close
Opinião

O verde nunca valeu tanto

Fonte: Pixabay

Como estratégias de marketing podem causar memória afetiva em consumidores que zelam por uma boa reputação empresarial que abraça a inciativa verde.

Ao longo dos anos, a pauta sobre sustentabilidade, preservação e cuidado com o meio ambiente vem ocupando espaço em mais lugares de visibilidade. Há, por exemplo, influenciadores digitais que dedicam seu tempo em discutir situações preocupantes que agravam a saúde ambiental de nosso planeta, como o consumo inconsciente de recursos naturais.
Dessa forma, devido a essa maior divulgação sobre o assunto, existe também um aumento na população preocupada com o meio ambiente, procurando direcionar seus consumos e estilo de vida onde há o menor impacto ambiental.
Esse redirecionamento, por sua vez, é o que motiva o marketing de alguma empresa a apresentar um posicionamento que os faça não perder, mas sim ganhar mais consumidores.
Um exemplo disso são os projetos ambientais dentro do setor de cosmético que procuram retirar o processo de experimentos laboratoriais em animais. O “cruelty-free” se transformou em um diferencial para pessoas que seguem uma filosofia de produção consciente.
Segundo pesquisa realizada pela agência de pesquisa norte-americana, Union + Webster, divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), 87% dos brasileiros preferem empresas com práticas sustentáveis, e 70% dos entrevistados disseram não se importar em pagar um pouco mais para isso.
É esse público que atraí empresas e faz com que as mesmas tomem medidas de transformação. Ou pelo menos, fazem acreditarmos que exista uma.
Os mesmos produtos cruelty-free que atraem um público consciente, por exemplo, podem ser burlados com uma fácil exceção. Algumas empresas declaram que não realizam testes em animais em sua produção de cosmético. Porém, esse tipo de declaração pode significar, por exemplo, que a empresa não testa seu produto final em animais, mas pode comprar de outras indústrias, ingredientes que foram submetidos em testes com cobaias.
Mas como a ciência disso, para os consumidores, ainda é quase que nula, essas empresas conseguem se cobrir em uma cortina de preceitos e filosofia sustentável.
São essas as estratégias de marketing que causam memória afetiva aos consumidores que procuram uma marca “preocupada” em questões ambientais. É com esse armamento que se compõe a boa reputação de uma empresa. O marketing constrói uma imagem positiva, agradável e empática de uma marca que abraça a iniciativa verde e que quer diminuir agressividades ambientais.
Mas será esse seu verdadeiro interesse?

Tags : #cruelty-freemarketingopiniãoverde
Isabella Rocha

The author Isabella Rocha

Publicitária em processo de formação, Isabella Rocha é residente de Guarulhos, Grande São Paulo, e é fascinada em escrever e cozinhar. Tem perfil comunicativo, persuasivo, colaborativo e otimista, além de se relacionar com facilidade e se destacar pela autoconfiança, proatividade, determinação e ousadia. Capricorniana equilibrada, é extremamente qualificada em indicações de filmes de comédia romântica.

Comentários no Facebook