close
Conteúdo

De um xarope à uma das maiores marcas: Coca-Cola

Fonte: Hipersuper

Atualmente a Coca-Cola comercializa mais de 500 marcas e aproximadamente 3500 produtos. Além disso, possui quatro das cinco marcas de bebidas refrescantes mais famosas do mundo: Coca-Cola, Coca-Cola Light, Fanta e Sprite. Ademais, conta com mais de 24 milhões pontos de venda em 200 países, vende 1.9 milhão de unidades por dia e emprega, apenas no Brasil, 57,2 mil pessoas. Contudo, será que a marca sempre teve essa fama? A publicidade e o marketing contribuíram no crescimento? Voltaremos para 1886 para entendermos tudo.

Em maio de 1886, em Atlanta, nos Estados Unidos da América, o farmacêutico John S. Permberton decidiu criar um xarope para resolver problemas de digestão e dar energia. A mistura foi feita de extrato de folhas de coca, cafeína e água. A farmácia Jacobs foi a primeira a comercializá-la, vendia o copo por 5 centavos e eram vendidos, no máximo, apenas 13 copos diariamente. Após Pemberton ter criado o refrigerante, ele o anunciou no Atlanta Journal. Há pouca criatividade encontrada no primeiro anúncio, apenas um texto, nenhuma fonte estilosa, nem imagens. O anúncio de jornal mostrou pela primeira vez o slogan da empresa: “Deliciosa! Refrescante! Emocionante! Revigorante!”. Em seguida, John Pemberton colocou um anúncio mais longo e mais persuasivo, acrescentando que a bebida é uma “bebida intelectual”, “bebida de temperança”, “tônico cerebral”, e ainda afirma ser capaz de ajudar na dor de cabeça, nevralgia, histeria, melancolia e muito mais. Durante o início de 1900, a publicidade contou com mulheres jovens como suas porta-vozes, como a modelo Hilda Clark. Nesse primeiro ano, o Dr. Pemberton faturou US$ 50 em vendas e gastou US$ 73,96 em propaganda.

Em 1891 fundou-se The Coca-Cola Company, em 1893 registaram a marca no Instituto Nacional da Propriedade Industrial dos EUA e após 11 anos, a Coca-Cola começou a alcançar outros países. A empresa chegou ao Brasil durante a 2° Guerra Mundial, quando prometeram que sempre haveria uma Coca-Cola para os soldados americanos por US$ 0,05, fazendo com que a empresa se instalasse em Recife.

A marca investe tanto em publicidade, que nesta área ela gasta mais do que a soma investida pela Microsoft e pela Apple juntas. Em 2010, o orçamento da empresa teria sido de 2,9 bilhões de dólares, enquanto a Microsoft investiu 1,6 bilhão de dólares e a Apple teria gastado 691 milhões de dólares no mesmo ano. A Coca-Cola está há 130 anos fazendo propagandas com o otimismo e a alegria, e esse é um dos motivos pelo qual ela é tão famosa. Ela não tem como tema principal delas o refrigerante em si, mas sim a emoção, histórias, risadas e afeto. Como estão sempre inovando, há alguns exemplos de campanhas: em 2015, a marca produziu embalagens com os nomes dos brasileiros; em 2018, a Campanha do Dia Internacional do Orgulho LGBT+ (utilizaram a expressão “essa Coca é Fanta”, a qual algumas pessoas usam para se referirem à homossexuais) e em 2020, para inspirar a todos a terem esperança, a campanha apresenta “razões para acreditar” em meio à crise do coronavírus.

Toda a trajetória da tão valiosa marca Coca-Cola nos mostra dedicação e persistência pelos criadores da empresa. No início, vendia-se no máximo, 13 copos diariamente, enquanto hoje em dia esse número subiu para mais de 1,7 bilhão. Certamente, investir também na propaganda e no marketing geram resultados melhores, enfatizando a importância das áreas no mercado.

 

Tags : campanhacocaCoca Brasilcoca-colaJohn Pemberton
Sabrina Armelin

The author Sabrina Armelin

Apaixonada por livros, músicas, pôr do sol e pela incrível capacidade que a câmera fotográfica tem em capturar momentos para sempre. Geminiana que cursa Publicidade e Propaganda na FECAP, sonha em participar na produção de comerciais de televisão e ser uma fotógrafa de sucesso.

Comentários no Facebook