close

Quezia Lira

Publicidade

Famosos vazam conteúdo sensível no Instagram em prol da saúde mental

Em ação idealizada pela ONG CVV, famosos publicam vídeos marcados como “conteúdo sensível” para conscientizar o público sobre suicídio e saúde mental

Os conteúdos sensíveis do Instagram ganharão um novo significado a partir desta sexta (10) – dia mundial de prevenção do suicídio -, quando dezenas de influenciadores como Sabrina Sato, Ana Maria Braga, Juliana Paes e Lumena Aleluia publicarão vídeos de 40 segundos marcados como sensíveis em suas contas na rede social. Assim que o vídeo começa, o público é surpreendido com uma mensagem: (…) precisamos parar de cuidar da vida dos outros e começar a cuidar uns dos outros – como vai você?

A ação é fruto da campanha “Conteúdo Sensível”, do CVV (Centro de Valorização da Vida), ONG que atua de forma voluntária e gratuita na prevenção do suicídio e promoção da saúde mental. O objetivo da guerrilha digital é promover reflexões sobre o ódio nas redes sociais, a importância da conversa e da escuta ativa para a prevenção do suicídio e a manutenção da saúde mental, além de atrair mais voluntários para o CVV.

Conteúdos sensíveis são, geralmente, de cunho sexual ou violência e rapidamente são marcados pelos algoritmos das próprias plataformas. De acordo com o idealizador da campanha, Eduardo Cabral (WMcCann), esses conteúdos “vazados” engajam mais do que mensagens importantes como a da ONG. “Hackeamos a rede para conseguir um recurso raro: a atenção das pessoas. Quando um vídeo sensível parte de uma celebridade, gera curiosidade. Usamos esse gancho de atenção para difundir nossa mensagem sobre saúde mental”, conclui. Eduardo trabalha com um coletivo de publicitários e jornalistas voluntários que idealizam as campanhas de setembro amarelo do CVV há 3 anos.

Segundo João Victor Lovise (SunsetDDB), criativo do coletivo, “A ideia de vazar o conteúdo sensível em grandes contas foi ganhar a pauta de inúmeros veículos, afinal, o que a Sabrina Sato ou Evaristo Costa podem ter publicado que feriu a política do Instagram?”- a ideia da ação é reter atenção para a mensagem da ONG e promover o thumbstop sobre a importante pauta e missão da ONG.

Para Talita Mendonça (Vegas), que atua nas campanhas há 3 anos consecutivos e está sempre em contato com os influenciadores, complementa, “Os maiores nomes da internet sentem a necessidade de falar sobre o tema ao ponto de, perto de Setembro quando ainda não os procuramos com nossa dinâmica do ano, eles nos contatam para saber como será a ideia deste ano para alertar a sociedade sobre esse importante tema. Sentimos a importância do nosso trabalho dessa forma.”.

No mundo, uma pessoa comete suicídio a cada 40 segundos. No Brasil, uma pessoa tira a própria vida a cada 45 minutos. Em 2020, o CVV recebeu mais de 3 milhões de ligações de pessoas em vulnerabilidade emocional. Quando comparado a 2019, o número é 5% maior em 2020.

Link: https://www.instagram.com/p/CTpDFLPj75d/

Ficha técnica dos voluntários 2021 / #ConteúdoSensível
Concepção & Produção: Eduardo Cabral, João Victor Lovise, Talita Mendonça, Mariana Muller, Bruno Simões e Giovanni Pavan
PR: Caroline Cabral e Silvia Rossetto
Apoio: AnaLu Garcia, Matheus Canto, Eric Surita, Will Marinho e Fellini Conti

Como se tornar um voluntário do CVV?
Pessoas precisam de pessoas e o CVV está aberto para quem deseja oferecer uma conversa empática, sem críticas e julgamentos. Para ser voluntário, basta fazer a inscrição no site: cvv.org.br. É necessário participar de um curso gratuito preparatório para os atendimentos. Os pré-requisitos são: ter 18 anos ou mais e vontade de realizar um trabalho voluntário.

Sobre depressão, transtornos mentais e outras causas do suicídio
90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos se pudermos falar sobre;
Segundo dados do IBOPE, o suicídio ao redor do mundo está em queda, mas o Brasil surge na contramão do movimento global. De acordo com levantamento feito em 2019, o suicídio cresce no País, principalmente entre jovens. Hoje, um brasileiro comete suicídio a cada 45 minutos. Ao ano, em média, 11 mil pessoas tiram a vida no País;
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), jovens entre 15 e 24 anos compõem o maior grupo de risco de suicídio, sendo a segunda causa morte de jovens ao redor do mundo. O relatório aponta também que é crescente o risco entre crianças de 5 e 9 anos;
Também de acordo com a OMS, a depressão é a principal causa do suicídio no mundo, seguido pelo uso de álcool e drogas;
As redes sociais compõem um dos ambientes mais favoráveis para o desenvolvimento de gatilhos para a depressão. De acordo com o estudo da Royal Society for Public Health, cerca de 70% dos jovens revelaram que aplicativos de redes sociais fez com que eles se sentissem pior;

Saúde mental & isolamento social
De acordo com um estudo feito pela consultoria Eureca – The Truth – 70% dos jovens brasileiro tiveram piora na saúde mental por causa do isolamento social;
Uma pesquisa da Associação Brasileira de Psiquiatria mostra que 89,2% dos profissionais entrevistados destacaram agravamento de quadros psiquiátricos nos pacientes devido a Pandemia;
O aumento de pacientes novos, que nunca haviam apresentado sintomas psiquiátricos, foi relatado por 67,8% dos psiquiatras.

Sobre o CVV
O CVV presta serviço voluntário e gratuito de prevenção do suicídio e apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os mais de 3 milhões de atendimentos anuais são realizados por 4.200 voluntários em mais de 120 postos de atendimento pelo telefone 188 (sem custo de ligação), ou pelo www.cvv.org.br via chat, e-mail ou carta. A entidade realiza também ações presenciais, como palestras, Curso de Escutatória e grupos de apoio a sobreviventes do suicídio – GASS (https://www.cvv.org.br/cvv-comunidade/), frentes essas que geraram 2,8 milhões de contatos em 2019. O CVV é uma entidade financeira e administrativamente independente, mantendo-se por meio de doações de pessoas físicas e jurídicas – para colaborar, acesse https://www.cvv.org.br/colabore.

Saiba mais em: https://www.cvv.org.br/

Leia Mais
Conteúdo

Feedback nos ambientes corporativos

Muitas vezes, nas redes sociais, existem informações sobre o retorno que determinado investimento financeiro irá trazer a uma instituição/empresa, a resposta de uma entrevista em um IGTV ou a reação do público a uma postagem de algum famoso/influencer. Mas, todas essas situações englobam uma palavra muito conhecida e de grande importância: o feedback.

Em mínimos detalhes, o significado de feedback ao se pesquisar no Google é “informação que o emissor obtém da reação do receptor à sua mensagem, e que serve para avaliar os resultados da transmissão”, então, nada mais é o retorno que as suas ações trazem para você e para os outros.

Ele é um importante meio para avaliar a trajetória, aprimorar competências, habilidades, aprender novas técnicas de trabalho, se comunicar bem com todos da equipe e, também, é um ótimo meio de medição do desempenho.

Quando feito de maneira correta e com constância, tanto pelos gestores como colaboradores, pode motivar todos a ter uma comunicação mais simples, direta, saudável e, consequentemente, aumentar a produtividade da empresa.

Mas, para colocar isso em prática e conseguir alcançar todos os objetivos vistos anteriormente, vamos ver quais os tipos que você pode utilizar:

  • Feedback positivo

Só pelo nome a gente já entende qual é. Brincadeiras à parte, esse tipo de retorno é o mais aguardado e desejado por todos. Apesar de parecer uma exaltação das qualidades, ele na verdade tem o objetivo de mostrar aqueles comportamentos que esperamos que sejam repetidos.

Saber e entender em quais etapas o desempenho foi melhor é importante para entender que esse caminho deve ser seguido, ou seja, que “você está indo no caminho certo”.

  • Feedback corretivo

Quando ouvimos esse tipo de feedback geralmente já esperamos a sua carga pesada e difícil de ser escutada. Esse é o mais complicado de se dar e de receber, pois é necessário muita empatia e sensibilidade para apresentar ao outro a sua opinião sobre o trabalho dele.

Esse tipo de retorno possui muito impacto quando é recebido e mostra os pontos que precisam ser mudados ou os comportamentos que necessitam ser modificados para uma melhor convivência entre as partes e, também, maior produtividade.

Isso não significa que, caso ele seja dado, todo o seu trabalho seja ruim, mas que nos pontos citados precisa-se de um aprimoramento.

Além disso, pode-se realizar técnicas para que se tenha essa conversa, por exemplo: iniciá-la falando sobre os pontos positivos, citar os pontos de melhoria (retorno corretivo) e terminar com um elogio. Assim, além de amenizar o clima, pode evitar comentários repetitivos (como uma listagem de todos os pontos que precisam de melhoria).

 

Vale ressaltar, também, que esses feedbacks podem ocorrer de várias maneiras como uma autoavaliação, uma resposta direta do seu líder/equipe ou de todos que fazem parte do processo produtivo da empresa.

Dessa forma, é sempre importante que ele aconteça regularmente porque só dessa forma o seu ambiente corporativo pode estabelecer uma melhor relação entre todos e obter um desempenho satisfatório.

Então, depois de conhecer e entender todos os tipos de feedback, que tal implementá-lo no seu negócio? Faça uso dele com sabedoria e você terá muito sucesso.

Leia Mais
Conteúdo

A importância da embalagem: 3 dicas para você alcançar o sucesso

Quem já comprou um livro pela capa, sabe como é difícil escolher apenas um produto em uma loja!

Quando entramos em um estabelecimento sempre observamos qual produto valerá mais a pena, seja pelo valor, pela quantidade ou até por apreço a uma determinada marca. E, por isso, podemos inconscientemente comprar o produto apenas pela embalagem.

Isso acontece porque os diversos formatos, cores, materiais utilizados, facilidade de uso etc fazem com que os consumidores escolham por aquele que mais o agrada, como se aquele produto fosse feito especialmente para ele.

Em uma visão mais mercadológica, a embalagem do produto é o primeiro contato que o consumidor tem com a sua marca e é ela que pode impactar as vendas do seu negócio.

Então, para que você alcance seus clientes de maneira mais eficiente e consiga conquistar o coração deles, vamos a 3 dicas para te auxiliar nessa caminhada.

1- Crie uma conexão com seu cliente

Qual a cor ou as cores que seus clientes mais apreciam na sua marca? Quando elas pensam em segurança, estabilidade ou diversão e facilidade, é com a sua marca que elas se identificam?

É preciso conhecer muito bem o público com o qual está se conectando e quais os sentimentos que se quer passar. Esteja atento aos feriados ou épocas do ano que possam chamar a atenção dos seus clientes para sua marca.

2- Traga informações

Apesar da embalagem em si chamar atenção pela cor ou formato, textos como dicas ou quais os objetivos daquele produto também são importantes para criar a conexão dita anteriormente.

3- Pense no design

Depois de entender o cliente e criar o seu produto deve-se atentar ao fato que ele precisa chegar às mãos do seu consumidor. A embalagem deve ser segura, capaz de suportar o tempo de transporte e acondicionamento e ser fácil de usar.

Não adianta seu produto ter a melhor cor ou ser um produto inovador, mas quando ele chega ao cliente ele está vazando ou está amassado e, no pior dos casos, difícil de ser usado. Todo o processo é importante, desde a criação até a entrega.

Vale lembrar que este é um mercado bem competitivo, assim, é de extrema importância que tudo seja pensado nos mínimos detalhes porque é o produto que irá passar o que a sua marca propõe para os seus clientes e irá criar uma conexão com eles.

Este processo pode demorar um pouco dependendo do tamanho que é sua empresa, mas não desista! Grandes marcas demoram para crescer e se estabelecer no mercado, então pense em todos os detalhes com calma e boa sorte!

Leia Mais
Publicidade

Vídeo Mapping: Aposta para o futuro

Imagine que você está olhando para um prédio e de repente as paredes mudam de cor e mostram objetos, pessoas, nomes etc. Isso é o vídeo mapping.

E, antes de explicar e mostrar o porquê dessa ferramenta ser uma aposta para o futuro, precisamos entender o que é essa técnica.

Chamada também de projeção mapeada, o mapping é um recurso que projeta conteúdos audiovisuais em diferentes superfícies, ou seja, tudo que será projetado terá o formato que o prédio e suas paredes possuem, por exemplo.

Ele pode ser usado para diferentes eventos e, também, por instituições de forma que venha a impactar o seu público de maneira criativa e envolvente.

Além disso, essa técnica possui muitos recursos como:

  • Experiência única para impressionar o público, uma vez que muitas pessoas são impactadas pelas projeções, no qual elas tiram fotos e fazem vídeos, viralizando o evento.
  • Grande potencial para envolver o público com a sua marca, uma vez que essa técnica não é muito utilizada por outras empresas.
  • Flexibilidade para criar projetos em diferentes superfícies, espaços e formatos.
  • Facilidade de realização – é claro que aqui se encaixa projetos com baixa complexidade.

Assim, como vimos, há muitos benefícios de se usar a técnica do vídeo mapping e pode ser usada por diferentes empresas e ramos, desde restaurantes, até o próprio governo.

E, apesar de não ser um recurso novo, ele ainda não se faz tão presente em muitos lugares, então, que tal refletir e levantar novamente essa opção para o mundo publicitário?

Leia Mais
Conteúdo

Vídeos na publicidade: 3 canais para você se inspirar

Quantos vídeos você já viu hoje? Aposto que conhece todos os aplicativos que contém vídeos como TikTok, Instagram, Kwaii, YouTube, entre outros.

Segundo a Kantar IBOPE Media, o Brasil se destaca no consumo de vídeo quando relacionado à média global. Assim, a nova onda dos vídeos se tornou tão grande que cada vez mais as marcas investem nessa ferramenta, seja pela facilidade ou pelo retorno que eles trazem.

Além disso, o uso dos vídeos possibilita várias oportunidades como mostrar o uso do produto, as cores, envolver os clientes sobre os benefícios e qualidades do serviço e prender a atenção do consumidor.

Devido a isso, muitas formas de vídeo se tornaram famosas, como a repetição de danças, as receitas rápidas/dicas de estudo e até vídeos mais longos com conversas e debates no IGTV.

E, se você se interessou e quer começar a fazer algum vídeo para o seu canal ou perfil, vou dar alguns exemplos para que você possa se inspirar!

  • Niina Secrets

De uma maneira descontraída e divertida, ela testa produtos de beleza, traz tendências sobre este mercado, além de contar um pouco da sua vida por meio de vlogs.

  • Thoraya Maronesy

Com perguntas e questionamentos sobre a vida e sentimentos das pessoas, Maronesy traz histórias e reflexões que podemos fazer durante a nossa vida.

  • TPM por Ju Ferraz

Não podíamos esquecer da comida! Brincadeiras à parte, o perfil da Ju mostra um pouco de receitas, experimentação de pratos de diversos restaurantes e fast foods (que muitos amam). Vale a pena dar uma olhadinha e se divertir com as histórias dela!

Bom, existem muitos outros perfis que poderiam entrar nessa lista e te inspirar ainda mais a utilizar essa ferramenta, faça uma pesquisa sobre os temas que você mais gosta e te faz sentir mais à vontade e aproveite a onda dos vídeos nas plataformas para fazer muito sucesso!

Leia Mais
Conteúdo

Música e publicidade: conexão perfeita para o seu negócio

A música está presente em quase todos os lugares que vamos, seja um vizinho que sempre deixa o som ligado, aquela música de fundo quando estamos estudando e até na publicidade, que com certeza não ficaria de fora.

Fazendo uma pesquisa no Google sobre ‘o que é música’, ele nos informa que é “uma combinação harmoniosa e expressiva de sons”, mas será só isso?

Quando assistimos a filmes ou séries a trilha sonora é quase obrigatória em todos eles, certo? Mas por que isso acontece?

A música tem a habilidade de alcançar pensamentos e sentimentos que, muitas vezes, não conseguimos explicar, então ouvimos, assimilamos seu conteúdo e criamos um sentimento com relação a ela. Por isso é tão comum vermos nas publicidades e propagandas o uso das músicas.

Assim, se você, que tem a sua empresa ou pequeno negócio quer investir nesse item para alcançar de forma eficiente o seu público, darei algumas dicas e exemplos para você possa alcançar o seu objetivo. Vamos lá:

  • Entretenha o seu público.

Quando se está assistindo algo queremos ser entretidos por ele. Se o seu objetivo é impactar ou emocionar o seu público, não faz sentido colocar uma música animada. Você deve criar uma conexão com eles de forma simples, mas eficiente.

Um bom exemplo é o filme publicitário do Bradesco #VolteABrilhar que trouxe a música Heal the World do Michael Jackson. É uma canção simples, mas que traz uma mensagem de paz e tranquilidade para os seus ouvintes.

  • Pense antes, realize depois.

Quando vamos tirar uma foto, nós escolhemos a melhor roupa, maquiagem, posição da câmera, o local e depois tiramos a foto, não o contrário.

Com a sua publicidade não é diferente: Pense no gênero musical que melhor se encaixa no vídeo, qual o momento que as pessoas devem prestar mais atenção. Verifique se a letra combina com a ideia na qual sua marca quer passar e faça testes com outras músicas também – isso requer um maior investimento tanto financeiro quanto pessoal -.

Outro exemplo é o comercial do McDonald’s #DriveDoMéqui. A música utilizada se chama Esquema Preferido dos Barões da Pisadinha. Analise como a ideia do ‘esquema preferido’ se encaixa perfeitamente com a ação de comer um dos lanches do McDonald’s (dá até vontade de pedir um depois de assistir).

  • Conheça o seu público

Pode ser repetitivo, mas essa fase é a mais importante. Entenda os gostos do seu público. Eles conhecem esse gênero musical, estão acostumados com ele? Qual a profissão e idade dessas pessoas? Você irá selecionar apenas seus clientes ou um público geral?

Essa é uma área um pouco mais difícil de acesso porque as pessoas possuem gostos muito diferentes e, ainda bem, assim você pode testar cada vez mais.

A Billboard Hot 100, por exemplo, é uma tabela de quais músicas lançadas fazem sucesso na semana e, também, pode ser uma forma de entender qual o gosto do público em geral.

Assim, existem muitas músicas disponíveis no mundo e em diversas plataformas, analise as opções disponíveis, verifique se ela se encaixa com a sua marca e boa sorte!

Leia Mais
Vai e vem

b.drops inicia novo projeto em barbearias tendo Johnnie Walker como seu primeiro patrocinador fundador

Novo produto da b.drops, o b.drops barber, estreia em junho com 200 telas em barbearias de São Paulo e Rio de Janeiro

A b.drops, empresa de mídia ooh, está lançando um novo projeto. Intitulado de b.drops barber, a empresa levará suas telas para dentro das barbearias com um canal produzido especialmente para o público masculino. Toda a programação será focada em temas que prendem a atenção do público, como esportes e entretenimento. Além disso, o conteúdo da programação será produzido entre produção própria e grandes parcerias, modelo que já é sucesso no canal feminino.

Felipe Viante, diretor de expansão da b.drops, diz que o mercado de barbearias vem crescendo exponencialmente, assim como todo o segmento da beleza. “Foi realizado todo um estudo sobre o mercado de barbearias antes de iniciar esse projeto. Os homens têm se tornado cada vez mais vaidosos e frequentando cada vez mais os ambientes de beleza”. Segundo pesquisas, 54% dos homens afirmam que frequentam regularmente as barbearias, além de 30% do faturamento do mercado de beleza vir do público masculino.

A carência de comunicação entre a barbearia e seus clientes também foi um ponto importante na implementação desse projeto. “Assim como os salões de beleza, as barbearias possuem uma gama de serviços e principalmente produtos que muitas vezes os clientes desconhecem, as telas dentro destes estabelecimentos ajudam a divulgar estes produtos e aumentar o ticket médio.”, afirma Felipe.

Para implementar o projeto a b.drops buscou oportunidades com as marcas. Johnnie Walker é a primeira marca a garantir uma cota como patrocinadora fundadora do projeto. “Estamos animados com essa parceria que vai nos proporcionar a oportunidade de conversar de perto com esse público; a ideia é aproveitar o espaço para disponibilizar vídeos que vão desde o passo a passo para elaboração de drinques até os tipos do destilado e suas diferenças”, comenta Marco Frade, head de mídia, digital e CRM da Diageo Brasil, Uruguai e Paraguai. Além da cota fundador, o novo canal está aberto a projetos especiais que possam surgir, de acordo com as necessidades dos anunciantes, como projetos 360º que englobam mídia, branded content e ativações no local.

Com telas em mais de 800 salões de beleza, a b.drops agora está presente também em barbearias, levando conteúdo e informação relevante.

Imagem de divulgação – Barbearia Ione Sena, recém instalada

Sobre a b.drops

A b.drops é um canal de TV exibido exclusivamente em salões de beleza com o objetivo de levar conteúdo relevante e inteligente para mulheres em um momento de descontração e bem-estar. A empresa já é líder do segmento e está presente nos maiores e melhores salões do Brasil.

Leia Mais
Opinião

QR Code: perdeu o brilho ou faltou engajamento?

Quase sempre vemos durante as publicidades no time break ou programas de TV os apresentadores falando para entrarmos no site pelo QR Code, apontar a câmera do celular para sabermos mais informações do produto/serviço ou obter uma promoção de compra no site e por aí vai. Mas, nem todo mundo entendeu como isso funciona.

E a pergunta que fica é: será que essa função perdeu seu brilho tão rápido quando chegou ou faltou engajar mais as marcas a usarem essa funcionalidade tão propícia para o mundo digital?

Antes de começarmos a especular um pouco mais sobre isso, vamos entender o que é o QR Code.

O QR Code é um código parecido com o aquele código de barras que vem nas faturas das nossas contas, mas ele é um gráfico 2D e pode ser lido pela câmera da maioria dos celulares. Quando lido, o aparelho direciona o consumidor ou leitor para uma página de seu interesse e, por isso, é importante que esse código seja estritamente seu e as informações contidas nele sempre estejam atualizadas.

Fato é que, na maioria das vezes, as pessoas veem as outras falando desse código e o observa em bares e restaurantes para agilizar as compras, mas quase nunca ele é utilizado. Então, por que isso acontece? Há uma solução?

Na minha experiência de celular sem a funcionalidade de leitura do QR Code, devo confessar que não uso muito essa operação e penso que para outras pessoas isso também aconteça. E talvez isso ocorra porque o timing foi perdido, ou seja, essa grande invenção do QR Code demorou para ser acompanhada por algumas marcas e, devido alguns celulares não possuírem a função de leitura desse código, fazer o download de mais um aplicativo no celular para realizar essa operação não esteja nos planos de muitos consumidores. Mas, como eu disse, são especulações sobre isso.

Logo, não há outra opção: assim como é preciso treinar a escrita para escrever melhor, só vamos fazer uso do código com mais frequência se ele for colocado em mais lugares.

Por isso, esse uso vem crescendo aos poucos: os códigos passaram a ser mais visto em obras de arte (para saber mais informações sobre ela), no WhatsApp Web para se conectar no desktop e até em hamburgueres (como fez a Coca-Cola na sua nova ação em comemoração ao Dia do Hambúrguer).

Existem várias formas de engajar o público por meio dessa ferramenta e até pessoas individualmente já a podem obter, como no Instagram quando vamos compartilhar nosso perfil com alguém.

Dessa forma, nada no mundo digital pode ser perdido: entenda seu público, invista em informações atualizadas e que vão trazer interação com os usuários e vamos fazer essa ferramenta tímida se tornar uma grande influenciadora de informações.

Leia Mais
Conteúdo

3 dicas para melhorar seu Call to Action

A todo momento vemos frases no final dos textos que nos deixam com uma pulga atrás da orelha. Elas nos instigam a querer saber mais sobre o tema ou produto desejado e, não à toa, estão em todo lugar: no YouTube, em “Me siga nas redes sociais para ficar por dentro de tudo” ou “Inscreva-se no canal”; no Instagram com o “Deixe seu like”, “Salve este post”; nos blogs ou sites de compras com o “teste grátis”, “saiba mais”, “clique e confira”; entre vários outros lugares.

Mas, afinal, o que são e por que elas existem?

O Call to Action (chamada para ação) – ou CTA, para os mais íntimos – é um termo utilizado no marketing digital para designar links (textuais ou visuais) das páginas que levam os usuários a realizarem alguma ação.

Usado de maneira correta, ele pode aumentar o número de visualizações na sua página, suas vendas e interações dos usuários com a sua marca. Então, para não perder nada das oportunidades que essa funcionalidade possibilita, vamos a 3 dicas de CTAs que irão te ajudar a melhorar sua performance no mundo digital:

  • Entenda seu público

Quando nós compramos um presente para um amigo ou parente, sempre buscamos conhecê-lo, entender seus interesses e, com base nisso, dar aquilo que acreditamos ser o melhor para ele. Com o CTA não é diferente: colocar o “Saiba Mais” ou “Clique e descubra” em um produto novo, uma promoção relâmpago ou um artigo inédito é uma ótima forma de chamar a atenção das pessoas que estão visualizando seu site/produto e oferecer o melhor do seu conteúdo a ele.

  • Faça testes

O público gosta de entender para que serve as coisas. Ninguém compra algum produto/serviço sem pesquisar as funcionalidades ou conhecer a opinião de outras pessoas, assim, ofereça muitos testes – sempre que eles se encaixarem naquilo que sua marca oferece, é claro. Assim, obrigatoriamente, as pessoas terão que acessar a página para conhecer mais sobre o produto e ficar mais interessado nele.

Mas, tome nota: não adianta oferecer mil e um testes e, no final, não gerar conversão, ou seja, resultar em compra. Tudo que é demais acaba estragando.

  • Entregue bons conteúdos

Conhecendo seu público e entendendo o que ele necessita, sua marca pode entregar (e até recompensar) aqueles que se mostram mais interessados. “Baixe o e-book gratuito”, “acesse o site por apenas R$ 19,99”, “ganhe 1 mês de acesso gratuito ao conteúdo indicando um amigo” são alguns exemplos de CTA que tornam mais relevante o seu conteúdo e ajudam no engajamento da sua marca.

Existem várias outras coisas que podem entrar nessa lista, como o objetivo do seu CTA, onde usá-lo, qual formato chamará mais atenção e irá atrair mais o público, qual o nível de envolvimento dos usuários com a sua marca e por aí vai.

O fato é que, se sua marca quer chamar atenção, ela não pode se cansar de entender o público e tem sempre buscar melhorar e interagir mais com os seus usuários. Não existe fórmula mágica: a melhor maneira é aquela que não existe, mas que sua empresa pode vir a criar.

E, pensando nisso, gostei tanto da ideia do CTA que vou usá-la: aproveite o conteúdo, dê uma olhadinha em outros textos (meus e dos meus colegas) aqui do portal e siga a @creativosbr lá no Instagram.

Leia Mais
Conteúdo

Mundo dos Apps: qual a melhor escolha?

Quem nunca teve o WhatsApp no celular que atire a primeira pedra!

Brincadeiras à parte, a bem verdade é que uso de aplicativos está se mostrando cada vez maior e as pessoas passaram a procurar os seus ‘queridinhos’ para baixar no celular, até porque, ter espaço nessa tecnologia é como encontrar o pote de ouro no fim do arco íris.

Conforme o tempo passa, mais e mais empresas investem nos aplicativos, seja devido a facilidade de funções em um só lugar ou até a experiência proporcionada aos usuários. E, não à toa, já sabemos todos os aplicativos básicos no celular: WhatsApp, Instagram, Facebook, Twitter, TikTok, Netlix… a lista é longa (e muito), porém o espaço é escasso e, devido a isso, sempre existe a pergunta: qual a escolha final do consumidor? Se você tivesse que escolher entre WhatsApp e Netlix, ou Instagram e TikTok, qual seria o aplicativo desinstalado?

É uma escolha difícil, nós sabemos. Mas, as empresas também sabem disso e buscam tentar criar a melhor experiência para você, de forma que ele venha a ser o escolhido a ficar. Então, vamos a (algumas) dicas para levar em consideração na hora de escolher usar um app no seu negócio:

  • Usabilidade/Eficiência

Não é novidade que quanto mais fácil o uso, mais prático ele é. Verifique se o aplicativo não dá erros no meio das funções, se os usuários conseguem encontrar facilmente o que precisam, se sabem usá-lo e se eles conseguem realizar suas atividades sem problemas.

  • Comunicação/Feedback

Aqui, você deve verificar se as pessoas se sentem acolhidas no momento do uso. “Ah, mas como eu vejo isso?” É bem simples: as mensagens de “bem-vindo de volta” ou “boa tarde, posso ajudar?”, instruções de uso simplificado, ou “estamos quase lá!” na finalização de uma compra, demonstram a presente preocupação das empresas com os seus clientes. É importante ouvir o que as pessoas têm a dizer, assim como é importante eles perceberem o que você possui de diferente no seu serviço.

  • Entender o mercado

Este ponto é o mais importante. Deve-se atentar ao perfil dos seus usuários e suas preferências, ou seja, o que eles gostam de utilizar no produto/serviço. Se uma pessoa gosta de praticar exercícios físicos, faz sentido possuir o app Nike Training, por exemplo. Não adianta ter um app com mil e uma funcionalidades se as campanhas do seu produto estão direcionadas para o mercado errado. Leve em consideração o número de pessoas que ainda possuem o aplicativo instalado – e com que frequência isso acontece -, entenda a realidade dos usuários.

E, vamos a um caso prático: em uma empresa que vende cosméticos, por exemplo, o uso de um app é bem mais fácil para desenvolvimento, manutenção e acessibilidade? A realidade é que mesmo o aplicativo sendo um ótimo meio de experiência para as pessoas, nem sempre é o ideal. A atualização dos catálogos, o espaço ocupado no celular, o tempo de desenvolvimento e a baixa acessibilidade, ou seja, as pessoas apenas fazem o download do app quando necessário, faz com que seja muito mais eficiente o uso de um site do que de um app.

O mercado digital é muito disputado e muda o tempo todo. Esteja atento ao que acontece com o seu público e o que melhor se encaixa nele e você fará muito sucesso!

Leia Mais
1 2
Page 1 of 2