close
Entrevistas

Entrevista: Isabella Zakzuk

Isabella Zakzuk, diretora sênior de marketing na P&G.

Isabella Zakzuk, diretora sênior de marketing na Procter & Gamble (P&G), é paulista e formada em Administração de empresas pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Sendo uma pessoa muito determinada e comunicativa, iniciou sua carreira na P&G há 14 anos como estagiária e hoje ocupa um dos cargos mais altos do mercado do marketing. Abrangendo sempre o aspecto humanitário da empresa, Isabella defende que a paixão pelo trabalho e a consciência de que tudo vale a pena para o seu desenvolvimento são elementos profissionais essenciais.

CreativosBr – Sabemos que o machismo na sociedade, sobretudo nas agências de comunicação, sempre foi uma grande realidade. Como você, mentora de futuros jovens talentos da comunicação, aborda esse assunto – principalmente com as mulheres?

Isabella: O machismo realmente sempre foi uma grande realidade,que acredito que aos poucos, a sociedade tem evoluído bastante, também com o papel de grandes organizações e de pessoas que acabam levantando esse assunto para educar, para debater e para caminhar. Meu papel como mentora de jovens talentos, principalmente mulheres, é em primeiro lugar mostrar que é possível!  Sempre que nós queremos quebrar algum padrão que não consideramos correto, é muito importante que a gente veja que é possível chegar lá! É possível ser mulher e crescer, é possível ser mulher e ser uma profissional respeitada e reconhecida, e o mais importante, é possível fazer isso sendo quem você é! O meu papel principal e parte da responsabilidade que carrego é servir de exemplo, de modelo. Precisamos desses tipos de heróis ou heroínas que nos mostrem que construir, batalhar e sonhar valem a pena! Em segundo lugar, é ajudar nas questões do dia a dia, compartilhando as próprias vulnerabilidades e as próprias situações as quais tive que enfrentar, o machismo ou outras condições que me desfavoreceram. Ajudar é ser uma voz que vai ativamente lutar contra isso! Embora seja um caminho possível, não é fácil.  Precisamos estar lá e servir como um porto seguro, um ponto de ajuda, alguém que possa, a partir das próprias experiências, mostrar que dá para virar o jogo.

CreativosBr – A P&G é uma multinacional que conta com vários pilares de diversidade e inclusão, como exemplo a organização GABLE (Gay, Aliados, Bissexual, Lésbicas e Transgêneros) que é presente em 43 países com mais de 5 mil membros. Questões como essas são de extrema importância para as pauta das empresas atuais. Como você se sente fazendo parte e ajudando a construir um mercado publicitário mais moderno e inclusivo, em uma área que até uns anos atrás era muito padronizada?

Isabella: A P&G realmente possui todos esses  pilares de diversidade e inclusão, porque ela não só acredita em diversidade e inclusão como parte do que chamamos de PVP’s, que são os nossos propósitos, valores e princípios, como também acreditamos genuinamente que melhores resultados são alcançados a partir de equipes diversas.  Quando cheguei na companhia a igualdade de gêneros não era uma realidade, mas hoje, felizmente ela é! Temos uma equipe bastante equilibrada entre homens e mulheres, isso também na liderança. A verdade é que olhando para trás, vejo que nesses 14 anos que pude ser parte de dentro da P&G, vejo a jornada fantástica na frente de diversidade e inclusão, e me sinto muito orgulhosa porque sei que a companhia para qual eu gero resultados com meu trabalho, compactua e age para ter um impacto positivo na sociedade. Além do orgulho, sinto bastante responsabilidade, ainda mais por hoje eu estar na liderança, também sou responsável por levar essa jornada adiante.

CreativosBr – Passando por diversas experiências profissionais em uma multinacional de comunicação você já deve ter presenciado ou ter ouvido testemunhos de comportamentos sexistas em escritórios e conferências. Há/houve algum meio de denúncia ativa, como canais de denúncia anônima ou até mesmo de suporte emocional dentro da empresa?

Isabella: Na P&G a cultura é muito forte! Nosso propósito, valores e princípios são o que de mais inegociável nós temos, o maior ativo da companhia, na minha opinião. É claro que há situações que fogem da norma, daquilo que consideramos o correto, mas existe um sistema fortíssimo que ajuda as pessoas a entender quais são os comportamentos errados e não tolerados e a reportar esse tipo de comportamento, para que as devidas medidas sejam tomadas. Esse forte canal existe desde que eu entrei, ele continua existindo e serve realmente para capturar as exceções à regra. A regra é operar de acordo com a nossa cultura, com o que vemos a liderança fazendo, que como eu disse, são os nossos PVP’s.

CreativosBr – Recentemente você chegou a participar em um bate-papo sobre protagonismo feminino, marketing e inovação. Além desses bate-papos e de palestras informativas sobre as mulheres no mercado publicitário, o você acredita que pequenas e grandes empresas podem fazer para diminuir esse impacto da falta de presença feminina?

Isabella: Creio que se expor, participar desses bate-papos, entrar em grupos de conversa e olhar fora das paredes da nossa organização é uma das atitudes mais importantes para que consigamos diminuir esse impacto. Nosso papel como liderança além de fornecer mentoria para jovens talentos, também é promover o debate da sociedade, participamos de diversas mesas redondas, almoços construtivos, como nós chamamos, para debater temas importantes da sociedade com pessoas de diferentes idades e realidades. Um outro aspecto que eu acho que é um dos mais relevantes, é entender como profissional de comunicação, qual é o impacto que podemos ter a partir da voz das nossas marcas. Nosso papel é mais do que apenas comunicar um benefício funcional de mercado econômico, nosso papel também é promover debates importantes que ajudem a moldar a sociedade para aquilo que consideramos uma sociedade mais próxima do ideal, de acordo com os nossos valores.

CreativosBr – Você carrega uma alguma filosofia própria ou tem algum valor que ajudou a te apoiar em eventuais momentos de crise profissional? Ou tem alguma inspiração?

Isabella: Eu tive e tenho a oportunidade de cruzar, trabalhar e conviver com pessoas que definitivamente são inspiração para mim, mas até para ligar isso com a pergunta da minha filosofia própria, a minha principal filosofia é me inspirar e me espelhar não em uma única pessoa, mas em aquilo que eu gostaria de ser no futuro. Em vários momentos,eu fecho meus olhos e penso quem gostaria de ser daqui cinco anos, quem eu gostaria de ser daqui a 10 anos. Então eu penso: “Ok e o que que eu preciso fazer para chegar onde quero?”.  Isso não só na vida profissional, mas também na vida pessoal, também em relação ao legado que eu quero deixar no mundo. Isso é a respeito de você não ser outra pessoa, mas de você se aceitar e amar quem você é, e ainda assim buscar ser melhor todos os dias. Esse é um ponto muito importante e que me ajuda em momentos de crise e em momentos de conquista e realização,para também a gente nunca tirar o pé do chão.

CreativosBr – Você ingressou na P&G como estagiária e hoje em dia tornou-se diretora de marketing. Qual dica ou conselho você daria para os alunos de cursos de comunicação que estão ingressando agora no mercado publicitário?

Isabella: A principal dica: tenha atitude.  Os hard skills são coisas que a gente consegue aprender na escola,na faculdade ou até no trabalho; eles nós conseguimos construir! Tem até um ditado que fala que essas habilidades são as que nos contratam, mas muitas vezes são as atitudes que te demitem. Ter a atitude certa, de querer contribuir e aprender mais, de entender que somos eternos aprendizes,  isso é muito importante!

Segunda dica: se mantenha atualizado. Hoje, mais do que nunca, a gente precisa se atualizar porque a velocidade de transformação da sociedade é cada vez mais rápida e quando estamos falando com consumidores, um bom  profissional de comunicação tem que se conectar com eles. Precisamos lembrar que acima de tudo, eles são humanos e que a forma que vamos nos comunicar também tem que mudar, experimentar ferramentas novas para que não sejamos passados para trás.

Última dica: exercite sempre a empatia. No final das contas,nós temos que atender as necessidades e servir as pessoas, e só conseguimos entender essas pessoas quando temos empatia, quando sabemos observar, escutar e quando conseguimos transformar isso em insights.

 

Indicação de vídeo: Campanha “Like a girl” (Tipo Menina) da marca Always.  

Link: https://youtu.be/mOdALoB7Q-0

 

Tags : #protagonismofemininodicasdiversidadeIsabella Zakzukp&g
Carolina Mitie

The author Carolina Mitie

Carolina Mitie tem três certificações pela ESPM e diversos cursos pela FECAP – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, onde é graduanda em Comunicação Social, com licenciatura em Publicidade e Propaganda. É movida 100% por música e comunicação. Taurina determinada, é apaixonada por animais e a metamorfose ambulante tentando mudar os finais clichês.

Comentários no Facebook