close
Digital

Pre-roll do Youtube poderia ter menor duração!

Anunciantes de todos os segmentos também tem percebido que cada vez mais, os internautas buscam vídeos na rede.

Nunca
se consumiu tanto material de vídeo na internet e a tendência é de que
até 2014, mais de 90% do conteúdo online seja nesse formato.

Os
motivos me parecem bem claros, uma vez que as pessoas deixam de ter
tempo para ler notícias como esta, com linhas e mais linhas de texto.

Desta
forma, o Youtube já vem sendo observado "com carinho" e até utilizado
por anunciantes que antes não apostavam na ferramenta do Google como
possibilidade comercial.

E o Google, por sua vez, tem
disponibilizado formatos comerciais cada vez mais criativos e que
garantem aos anunciantes, a conversão que eles tanto desejam quando
lançam uma campanha na internet.

O formato que vem sendo bastante utilizado nos últimos meses é o tal do Pre-Roll.

Mesmo aquele internauta que nunca ouviu falar desse formato, com certeza, já foi impactado por ele.

Vou
explicar: sabe quando você vai assistir algum filme no Youtube e antes
que você tenha acesso as imagens do filme que escolheu, tem de assitir
um comercial antes?

Então… a esse formato comercial, que entra em sua tela, antes do filme que desejou ver, chamamos de Pre-Roll.

Mesmo
sendo eu publicitário e profissional de mídia, tenho algumas
observações a fazer sobre esse formato bastante utilizado por
anunciantes, recentemente.

Ainda que o tal formato atinja um
rápido número de views e com isso, ajude nos objetivos de uma campanha, o
internauta de forma geral, não curte esse tipo de publicidade.

Pesquisa
recente publicada nos E.U.A, mostrou que 84% dos entrevistados  não
gostam de ver um anúncio antes do vídeo que realmente escolheu assistir
no Youtube.

Penso que o grande problema desse formato tão
utlizado é a duração. Pre-roll de 30 segundos é demais grande e muitas
vezes desproporcional ao conteúdo que realmente o internauta quer
consumir.

O Youtube até possibilita que o internauta pule o
pre-roll depois de 5 segundos de visualização, o que parece vantagem
somente para o veículo que soma mais um view ao anúncio, mas não garante
a visualização integral do anúncio.

Sabendo disso, profissionais
de agências tem "quebrado" a cabeça pensando em uma forma de conseguir
segurar o internauta pelo tempo integral do pre-roll. 

Um exemplo
de utilização do formato aqui no Brasil, foi do produto Axe, que
utilizou o formato no Youtube, mas que na peça criativa, "implorava" e
desta forma, tentava convencer o internauta que não pulasse o filme. Foi
algo criativo, interessante, inovador, mas que não pode ser repetido a
todo momento, por esse e nem por nenhum outro anunciante.

Penso que não podemos querer acostumar o internauta a consumir um novo formato comercial, que ao meu ver, é bastante intrusivo.

É
como se numa revista, depois de uma página com um anúncio, tivesse
outra dizendo: "OLHA, VOCÊ PASSOU POR UM ANÚNCIO. VOCÊ VIU"?

Desta
forma, penso que um pre-roll "opcional" de 5 ou no máximo 10 segundos,
estaria de bom tamanho e seria muito melhor aceito pelos internautas.

O que pensam a respeito?

Um grande abraço.

Tags : anuncianteblogblog do crespocoemercialconversãocrespocastformatointernetmídiapre-rollpropagandapublicidadeyoutube
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook