close

corrupção

Publicidade

Ações anticorrupção da Petrobras viram campanha

Ações anticorrupção da Petrobras viram campanha – Publicidade – CreativosBR

Intitulada de “Confiança”, a campanha criada pela DPZ&T se baseou em pesquisa à opinião pública, a qual detectou que a maioria das pessoas desconhece as ações de governança e conformidades desenvolvidas pela Petrobras no decorrer dos últimos anos. A campanha estreou nesta segunda-feira (29) no intervalo do Jornal Nacional e veio para divulgar as ações que a empresa tem tomado para aprimorar a prevenção e o combate à corrupção. A produção foi feita no primeiro semestre, mas só veio ao ar agora por conta do período eleitoral, seguindo orientações legais e normativos relativas à publicidade institucional.

Além da exibição na TV aberta, a campanha com assinatura “Não existe caminho fácil. Existe o caminho certo” também tem inserções de peças em jornais, internet e um filme exclusivo para cinema durante o mês de novembro. A campanha posiciona a Petrobras como vítima da corrupção revelada na operação Lava Jato, trazendo no primeiro comercial as medidas implementadas contra a corrupção nos últimos anos. No segundo, conta com colaboradores de diferentes áreas da companhia falando sobre as ações adotadas, enquanto o filme destinado ao cinema enfatiza e destaca a Petrobras como motivo de admiração brasileira. Confira os vídeos abaixo. Não deixe de ver o último!

Leia Mais
Publicidade

Provocações como estratégia publicitária

Provocações como estratégia publicitária – Creativos Br – Nextel – Ruivo

A propaganda comparativa vez ou outra movimenta o cenário das grandes marcas com sutis provocações com a concorrência. Entre os casos globais mais “famosos” temos as rivalidades Coca-Cola x Pepsi, e também Mc Donalds x Burguer King. Apesar da publicidade comparativa ser permitida na legislação brasileira (Art. 32 do CONAR), não é tão comum essa prática quanto na cultura norte americana.

Contudo, a necessidade do discurso publicitário pressupõe comparações: diretas ou indiretas, sobre concorrentes ou mesmo apenas sobre comportamentos e anseios de consumidores. Para Juliana Albuquerque, gerente Jurídica do Conar, o que prevalece é a informação. O conteúdo do anúncio precisa esclarecer o consumidor.

Já que tocamos no assunto, a Nextel lançou no último final de semana um VT provocando praticamente toda a concorrência. Inclusive protagonizado por João Cortês, ator que ficou conhecido atuando em campanhas da Vivo. Confira:

E se você é adepto ao tom provocativo, veja abaixo a brilhante sacada da Forbes, só que neste caso a provocação não é para a concorrência e sim para uma sociedade inteira. Veja o “início” desta ação de posicionamento contra a corrupção e de valorização ao empresário sério; a Forbes criou em conjunto com a Ogilvy e a empresa de tecnologia Nexo.

O projeto, apesar de ainda estar em andamento, foi baseado em inteligência artificial e machine learning. O intuito é que a imprensa posso entrevistá-lo até o fim deste mês e que a publicação chegue às bancas a partir de 16 de abril.

As opiniões quanto a publicidade comparativa são inúmeras e controversas. Há quem enxergue como antiética, agressiva e desnecessária, mas também há quem veja com bons olhos o “burburinho” que pode gerar e pensa nesse tipo de abordagem como criativas e oportunas. E você, o que acha desse tipo de posicionamento?

 

Leia Mais