close
Publicidade

Fiat: não deixe de ir às ruas!

Caiu como uma luva o filme da Fiat que convoca os brasileiros para irem pra rua, transformando esta na “maior arquibancada” do Brasil.

Tendo como tema a Copa das Confederações e sem poder citar a competição, anunciante e agência apostaram na força do brasileiro, na rua, torcendo para a nossa Seleção.

Acontece que a música cantada por Falcão, do O Rappa retrata o mesmo sentimento destes manifestantes que hoje tomam as ruas de todo o país em busca de melhores condições de saúde, educação e contra a corrupção.

A música #vemprarua virou meio que o hino desta geração que se manifesta, da mesma forma que Legião Urbana e Geraldo Vandré viraram em décadas passadas.

Porém, li ontem em matéria publicada no Estadão, que a Fiat pretende não ir adiante com o filme publicitário na TV. Segundo o que foi publicado, o flight está no final e a campanha não deverá ter continuação, até porque, a campanha era para permear os jogos das Copa das Condeferações.

Particularmente, eu duvido muito, que a Fiat mantenha essa ideia de parar com o filme. Pegar essa carona que a Fiat pegou é um milagre e sendo proposital ou sem querer, não se pode virar as costas para uma oportunidade como esta.

Que vire o hino dessa geração! Só a Fiat tem ese poder agora! Aproveitem!

Não tirem a campanha do ar!

Não deixe de ir às ruas, Fiat!

Tags : arquibancadablogblog do crespobrasilcampanhacrspodadedofiatfilipegeraçãoleo burnett tailor mademarcamídiamúsicaprapropagandapublicidaderuavem
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook