close
Entretenimento

Os japoneses sempre serão… os japoneses.

Fonte: Pexels



Você assitiu esse vídeo, ou mais provavelmente parte dele e se perguntou: "Que porra é essa?"

Vou explicar, mas antes vou te dar uma dica: Enquanto lê o post, põe o vídeo para rodar. 

Trata-se da coletiva de imprensa realizada pela Sony, dona da marca Playstation Network, recentemente atacada por uma ação hacker.

São os três executivos que respondem pela empresa Sony mundialmente, no momento.

Para aqueles que ainda não sabem do que estou aqui tratando, conto resumidamente.

Na semana passada, a Playstation Network que tem cerca de 77 milhões de assinantes em todo o mundo, sofreu um ataque hacker. Dados como nome, email, endereço, data de aniversário e possivelmente até números de cartão de crédito de clientes cadastrados podem terem sido roubados no ataque.

Um problemão para a Sony que embora não confirme o roubo dos dados de cartões de crédito, tambén não descarta a possibilidade.

Um prejuízo bastante grande, mas a Sony, ao meu ver, vem tratando o caso da maneira mais acertada.

A primeira coisa a ser feita, foi colocar todo o sistema offline, afim de que mais prejuízos não sejam causados aos clientes. Até que se saiba o que ocorreu e o tamanho disso, a Sony não irá disponibilizar a NetWork aos seus clientes.

Depois, colocou uma equipe com os melhores profissionais que a empresa possui em todo o mundo, para avaliarem o "tamanho do estrago".

Em uma terceira etapa, divulgou uma nota à imprensa confirmando o ataque hacker sofrido e agendando uma coletiva de imprensa para os dias seguintes.

Posteriormente, na coletiva de imprensa (esta que vocês está baixando o vídeo), explicaram ponto a ponto todo o corrido, respondendo dezenas de perguntas dos jornalistas que cobriam a coletiva.

A Sony mostrou-se preocupada com seus clientes, oferecendo à eles, o total acesso ao conteúdo premium do site de compras da empresa. 

A empresa aconselhou seus clientes a ficarem atentos para ligações, mensagens ou demais meios em que pessoas prometam resolver o caso. A Sony não entrará em contato com os clientes nesse momento.

Ao término da coletiva de imprensa, os três maiores executivos da empresa, surpreenderam os ali presentes, se curvando aos jornalistas em profunda demonstração de respeito, sensibilidade e compreensão.

Essa passagem ocorre por volta de 06:40 do vídeo acima.

Eu não sou cliente da Playstation Network, mas tenho amigos que foram prejudicados e não conseguem acessar o sistema desde o ataque. Na realidade, o sistema não está disponível no Brasil, mas muitos brasileiros tornaram-se clientes, informando endereços em outros países, como E.U.A. por exemplo.

É exatamente por isso, que não se sabe levantar o número de brasileiros vítimas do ataque.

Estou admirado com a forma em que a Sony está lidando com o caso. 

É um caso sério e que a Sony terá que se responsabilizar pelo prejuízo, é claro. Não tiro a responsabilidade da empresa. Foram roubados dados importantes. E mais: a resolução tem que ser rápida.

Porém, tenho que admitir, que  que a empresa trata o caso com seriedade e preocupação. Sim, é subjetivo, mas é a minha opinião.

São os japoneses dando mais uma grande aula de gestão de crise e de preocupação junto aos clientes.

Ações que podem alavancar ainda mais, a confiabilidade e por consequência, garantir a fidelização de seus clientes.

Vamos ver como essa história vai terminar.

Tags : ataqueblogblog do crespoclienteconfiançagestão de criseshackermídiaplaystation networkpropagandapublicidadesony
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook