close
Publicidade

O poder dos publicitários

Pixabay

Seja você um publicitário ou não, este texto é para você. O principal objetivo é trazer um debate essencial para os funcionários de pequenas ou grandes agências de publicidade. Caso conheça alguém que esse conteúdo vá ajudar, peço encarecidamente que compartilhe!

O poder das agências de publicidade em influenciar diretamente e indiretamente a vida das pessoas é muito forte. Mesmo que os clientes tenham ideias em mente e definem em alguns casos uma base para o projeto; o responsável para muitos desses quesitos que irei colocar aqui, é a agência; logo, os publicitários.

Esses projetos são as propagandas que vemos diariamente na TV e em nossas redes sociais.

Por conta dessa capacidade de atingir grandes massas de pessoas, é possível para os publicitários, usar dessa ferramenta para tornar o mundo um lugar melhor.

Um exemplo, o estereótipo é um padrão que a sociedade constrói, seja ele de beleza, gênero, classe social e etc. Afetando os que não se encaixam. Concorda que esse poder da publicidade pode ser usado para quebrar esses padrões?

Para isso acontecer é preciso sair da sua zona de conforto e estudar. Porém, existem pessoas que escolhem caminhar na ignorância.

Escolher caminhar na ignorância é uma decisão sua, mas você como publicitário tem um grande poder de influência em mãos; tente ao menos dar uma oportunidade as pessoas também tomarem essa decisão.

Essa oportunidade só vem através de campanhas sem influências preconceituosas. Já dizia o ditado, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades.

Isso não é função do Conselho Nacional de Auto Regulamentação Publicitária (CONAR)?

O CONAR é muito importante para o cenário da publicidade. Podemos ver que existem diversos casos impedidos de veicular, envolvendo responsabilidade social, respeitabilidade e etc.

Pode ser ignorância minha, mas acredito que eles não irão interferir em uma campanha só porque tal campanha possui apenas pessoas brancas com um corpo idealizado aparecendo nos comerciais.

Além do mais, você não acredita que é muito importante para nós seres humanos não carregarmos esses preconceitos conosco? Se desenvolver como pessoa é importante e te auxilia tanto na vida pessoal quanto na profissional.

Se olharmos os comerciais antigos fica claro que eles estavam sendo preconceituosos; com situações racistas, machistas e entre outras.

Isso só fica claro para a maioria das pessoas porquê de alguma maneira a informação chegou, através dos meios e veículos de comunicação

Portanto, a desinformação ainda é algo presente em muitas pessoas.

Abrir a dúvida do “será que estou carregando algum tipo de preconceito em meu job?” é de extrema importância, ainda mais como publicitário.

Para compreender e resolver essa dúvida, precisamos entender sobre:

O preconceito sem intenção

Chamado de preconceito implícito, é algo inconsciente, sem intenção. Ideias preconcebidas que pegamos sem ao menos conhecer tal pessoa.

Todos nós temos algum tipo de preconceito; seja racial, social, econômico, religioso e entre outros que fazem parte dessa grande lista.

Publicitários precisam olhar se estão trazendo esses preconceitos para dentro das campanhas.

Para se destacar é necessário pensar fora da caixa. Indo além de ter uma ideia genial ou um bom planejamento, aborda também essa preocupação com as influências que você está passando ao público.

“Estou influenciando algo infeliz em minha campanha?”

Achar que você não vai cometer tais erros é o primeiro passo para cair nessa armadilha.

Essas mudanças não irão acontecer do dia para a noite, aceitar e observar é o primeiro passo. Uma campanha sem estereótipos não depende unicamente de você.

Como saber se estou carregando algum estereótipo?

Estude! Como eu disse, não é do dia para a noite. O passo mais difícil você já conseguiu; reconhecer verdadeiramente que é falho. Agora é só se policiar dentro do que você sabe sobre preconceitos.

Tire alguns minutinhos do seu dia para pesquisar sobre desigualdade e exclusão social, diversidade cultural e outros conhecimentos de extrema importância a todos.

Conforme o tempo de estudo esses preconceitos vão se clareando e ficando mais fáceis de identificar.

Por exemplo, talvez você tenha uma preferência automática em pessoas com traços europeus para suas campanhas, voltando ao padrão da sociedade.

A diversidade em propagandas e publicidades traz representatividade; que acaba gerando um aprendizado direto no respeito e empatia. Trazer isso de maneira natural é o melhor jeito!

Você não tem um controle sobre todas as decisões.

Por esse motivo é essencial você pelo menos tentar. Conversar sobre isso com colegas de trabalho mais próximos, podendo ajuda-los a tirar esse preconceito implícito.

Abrir essas discussões na agência, dar ideias em brainstorms e reuniões é outra tentativa para prevenir futuros estereótipos dentro do projeto.

A agência trabalhando para passar por cima desses preconceitos, futuramente pode ter uma maior harmonia entre os departamentos, motivados a entregar um bom trabalho e dar sua contribuição para um mundo melhor.

Te garanto que os benefícios desse desenvolvimento profissional e pessoal são imensos e gratificantes.

Se você chegou até aqui, fico muito agradecido por ter lido meu texto.

Espero que tenha gostado.

Obrigado!

Tags : campanhadesenvolvimentopreconceitopublicidadepublicitáriostrabalho
Lucas Vicentini

The author Lucas Vicentini

Estudante de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda na FECAP – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, Lucas Vicentini possui experiência em criação de websites. É esforçado, dedicado e se considera um apaixonado por arte urbana, além de não dispensar sempre que possível uma boa conversa! Está sempre correndo atrás do seu sonho sem atrasar o lado de ninguém.

Comentários no Facebook