close

big brother brasil

Marketing

Big Brother Brasil e o marketing efetivo após o programa

O Big Brother Brasil é um programa no qual alguns participantes são selecionados pela produção da Rede Globo para permanecer em confinamento numa casa por 3 meses, sendo que durante essa experiência os indivíduos serão vigiados 24 horas por dia e terão suas intimidades transmitidas para todo o país.

A primeira edição do programa aconteceu em 2002. A última foi concluída este ano, em maio. Apesar desta programação do Big Brother Brasil ter chegado ao fim, campanhas de marketing por sua vez demonstram que os participantes da 21º edição ainda estão dando o que falar.

Segundo o IBOPE, o Big Brother Brasil 21 foi uma das edições do programa mais assistidas desde 2002, tendo uma média de audiência de 28.08 (focando na Grande São Paulo). Além disso, a atual vencedora, Juliette Freire, foi a participante que mais conquistou votos do público brasileiro para vencer, pontuando no total 90,15%.

A estimativa é que o BBB21 somou mais de R$530 milhões com as cotas cedidas a marcas que anunciaram durante as provas, intervalos e ações dentro do programa. E quando a edição terminou, os participantes continuam sendo procurados pelas marcas para participar de campanhas de marketing para utilizar de características, memes ou costumes marcantes que cada brother tenha deixado registrado durante a sua presença na casa.

A 21º edição do Big Brother Brasil chegou ao fim de fato, mas os participantes estão em alta e as marcas não deixam essa oportunidade passar despercebida. Vamos focar em alguns participantes e mostrar como as empresas estão criando conteúdo com alguns deles:

  • O Itaú se juntou com a Thaís Braz para anunciar nas redes sociais dela que agora você consegue aumentar o limite do seu cartão diretamente pelo aplicativo do banco. O mais legal é que, para isso, eles brincaram com a risada da Thaís que até virou meme nas redes sociais por deixar de existir em segundos;

  • Outra marca que utilizou os mesmos métodos para fazer uma parceria foi a FreeCô, que é um bloqueador de odores sanitários do Brasil. Essa marca aproveitou a fama que a participante Viih Tube tinha de não ser muito fã de uma boa ducha;

  • A sister Lumena Aleluia também foi convidada por hotéis para fazer campanhas mais humoradas sobre “cancelamento gratuito”, sendo um dos temas que mais trouxe notoriedade para a participante;

  • Talvez uma das parcerias mais aguardadas foi a do participante Gil da Vigor com o Iogurte Vigor, o que de fato aconteceu;

  • Juliette foi a mais requisitada para as campanhas de marketing nas redes sociais visando, desde o programa, o grande sucesso de vendas que ela conseguia atingir com sua influência. Atualmente ela é uma das grandes embaixadoras da Avon, além de fazer campanhas para diversas outras marcas que apoia.

Podemos concluir com alguns desses participantes escolhidos como exemplo que o Big Brother Brasil tem sido um programa com alto índice de retorno para os anunciantes que recorrem aos participantes com maior influência durante os 3 meses de confinamento.

Leia Mais
Publicidade

A VISIBILIDADE GERADA PELO BBB

Quem nunca conheceu uma música no BBB?

A visibilidade que o BBB traz é indiscutível – seja ela positiva ou negativa. Rodolffo sabe bem disso, sua participação no reality rendeu bons frutos para a dupla Israel e Rodolffo, e trouxe o reconhecimento que todo artista sonha. O sertanejo foi eliminado nessa terça-feira (6), mas antes disso já faturou R$ 1,5 milhão com a reprodução da música Batom de Cereja nas plataformas digitais. A música é a mais tocada no país e recentemente alcançou a marca de 100 milhões de visualizações no YouTube.

Outro exemplo dessa edição foi a música “Deus me proteja”, de Chico César e Dominguinhos, que teve uma procura muito alta após Juliette – o grande sucesso do BBB – ter cantado-a em um momento de desabafo. A assessoria do cantor informou que as buscas pelo vídeo com a versão acústica original cresceram disparadamente, passando de 7 mil visualizações para 74 mil.

Na edição passada aconteceu uma coisa parecida com a música “Don’t Start Now” da Dua Lipa, que se tornou o hit do BBB20 após a dancinha da Manu Gavassi – que deu um show de marketing e publicidade com os vídeos que eram postados em suas redes sociais durante o confinamento, e influenciou participantes dessa edição, como a Carla Diaz e a Viih Tube. Muita gente conheceu a própria Dua Lipa a partir do BBB, e a música ficou conhecida como “a da Manu do BBB”. A amizade entre ela e a Rafa Kallimann também trouxe ainda mais repercussão para a música “Boa Memória” do Luan Santana, que era cantada por elas em todas as festas.

Podemos concluir então que nem sempre é só o vencedor que sai ganhando, muitas pessoas alcançam o sucesso a partir do programa ou conseguem alavancar suas carreiras, no caso das edições com celebridades. O prêmio acaba sendo muito mais que o dinheiro, mas o reconhecimento e a visibilidade que o programa proporciona.

Leia Mais
EntretenimentoMarketing

Juliette Freire, o case de sucesso do BBB21

“Quem é que faz as redes sociais da Juliette, hein? Quero pra mim também”. Frase publicada recentemente pela Anitta.

A paraibana Juliette Freire, de 31 anos, que entrou no programa com pouco mais de 3 mil seguidores, atualmente tem 17,8 milhões de seguidores no Instagram (e até você terminar de ler esta matéria, pode ser que ela tenha chegado aos 18 milhões).

Ela bateu a primeira marca histórica no reality ao conquistar o título de um dos perfis no Instagram com maior engajamento do Brasil e do mundo, segundo um levantamento da Hype Auditor. Depois de poucos dias, após voltar do paredão, Juliette bateu outro recorde quando uma de suas fotos ganhou 1 milhão de likes em menos de 6 minutos, considerado o menor tempo a chegar nesta marca em toda a história da plataforma. Além disso, sua equipe já afirmou que foi procurada por mais de 100 marcas interessadas em fechar contratos publicitários. Você pode até não gostar de BBB, mas é importante reconhecer a força que ele tem.

Mas a pergunta que não quer calar: como e quem fez isso acontecer, enquanto a sister está confinada? É claro que ela tem seu mérito por conquistar tantos brasileiros com seu jeito espontâneo e coerente, mas por trás de seu sucesso nas redes sociais também existe um time de 20 pessoas trabalhando muito.

Eles distribuem o conteúdo da melhor forma e linguagem para cada rede, sempre tentando alinhar com a Juliette de dentro da casa. Existem pessoas para chefiar o conteúdo de cada rede social com muito cuidado e atenção, fazendo com que Juliette esteja muito bem representada em Instagram, Facebook, Twitter e Tik Tok. Eles aproveitam ao máximo os arquivos disponíveis da sister, como por exemplo os stories já gravados, para explorar todas suas personalidades: a advogada, a maquiadora, a cantora, a que faz piada, e que fala de assuntos sérios também e por aí vai… 

A audiência procura por Juliette, mas se o conteúdo não for relevante, atrativo e gerar identificação, não atrai tamanha atenção e engajamento do público.

Leia Mais
Opinião

E se ninguém falar do BBB, o Blog do Crespo fala sozinho!

A história se repete pela décima terceira vez.

Na noite de hoje tem início mais uma edição do tão contestado Big Brother Brasil, na tela da TV Globo.

Desta vez, aparentemente o programa não traz novidades logo de cara, como tem ocorrido em edições anteriores.

E o que nos chama atenção é que mais uma vez, as pessoas tratam o programa como a "escória" da TV aberta nacional.

Ainda que não cabe aqui julgar o que pensa cada um, parece que se tornou cool criticar o BBB nas páginas do Facebook ou do Twitter.

Acontece que para nós, profissionais de mídia, nos cabe não somente julgar o programa como expositor de princípios e valores dos que lá estão, mas sim, como oportunidade de mídia.

Sim, é verdade que ano passado, o programa apresentado pelo chato do Bial viu a sua audiência cair. Não são boatos, são fatos.

A audiência caiu sim e isso tem acontecido nas últimas edições. Estamos atentos a isso!

Mas por outro lado, o programa tem apresentado sucesso comercial. A edição passada do BBB, foi a que apresentou a maior receita com publicidade em toda a história do programa na emissora.

Para se ter uma ideia, neste ano, as cotas de patrocínio que custavam algo em torno de R$ 23,9 milhões foram vendidas todas ainda no mês passado. Nesta edição, Garnier e Chocolates Brasil Cacau se unem à Fiat, Unilever e Ambev!

Precisamos saber e bastante sobre esse programa. Talvez não haja necessidade de assistirmos todos os dias o "pessoal da casa", torcermos, etc, mas temos que saber o que se passa para identificar ali oportunidades para nossos clientes.

Eu, por exemplo, já tive experiência com ações de merchan no programa e terei mais uma vez, nesta edição de 2013. A disputa por uma ação no programa é tão acirrada que existe uma dificuldade absurda para se conseguir uma boa data.

Desta forma, creio que não podemos ignorar o programa. O Blog do Crespo estará atento ao programa, trazendo à vocês leitores, informações de audiência, conteúdo e oportunidades para os anunciantes.

Logicamente, não nos cabe o julgamento, ainda que subjetivo, dos participantes que lá estão e de suas atitudes. Esse tipo de informação não iremos abordar, por não nos interessar e nem aos nossos leitores.

Porém, quanto às informações que interessam à mídia, podem ter certeza que se ninguém falar do BBB, o Blog do Crespo fala sozinho!

Leia Mais
Marketing

Artigo: o anti-marketing do Big Brother Brasil 10

Galera,

No Portal Exame, saiu uma matéria da jornalista Carolina Meyer, muito interessante sobre o anti-marketing ocorrido para inúmeras marcas, na décima edição do BBB.

Com os devidos créditos da matéria, tomo a liberdade de copiar aqui para vocês.

Vejam o artigo:

por Carolina Meyer

Para muita gente, a décima edição do Big Brother vai ficar marcada como a que consagrou o politicamente incorreto Marcelo Dourado, jogador reincidente que, graças às suas pérolas, acabou colocando a Globo numa baita saia justa com o Ministério da Saúde (a ponto de a emissora ter de veicular um comunicado esclarecendo as formas de transmissão da aids durante a final, na terça-feira).

Mas a edição foi muito mais interessante do que isso — sobretudo para as empresas que costumam usar o Big Brother como vitrine de marketing. Algumas das ações planejadas pelos executivos não surtiram nem de longe o efeito planejado. Em alguns casos, o resultado foi exatamente o contrário.

Vejam o que aconteceu com a Ambev, um dos tradicionais anunciantes do programa. Para promover o Guaraná Antarctica, a empresa criou um jogo segundo o qual os participantes deveriam beber uma quantidade de copos do refrigerante determinada pelo arremesso de um dado gigante.

Tamanho era o investimento em imagem que até o craque Ronaldo participou do quadro, como juiz.

Pois alguns dos participantes simplesmente se recusaram a terminar o jogo, e não esconderam o mal-estar que sentiram ao ingerir três ou quatro copos do Guaraná.

Ou seja. A Ambev pagou uma nota para ter seu produto detonado em rede nacional.

Outra ação que teve resultado inesperado foi a da Honda. A montadora sorteou um de seus maiores sucessos de vendas, a Honda Bizz, entre os participantes da casa. O vencedor foi o Serginho, homossexual assumidíssimo — que tratou de apelidar a motocicleta de “Honda Bicha” (com uma ajudinha do próprio Pedro Bial).

Não que a Honda tenha demonstrado qualquer tipo de preconceito com relação à atitude. Mas certamente não era essa a sua estratégia de comunicação.

Fica, então, a lição para as próximas edições do reality show. Quando se trata de gente, o resultado nunca é assim, preto no branco. Sorte da marca que conseguir lidar com isso de maneira tranqüila. Até porque, a julgar pela enxurrada de empresas que despejam um caminhão de dinheiro no Big Brother todo ano, o risco deve mesmo valer a pena.

Abaixo, a tal prova da Ambev com o Guaraná Antarctica:

 

Leia Mais