close
Conteúdo

Monja Coen: “vida religiosa e álcool não se opõem”

Fonte: FlickR/Divulgação

Monja Coen é um dos principais nomes do budismo no Brasil, tendo milhões de seguidores nas redes sociais, mais de 500 mil livros vendidos e um extenso portfólio de monitorias, palestras e outros tipos de serviço para o público. Seus conselhos sobre a vida e explicações sobre a religião se tronaram extremamente populares, dividindo palco com Leandro Karnal e Sergio Cortella, por exemplo. Coen já transmite o pensamento do budismo zen japonês de forma ampla desde os anos 90, e sua filosofia de vida promove uma relação mais calma, serena e mediada com o mundo. No entanto, será que isso tem relação com a bebida alcoólica?

Em uma live publicada no seu Instagram, Monja Coen afirmou ter se tornado uma ’embaixadora da moderação da Ambev’. A Ambev é a produtora das cervejas Brahma, Skol, Antarctica, Stella, além de vinhos, vodcas e outras bebidas alcoólicas e não-alcoólicas.

“Autoconhecimento é liberdade. A Ambev está falando sobre moderação e autoconhecimento e me convidou para ser embaixadora da moderação da marca Ambev. Eba! Você se conhece em profundidade? Você percebe qual é a necessidade verdadeira e quais são os limites de seu corpo e de sua mente? É preciso conhecer-se. O autoconhecimento nos liberta. Nos torna mais leves”, disse Coen.

Por outro lado, a Organização Pan-Americana da Saúde revela que 35% das pessoas entre 30 e 39 anos estão tomando doses excessivas de álcool durante a pandemia, demonstrando o impacto que o isolamento social gerou. A Ambev dobrou seus lucros entre o primeiro trimestre de 2021 em comparação ao ano anterior. A receita da empresa foi de R$ 16,6 bilhões e o lucro de R$ 2,7 bilhões entre janeiro e março desse ano de 2021. De acordo com a plataforma Compre & Confie – empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce – a venda online de bebidas alcoólicas subiu 93,9%, com 248,9 mil compras realizadas. O tíquete médio analisado pela companhia é de R$ 310,70, valor 4,3% maior do que o mesmo período do ano anterior.

Com a Monja Coen se tornando embaixadora da Ambev, o intuito é fazer com que as pessoas repensem suas atitudes e as quantidades exageradas de álcool ingerido. Contudo, algumas pessoas acharam a parceria incoerente e sem noção, e a Ambev se pronunciou:

“Gostaríamos de esclarecer que o intuito desse projeto nunca foi vincular a imagem da monja com algum produto nosso ou incentivar o consumo, mas sim falar sobre consumo responsável através do autoconhecimento, que é chave pra moderação. Anunciamos em 2020 nossa meta de ajudar 2,5 milhões de brasileiros a reduzirem o consumo excessivo de álcool até 2022. Trata-se de um compromisso público, que tem como objetivo oferecer ferramentas de ensino para que as pessoas compreendam suas relações com o álcool a partir de cinco comportamentos, sendo eles: autoconhecimento, contar doses, planejar o consumo, hidratar-se e diversificar o consumo.  Temos um objetivo em comum com a Monja Coen, que é o de promover o equilíbrio e a moderação, tão necessários no momento atual. As mensagens são de promoção da saúde, não abordam produtos ou marcas. Acreditamos que juntos podemos construir um mundo melhor para todos”.

Tags : ambevbebida alcoólicabudismoembaixadorameditaçãomonja coen
Sabrina Armelin

The author Sabrina Armelin

Apaixonada por livros, músicas, pôr do sol e pela incrível capacidade que a câmera fotográfica tem em capturar momentos para sempre. Geminiana que cursa Publicidade e Propaganda na FECAP, sonha em participar na produção de comerciais de televisão e ser uma fotógrafa de sucesso.

Comentários no Facebook