close
Digital

Estudo identifica 5 perfis diferentes diante do cenário pós-pandemia

O estudo, realizado pelo McCann Worldgroup, aponta que 50% das pessoas seguirão as regras impostas conscientemente e 13% seguirão suas próprias regras

À medida que algumas partes do mundo caminham para uma retomada nas atividades, surgem muitas perguntas sobre quais comportamentos pré-pandêmicos retornarão e quais novos permanecerão quando o cenário estiver melhorando. Com base em um universo de mais de 16 mil pessoas, em 18 países de todos os continentes, uma pesquisa[1] da Truth Central – unidade de inteligência global do McCann Worldgroup – identificou 5 perfis de atitudes diante da fase de reabertura das atividades pós-pandemia.

Esses perfis foram definidos com base nas respostas e nos comportamentos das pessoas diante das novas regras que os governos estão estabelecendo para este período de reabertura gradual das atividades. São eles:

• Cautelosos: seguem as regras cuidadosamente – 50%*

• Condicionais: seguem algumas regras, mas não outras – 21%*

• Os não conformistas: ignoram todas as regras – 6%*

• Os criativos: seguem as suas próprias regras – 13%*

• Os sem noção: não sabem quais são as regras – 9%*

*Números globais

CLASS

MEXICO

BRAZIL

COLOMBIA

ARGENTINA

CHILE

THE CAUTIOUS

48%

 

54%

 

51%

 

48%

 

58%

 

THE CONDITIONALS

 

22%

18%

20%

22%

18%

THE (NON) CONFORMIST

 

6%

7%

6%

6%

5%

THE CREATIVES

 

15%

12%

13%

11%

14%

THE CLUELESS

 

9%

9%

10%

6%

6%

Quando comparados à média global, nos mercados latino-americanos os “cautelosos” são maioria no Chile (58%) e no Brasil (54%), e os “condicionais” no México e Argentina, com 22% em ambos os países. O perfil de “não conformista” é maioria no Brasil, mesmo com um índice de apenas 7%. Os perfis de “criativos” lideram no México (15%) e os “sem noção” na Colômbia (10%).

Nesse contexto, também é importante considerar que, globalmente, uma em cada cinco pessoas prefere trabalhar permanentemente em casa. A pesquisa também mostra que 29% dos entrevistados consideram que a sociedade está reabrindo muito rapidamente.

“No caso de um possível cenário próximo ao fim da pandemia, vemos que uma parte significativa da população terá uma atitude cautelosa. Do ponto de vista do marketing, estamos redesenhando nossa visão estratégica para o dia a dia dos consumidores e revisando a oportunidade de uma conexão significativa com as marcas, criando melhores experiências de interação física e digital em novos momentos”, afirma Fernando Fascioli, Presidente do McCann Worldgroup para América Latina e Caribe. O executivo ainda destaca que “neste momento é vital fornecer informações que possam reduzir os graus de incerteza, facilitando também esses processos que são completamente novos para um grande número de pessoas, como o uso  mais frequente de sites de compras e relacionamento online, entre outros. Contar com uma sólida estratégia digital e uma leitura correta dos dados que emergem nestes tempos é crucial para sermos significativos na vida das pessoas. Agora, mais do que nunca, os consumidores estão se adaptando e estão abertos à mudança, e esse é um terreno fértil e desafiador ao mesmo tempo, para o marketing e para as marcas”.

Tags : comportamentocreativosbrdigitalestudomarketingmccann worldgroupPandemiapesquisaTruth Central
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook