close
Marketing

Bancos digitais: qual foi o segredo do sucesso?

bancos digitais
https://unsplash.com/photos/n31x0hhnzOs

O Brasiiiiiil amou o novo garoto propaganda do Banco Santander, o Gil. Ex-BBB, economista e futuro Phd. No final do comercial, o garoto propaganda afirma que gosta de tudo open: “Sou a favor de tudo open. Mercado financeiro. Tecnologia. Tudo livre. Open. O mundo tem que ser open, Brasillll“.

É realmente de se admirar que um banco tão tradicional tenha entendido a necessidade de reinventar parte da sua comunicação. Mas será que o público que assiste, e utiliza de serviços bancários, entende que o Santander é um bom locutor para falar sobre essa questão? Afinal, a empresa faz parte do conglomerado dos grandes e tradicionais bancos no Brasil, os quais são extremamente burocráticos, cobram taxas abusivas em praticamente todos os processos bancários e ainda atuam com juros enormes. 

A comunicação precisa ser coerente com a política da empresa, e principalmente, conversar de verdade com seus consumidores. É neste cenário de clareza, liberdade e proximidade, que os bancos digitais aproveitaram a oportunidade de se mostrar muito mais valiosos e parceiros que os tradicionais. 

O conceito de banco digital explodiu no Brasil com o roxinho, mais conhecido como Nubank, fundado em 6 de maio de 2013 por David Vélez Vagner, Edward Wible e Cristina Junquei. Quebrou as barreiras em 2014, quando lançou seu primeiro produto: um cartão de crédito com a bandeira da Mastercard sem anuidade e totalmente controlado pelo smartphone. Parece até golpe, né? Muitas pessoas realmente pensaram isso, duvidaram da empresa, ficaram com medo de fornecer seus dados. Mas foi graças a sua comunicação, simples e extremamente personalizada, que eles conseguiram conquistar o público e logo depois de 2 anos, já havia mais de 8 milhões de pedidos de cartão de crédito da empresa. 

As empresas que vieram – ou cresceram – depois dessa ruptura no mercado financeiro, perceberam que o que tem conquistado fãs é o oferecimento de uma nova experiência ao cliente. É preciso entender como seu público se comporta, o que gosta, faz, deseja, e começar a se comunicar como eles. O banco do futuro e as instituições financeiras digitais estão procurando gerar confiança na marca. E, spoiler, estão conseguindo.

Atualmente, temos exemplos de diversos serviços de banco digital, como: Banco Inter, Neon, Banco Original, Next e diversos outros. Todos com um um posicionamento em comum: ser simples, acessível e eficiente. Separamos alguns dos motivos do porque esse tipo de serviço é tão querido e só tende a crescer:

Não cobram taxas 

O fato de não terem uma agência física já facilita muito no corte de gastos. Daí, esse valor não precisa ser cobrado no ato de criar a conta.

Praticidade

Você pode acessar, literalmente, em qualquer lugar. Você só precisa estar com o celular na mão.

Melhores opções de investimentos

Além das inúmeras opções de investimentos, as contas digitais facilitam a transferência do seu dinheiro para contas de Investimento.

Atendimento estendido 

Você tem alguma dúvida? Precisa de ajuda? Fique tranquilo, mesmo se for 21h terá alguém para falar com você.

Segurança 

Além da segurança no ambiente digital, ser poupado de ir até uma agência bancária já evita inúmeras inconveniências.

 

E aí, você acha que está na hora dos bancos tradicionais mudarem a sua estrutura?

Tags : banco digitalcartão de créditofinançasnubanksantanderstartup
Beatriz Guerra

The author Beatriz Guerra

Ex-futura cineasta, Beatriz Guerra é formada em Comunicação Social, mais especificamente em Publicidade e Propaganda pela FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado, e é apaixonada por audiovisual, adora conhecer novas culturas e aprender com os desafios do dia a dia. Ariana nata (com ascendente em gêmeos), nas horas vagas é produtora de velas e viciaaaaada em TikTok.

Comentários no Facebook