close
Opinião

Mais amor, por favor!

Sou um apaixonado pela Propaganda. Quem me conhece, sabe que não estou escrevendo isso, "dos dedos pra fora"!

Desde os meus 14 ou 15 anos, eu já sabia que essa era a minha única vontade profissional.

Se
não existisse essa profissão, sinceramente não sei que outra atividade
me faria feliz. Veterinário? Gosto muito de animais, mas não aguentaria
ver um deles morrer.

Trabalhar com propaganda sempre foi algo inexplicável. Só quem trabalha com isso é quem sabe. 

É árduo, intenso, diferente de tudo! É algo mágico demais!

Acontece que tenho notado nesse nosso mercado, que tem muita gente "amarga" trabalhando com publicidade.

Isso as vezes torna o trabalho sujo, burocrático, entediante.

Falta amor à nossa profissão! Falta amor à propaganda. E também à publicidade.

Quem trabalha com isso, tem que entender qual é o nosso job description. 

Trabalhamos com sonhos, emoções, desejos e vejo que estamos tornando a coisa cada vez mais racional.

Que coisa chata!

Sim, sou um defensor da argumentação técnica, dos dados que
embasam as iniciativas, mas também acho que temos que ter mais feelling
no nosso dia a dia.

É isso que vai fazer um profissional diferente do outro.

Vamos
nos estressar menos, falar menos de problemas e pensar mais com a
cabeça do consumidor. "Viajar na maionese" pode ser bacana demais.

Somos
pagos para isso! Somos pagos para pensar o que ninguém nunca antes
pensou! Seja na criação, no planejamento, na mídia ou na produção.

Vamos tratar a nossa profissão como algo mais leve, mais fácil e menos burocrático.

Vamos
fazer de nossas agências, academias de novas ideias, sem pré-conceitos,
sem paradigmas, sem nada! Apenas ideias novas que podem emocionar,
envolver ou engajar as pessoas.

Chega de ficarmos presos à
velhos, burros e desnecessários processos no nosso dia a dia, que fazem
com que nos distanciemos ainda mais do lado importante da coisa: o
prazer de trabalhar com isso!

É possível sim fazer tudo diferente do que fazemos! 

Não defendo aqui a ideia de que temos que torrar a grana do
cliente, sem planejar, sem discutir, sem argumentar ou defender. Não é
isso!

O que aqui quero colocar é que podemos ser mais competentes
ainda se entendermos a nossa profissão como algo bacana, que nos dá
prazer.

Tendo isso em mente, produziremos mais, teremos melhor humor, entregaremos melhor.

E se nosso plano de mídia não agradar, nossa ideia não convencer e a campanha não for aprovada, calma.

Vamos voltar e fazer ainda melhor. Mas sem entender isso como um peso!

Vamos levar a propaganda menos a sério, afinal, ela é apenas a coisa mais importante sim, mas dentre as coisas menos importantes.

E viva a vida!

Tags : amorblogblog do crespofilipe crespomercadomídiaplanoprofissãopropagandapublicidade
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook