand safety está diretamente ligado à automação na compra de anúncios em mídia online, ou seja, a mídia programática. Por se tratar de uma veiculação automatizada o anunciante não possui o controle total de onde a sua imagem será exposta, porém é possível se prevenir tomando alguns cuidados, como:

  • Listar os sites nos quais a sua marca não deve aparecer;
  • Utilizar a categorização de assuntos e palavras-chaves para bloquear espaços que possam danificar a reputação da marca;
  • Possuir uma gestão que esteja atenta aos locais aos quais o anunciante está exposto, para que assim, as decisões sejam tomadas mais rapidamente em caso de necessidade;

Garantir o brand safety é de extrema importância para uma marca, afinal, a sua reputação é o que gera competitividade no mercado.

 

 

Leia Mais