close
Opinião

Como ter independência (ou morte)

Independência ou morte – Opinão – Creativos BR – Multiprofissional – Empreendedorismo – Comunicador
Pixabay

O conceito de independência, em grego… Os senhores estão anotando? De acordo com o “grande oráculo” da atualidade, Google, as principais definições são:

  1. Estado, condição, caráter do que ou de quem goza de autonomia, de liberdade com relação a alguém ou algo.
  2. Caráter daquilo ou daquele que não se deixa influenciar, que é imparcial; imparcialidade.

Autonomia, liberdade e imparcialidade podem ser a própria independência ou o caminho para chegar até ela. Se você “dormiu no ponto” pode ser que a granada esteja na sua mão, e se deixar essa granada cair, o senhor vai explodir o turno de comunicadores inteiro. Caso o senhor seja do tipo “mimimi”, pede pra sair e nem continue a leitura.

Vou retomar o raciocínio. O “conceito” em questão é sobre independência profissional e se trata basicamente de empreendedorismo na carreira. Creio que não esteja falando grego, empreender é bem diferente de abrir empresa ou startup. É muito possível e viável ter uma atitude empreendedora no local onde está agora, seja ele qual for.

Bom, mas a pergunta que não quer calar é: como ter independência (e não morrer)?

É preciso ter autonomia. Governe-se, seja dono da sua ideia. Vista a camisa preta dos seus objetivos profissionais, você merece. Se posicione, faça mais pela sua profissão do que pelo seu emprego ou empresa. Acredite em você, defenda seus ideais mesmo que isto lhe custe o emprego ou o cliente, você é maior que isso.  Se for o caso, “peça as contas”, demita o cliente. O sistema (capitalista) é foda, mas não se venda.

Seja livre. Faça o que tiver que fazer, mas não seja inconsequente. Arrisque, permita-se errar, mas faça o possível para que isso não aconteça. E se acontecer, tenha humildade, reconheça e cresça. Goze do seu direito de ir e vir. Troque de emprego, mude de casa, abra outra empresa. Se jogue.

Seja imparcial. Jamais confunda feeling profissional com gosto pessoal. Não se abale com uma porta fechada, uma ideia reprovada ou com um NÃO em caixa-alta. A cada derrota, nasça de novo. Se cair dez vezes, levante onze.

Faça mais. Reclame menos. Se disponibilize a fazer mais do que sua obrigação, permita o aprendizado. Sem vitimismo… Acumule funções. Pratique a empatia, seja líder sendo funcionário. Seja funcional mesmo sendo o “dono da p*%#@ toda”. Seja diferente quando for conveniente e clichê quando necessário. Seja a disrupção que você quer ver.

Fique atento às mudanças, escute o mercado. Deve significar alguma coisa ter tantas vagas exigindo o tal perfil “multiprofissional”. Lembre-se, se a granada cair, o senhor vai explodir os seus colegas de profissão, o senhor vai explodir os clientes, o senhor vai me explodir. Estamos todos confiando no senhor.

P.S: Dos reclamões, vulgo “mimimis”, não vai subir ninguém. Nunca serão.

Tags : comunicaçãocreativos brcreativosbrEmpreendedorismoIndependênciamarketingMultiprofissionalpropagandapublicidade
Itamar Peixoto

O autor Itamar Peixoto

Publicitário e bebedor de café. Formado pela PUC-GO. Diretor da Ativamente Comunicação, em Goiânia. Experiência adquirida por atuações em departamentos de marketing, agências de publicidade e seriados do Netflix. Para seus clientes, atua em mídia e planejamento. Acredita que a qualidade da comunicação se dá pela essência do trabalho. Conteudista do creativosbr.

Comentários no Facebook