close

cannes

Conteúdo

Sam: a nova assistente virtual da Samsung

Com intenção de estreitar mais o relacionamento com os clientes, a Samsung lançou Sam, sua nova assistente virtual para quem estiver comprando ou pesquisando produtos como smartphones, tablets, smartwatches e fones de ouvido na loja online.

Sam segue os moldes da Lu, do Magalu e o CB, da Casas Bahia e foi apresentada ao público no final de 2020. Contudo, a empresa decidiu deletar tudo o que envolvia a assistente virtual, a qual passou por muitas transformações, voltando às redes sociais em uma versão 3D com traços que lembram mangás e animes, com intenção de ser moderna, animada, ter mais expressividade, poses e diferentes texturas. Jannos Artusi, head de e-commerce da Samsung Brasil afirma que “A Samsung coloca o consumidor no centro de suas decisões, seja ao desenvolver um dispositivo, um serviço ou um recurso. A Sam oferece às pessoas uma nova maneira de interação, facilitando a busca por produtos e contribuindo, de maneira direta, com informações e explicações que sejam interessantes aos usuários. Nossa nova assistente virtual é mais uma opção em nosso amplo portfólio de serviços de atendimento, permitindo ao consumidor optar por aquele que seja mais conveniente para suas necessidades”.

O projeto foi solicitado pela Cheil, a empresa de marketing da Samsung, e produzido pelo estúdio Lightfarm, uma casa de produção multipremiada de artes visuais reconhecida por Cannes e ganhadora do LIA Grand Pix.

 

Leia Mais
Publicidade

O meu Leão de Cannes

Todo profissional de Criação sonha em ter um Leão de Cannes. Ok, nem todos. A verdade é que o Leão de Cannes é mais um símbolo da conquista dos publicitários – sobretudo os Criativos – que um dia chegaram lá, e chegaram bem. Seja por um título espetacular quando se é Redator, por uma arte foda quando se é um Diretor de Arte, enfim, quando se faz um trabalho genial e se é reconhecido no mais importante Festival de Publicidade do Mundo, realizado na Riviera Francesa.

Meu sonho quando me tornei Redator era ter um Leão, e meu irmão – que já era um Publicitário – sabia disso. Ciente de que os caminhos seriam difíceis, e mesmo sabendo que eu era um estudioso da profissão, fez questão de encurtar a minha trajetória.

Ele foi a Cannes. Sem um briefing na mala, e sem planejamento, ele me trouxe um leão. Sim, um Leão de Cannes, este que está na foto desta matéria. Ora, não deixa de ser um leão, de Cannes, inclusive. Mas de pelúcia, é verdade.

Hoje, em nossa agência, o Leão de Cannes é o mascote e guardião dos jobs que por lá chegam. É ele quem nos inspira e que nos diverte ao contar esta história para os clientes e parceiros que nos visitam. E o mais legal, é que diferentemente dos outros Leões, este, somente eu e a Agência Creativosbr temos.

Leia Mais
Publicidade

Anunciado o LIONS Membership, com acesso gratuito ao Cannes Lions Live

O objetivo da nova plataforma é reunir a maior rede de pessoas e empresas para impulsionar o progresso profissional e pessoal por meio da criatividade

O Estadão, representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade no Brasil, comunica que hoje foi anunciada a criação do LIONS Membership, uma plataforma anual desenvolvida para unir a comunidade criativa global por meio do acesso à inspiração, aprendizado, recursos criativos, um diretório global de talentos e encontros da comunidade digital e física.

Simon Cook, diretor gerente do LIONS reforça que a plataforma disponível durante o ano todo existe para aqueles que buscam impulsionar o progresso por meio da criatividade e apoiará a todos, em todas as fases da jornada, “Sabemos que coisas extraordinárias acontecem quando a comunidade global se reúne e já sabemos há algum tempo que a excelência criativa não pode mais ser amarrada a uma única semana de junho. Pela primeira vez, os membros da comunidade podem experimentar o poder coletivo de todos os demais no negócio da criatividade, juntamente com aprendizado de classe mundial e experiências comunitárias, recursos únicos, interação e visibilidade durante todo o ano”, finaliza.

Todos os vencedores de ‘Leões’, passados e futuros, receberão afiliação gratuita. Além disso, os afiliados ao LIONS Membership também terão acesso gratuito ao ‘Cannes Lions Live’ deste ano, o componente digital do Cannes Lions – incluindo resultados de prêmios ao vivo, análises e comentários, sessões inspiradoras, experiências comunitárias imersivas e um canal dedicado de ‘criatividade sob demanda’.

O LIONS Membership dará as boas-vindas a todas e todos, em qualquer estágio da jornada criativa. Como parte do investimento contínuo do LIONS em talentos futuros, os menores de 30 anos se beneficiarão de uma taxa mais baixa para permitir o acesso aos recursos e à rede de que precisam para desenvolver sua criatividade.

O LIONS também deseja lançar o ‘1954’ – um clube exclusivo formado pelas melhores mentes criativas do mundo. Além de receber acesso gratuito ao LIONS Membership, qualquer pessoa que ganhou um ‘Leão’ desde que foi premiado pela primeira vez, 67 anos atrás, terá a oportunidade de ingressar no ‘1954’.

“Imagine o que poderia ser alcançado se pudéssemos conectar todos os maiores criativos do mundo. Os ‘Leões’ são concedidos a uma ampla gama dos melhores pensadores criativos do mundo, incluindo agências, marcas, proprietários de mídia e empresas de tecnologia, para citar apenas alguns. Este coletivo de elite, vencedores, aprenderá e ensinará uns aos outros, além de ter acesso exclusivo a especialistas, experiências, percepções e recursos mundiais,” comenta o presidente do LIONS, Philip Thomas.

Thomas diz estar confiante de que os membros fundadores do ‘1954’ aproveitarão o poder coletivo para impulsionar o progresso por meio da criatividade – para a comunidade diversificada e global de membros, para os negócios e para o mundo.

A anuidade do LIONS Membership custa € 249 e inclui acesso ao Cannes Lions Live (cujo preço individual é de € 249). Todos os vencedores de ‘Leões’ podem se inscrever para ingressar no clube 1954. Os menores de 30 anos receberão um desconto de 30% em todos os preços de associação.

O LIONS Membership estará disponível para compra em maio com todos os benefícios da associação, incluindo acesso ao Cannes Lions Live, disponível a partir de 21 de junho de 2021. Para qualquer dúvida sobre a associação ao Lions, envie um e-mail membership@lionscreativity.com

Leia Mais
Opinião

Propaganda de cerveja, mulher e Cannes

Ação feita pela Heineken surpreende e gera discussão

Todos nós sabemos o quanto o título desse texto é repetitivo nas campanhas da grande maioria das marcas de cerveja há muitas décadas. Só que o problema não é esse, o problema é como essa relação é retratada nessas propagandas e dos roteiros já bem estereotipados desse perfil de mulher.

Acontece que isso está mudando, mesmo que seja a passos lentos as marcas estão entendendo que todo esse universo já teve o seu tempo e que esse tipo de propaganda já não promove tanto impacto assim, porque querendo ou não é sempre o mais do mesmo. E melhor do que isso: que essa mesma mulher pode estar sentada à mesa, bebendo a sua cerveja na companhia do homem, sem precisar estar servindo e vestindo roupas com objetivo de insinuá-lo. Nessa caminhada de mudanças, aparecem campanhas distorcidas e que tropeçam, mas é notável que a tendência é diminuir cada vez mais ao longos dos anos esse perfil de propaganda nas marcas de cerveja.

Ilustro toda a minha fala com a campanha The Clichê, da Heineken, assinada pela Publicis Brasil e premiada hoje (21), que faturou um Leão de Bronze no Festival Internacional de Criatividade de Cannes, na categoria Media Lions. Resumindo rapidinho para quem não viu ainda, inicialmente, “The Cliché” parece mais uma daquelas ações que estereotipam os gêneros: “homens gostam de futebol, mulheres de beleza”, mas a história sofre uma reviravolta (confiram tudo no vídeo abaixo haha), derruba estereótipos e questiona: “Já pensou que ela pode gostar de futebol tanto quanto você?”.

Eu não sei vocês, mas eu achei muito massa esse filme. Considero a iniciativa exemplar, como também deixa claro que esse tipo de propaganda gera reconhecimento e é super atual. Fato é que temos que continuar observando as campanhas das demais cervejarias e até mesmo da Heineken para ver como que tudo isso vai se comportar daqui um tempo, porque tudo é muito atual e acontece de forma rápida.

Acontece que o vídeo teve muita repercussão, inclusive alguns portais de comunicação disseram que os casais na verdade são atores. Sobre isso, a Heineken soltou a seguinte nota por meio da assessoria de imprensa: “A Heineken não contratou atores para fazer parte da campanha. Os participantes foram selecionados por uma agência de casting que tinha como briefing trazer perfis que preenchessem os seguintes requisitos: formarem casais com uma relação verdadeira (namorados ou casados), ter disponibilidade para viajar e gostarem muito de futebol, independentemente de suas profissões. Os garotos receberam cachê pela participação e as garotas tiveram todas as despesas de viagem pagas, assim como uma ajuda de custo para se manterem em Milão. Nenhum deles foi contratado para atuar. Importante reforçar que as reações no vídeo foram espontâneas e autênticas, e não fruto de scripts e textos pré-escritos.”

 

Leia Mais
Vai e vem

Publicis anuncia novo diretor de criação

 

Com 20
anos de mercado e forte foco em inovação, Sandro Rosa é o novo diretor de
criação da Publicis.

O profissional, que atuava como diretor de criação digital
da AlmapBBDO, passa a integrar a equipe comandada por Kevin Zung e a trabalhar
com marcas como P&G e Heineken. 

Diretor
de arte por formação, Sandro Rosa tem passagens também pela
AgênciaClick Isobar, F/Nazca S&S, Africa e Dm9DDB. Seu portfólio
traz trabalhos para clientes como Volkswagen, Visa, Havaianas, Audi, Gillette,
Brahma, Skol, Bohemia, Antarctica e Itaú. 

Premiado
nos principais festivais de criação do mundo – entre eles, Cannes Lions, One
Show, D&AD, Webby Awards, Clio, New York Festivals e London International
Advertising Awards –, Sandro foi co-fundador do chat de tradução simultânea
iBabel.me e já teve ilustração publicada no livro “Things I Have Learned in My
Life So Far” do designer austríaco Stefan Sagmeister, sócio da empresa
nova-iorquina Sagmeister & Walsh.

O Blog do Crespo deseja sucesso ao profissional.

Leia Mais
Vai e vem

Publicis anuncia novo criativo

A
Publicis segue investindo em seu time de profissionais e anuncia a contratação
do diretor de arte Guto Kono.

O
criativo passa a integrar a área comandada por Kevin Zung, diretor-executivo de
criação da agência.

Guto, que passou pela Ogilvy, Leo
Burnett Brasil e Cheil, entre outras agências, é dono de uma ampla lista de
premiações nacionais e internacionais. 

Em
2013, ele foi reconhecido com ouro no Festival de Cannes, além do One
Show, Effie Awards, London Festival, El Ojo e outros.

Em sua pasta, tem trabalhos para
clientes como P&G, Samsung, Bradesco, Coca-
Cola, Magazine Luiza, Nestlé,
Unilever e Philips.

Leia Mais
Entrevistas

Entrevista: Eco Moliterno

CreativosBr – Como você avalia a criatividade publicitária brasileira dos dias atuais e quais seriam as principais diferenças do que produzimos hoje em relação ao que tínhamos dez ou vinte anos atrás?

Eco Moliterno – A criatividade publicitária brasileira, felizmente, continua sendo referência mundial. No entanto, com as mídias todas digitalizadas, as formas de se fazer publicidade hoje são infinitamente maiores do que há dez ou vinte anos – e nesse ponto, infelizmente, ainda estamos anos-luz atrás de países como EUA, Suécia e Japão.

 

CreativosBr – Como é trabalhar com um dos maiores nomes da publicidade, Nizan Guanaes e qual a participação dele no processo criativo das campanhas desenvolvidas para os clientes da Agência Africa?

Eco Moliterno – No final dos anos 90, quando eu ainda era um estudante de publicidade na ECA-USP, jamais imaginaria que um dia fosse duplar com aquele cara que estava ganhando todos os Leões em Cannes na época. E hoje, na Africa, já tive a honra – e a sorte – de fazer isso algumas vezes. O Nizan tem o poder de resumir raciocínios bastante complexos em frases muito simples e diretas, partindo sempre de princípios humanos essenciais para criar conceitos capazes de tocar qualquer um, de qualquer classe social. Com ele, aprendo todos os dias como transformar o óbvio em algo totalmente novo.

 

CreativosBr – Seria ele um de seus ídolos na publicidade? Quais outros nomes você tem como referência na profissão?

Eco Moliterno – Por falar em sorte, eu trabalhei – e ainda trabalho – com algumas das maiores referências do mercado, tanto em direção de arte como em redação. Além de fazer jobs com o Nizan, uma lenda viva da propaganda, minha sala hoje é vizinha à do Ricardo Chester, um dos maiores redatores que o país já teve e pra quem eu tenho a honra de pedir a opinião sobre alguns filmes antes deles irem pro ar. Quando eu era VP de Criação da Wunderman, tive a chance de participar de muitos trabalhos e apresentar algumas concorrências junto com o saudoso Tomás Lorente, na época VP de criação da Y&R e considerado um dos maiores diretores de arte da história da publicidade brasileira. Além de tudo isso, meu chefe hoje, o Sérgio Gordilho, também é um ícone nacional em direção de arte, dono de um refinamento artístico único e de umas das estéticas visuais mais apuradas do mercado. Ou seja, em relação a referências criativas, eu não poderia estar melhor 🙂

 

CreativosBr – Em sua opinião, o que torna uma pessoa criativa? Ócio, lazer e repertório cultural ajudam de alguma forma?

Eco Moliterno – Eu não acredito que uma pessoa se “torna” criativa. Pra mim, ela já nasce assim e apenas vai desenvolvendo sua criatividade ao longo da vida. Para isso, repertório cultural e lazer são, inegavelmente, dois ótimos combustíveis – quanto ao ócio, desde que comecei a trabalhar com publicidade eu não sei mais o que é isso, rs…

 

CreativosBr – Muitos dos leitores do CreativosBr são estudantes de Publicidade ou jovens profissionais que ainda buscam uma primeira
oportunidade na profissão. Quais as dicas que você daria para um estudante que busca uma vaga num departamento de criação de uma grande agência de publicidade?

Eco Moliterno – Por melhor que ela seja, não leve na entrevista apenas a sua pasta. Mostre também pro diretor de criação algo que ele jamais esperaria ver. Algo que não pode ser impresso. Que não é on, nem off. Que nunca foi feito. Que ainda não tem nome. E que não caberia em nenhuma pasta. Em outras palavras: se você quer ser visto, faça o que ninguém nunca viu. Simples – e complexo – assim.

 

CreativosBr – Você criou campanhas de grande repercussão, que se tornaram sucesso na web e que até hoje estão na boca do povo, como por exemplo, a campanha com Joel Santana (Head&Shoulders – P&G), entre outras tantas. Para isso acontecer é necessário que haja uma grande sintonia entre agência e cliente. Até que ponto, os anunciantes estão dispostos a embarcarem no ineditismo muitas vezes proposto pelos criativos das agências?

Eco Moliterno – No momento que vivemos hoje na propaganda – onde os pré-testes e as pesquisas de opinião estão reinando como nunca -, os clientes estão cada vez menos dispostos a arriscar as verbas das mídias ‘tradicionais’ em ações ousadas e inovadoras. Na internet, porém, ainda temos uma liberdade para criar bastante semelhante com a que os criativos tinham nas décadas de 80 e 90 – e aí a parceria entre agência e
cliente é fundamental para viabilizar projetos diferenciados. E somente graças à ótima relação que temos com a P&G, conseguimos colocar no ar projetos como o 
Donti Révi Caspa, pra Head&Shoulders, A Volta do Atchim & Espirro, pra Vick, Vai Amarelar, pra Gillette, e Strip da Gisele, pra Oral-B – ideias que, se não tivessem sido criadas para a internet e para um cliente tão parceiro, dificilmente teriam ido pro ar.

 

CreativosBr –  Muito do que você criou para web acabou sendo posteriormente levado para a TV aberta, de forma adaptada. Porém, anos atrás era nem imaginado que um dia algo criado para internet pudesse, somente depois, ganhar espaço na TV. Quais as principais diferenças de criar para web e para TV? É difícil ser um criativo digital num mercado em que a TV aberta ainda possui mais de 60% dos investimentos em mídia?

Eco Moliterno – A maior dificuldade para um criativo digital – mais do que o investimento em mídia – é, sem dúvida, ser considerado apenas um criativo digital. Vivemos hoje um momento de convergência das mídias onde qualquer profissional rotulado como especialista em uma área só está fadado ao fracasso. Eu mesmo já me livrei faz tempo desse fardo, e hoje crio conteúdos para as marcas – que nascem na web e depois vão parar no cinema e na TV. Afinal, é muito mais fácil adaptar um filme interativo para os meios tradicionais do que o caminho inverso.

 

CreativosBr –  Você foi eleito o Profissional de Criação no Caboré 2013. Antes mesmo da premiação, seu nome já era dado nos bastidores como o favorito ao prêmio por todo o trabalho fenomenal desenvolvido ao longo do ano.  Seu discurso na cerimônia de entrega foi bastante comentado e elogiado por inúmeros profissionais do mercado. Falou da nova geração de profissionais e pediu palmas para os outros dois indicados ao prêmio, algo infelizmente pouco comum nos discursos dos vencedores. Você foi o primeiro profissional criativo digital premiado no Caboré. Qual a importância desse prêmio para você e para o mercado criativo digital?

Eco Moliterno – Acho que esse meu prêmio no Caboré é a prova definitiva de que não existem mais barreiras na criação. Fiquei muito honrado em ser o primeiro profissional digital a ganhar a tão desejada coruja, ainda mais concorrendo com dois caras tão talentosos da mesma geração de criativos da qual faço parte – e que abocanharam, recentemente, vários leões de ouro e GP’s em Cannes. Espero essa minha conquista sirva de exemplo pra todos os novos criativos que sonham em um dia ganhar esse reconhecimento e que, quando eles subirem no palco, também peçam
palmas para seus concorrentes. Afinal, a era da rivalidade entre criativos já era.

 

CreativosBr –  Para fechar, a pergunta que todo criativo certamente já respondeu uma vez na vida. Qual campanha publicitária que você
gostaria de ter criado, que você olha e diz: “Caramba, que idéia animal! Queria que fosse minha.”?

Eco Moliterno – Dumb ways to die. Além de ser  brilhante em todos os sentidos (música, letra, arte, animação), tem algo que torna essa peça ainda mais genial: o briefing, além de chato, era dificílimo de resolver. Mas os australianos, brilhantemente, conseguiram transformar esse osso em um
saborosíssimo filé.

 

CreativosBr – O Blog do Crespo agradece sua participação e atenção nessa entrevista que marca os 5 anos de vida do nosso projeto. Parabenizamos por tudo o que tem feito e desejamos ainda mais sucesso para os dias que virão. Um grande abraço de toda a equipe. 

Eco Moliterno – Eu que agradeço a oportunidade. E parabéns pelos 5 anos! Abs! 

 

Leia Mais
1 2 3 4
Page 1 of 4