close
Opinião

Os que choram e os que vendem lenço.

Eu juro que minha idéia era não falar de Michael Jackson hoje, aqui no blog.

Não se passaram nem 20 horas que o cantor morreu e eu já não aguento mais ouvir falar dele na tv.

Nunca fui fã do astro pop, porém reconheço a contribuição dele para o meio artístico.

Eu diria até que de “Thriller” para trás, ele foi um cara admirável e serviu de exemplo para muitos. Porém, daquele momento em diante… melhor eu nem comentar.

Só polêmicas, drogas, assédio sexual, etc, etc, etc.

Bom, como eu disse no início do post, a idéia não era falar dele, mas não tem como. Não há como negar que o cara foi um ícone.

Ontem a noite, quando eu estava na sala dos professores faculdade e a notícia da morte do cantor era ouvida em todos os cantos, aconteceu algo curioso.

Recebi um email de um veículo de comunicação de mídia impressa, oferecendo uma “oportunidade” de mídia na sua próxima edição, que sairá na semana que vem.

Num primeiro momento, o valor da inserção me pareceu bastante alto, porém o argumento de venda, vinha logo abaixo: COM A MORTE DO MICHAL JACKSON, VAMOS VENDER REVISTA COMO NUNCA. APROVEITE ESTA CHANCE!!! ME LIGUE AINDA HOJE PARA EFETUAR A RESERVA!

Nossa!!! Eu sei que eu já deveria estar acostumado com isso.

Enquanto uns choram, outros vendem lenços.

Um dia eu aprendo.

Tags : blog do crespomichael jacksonmídiamortepublicidade
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook