close

dicas

Entrevistas

Entrevista: Isabella Zakzuk

Isabella Zakzuk, diretora sênior de marketing na Procter & Gamble (P&G), é paulista e formada em Administração de empresas pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Sendo uma pessoa muito determinada e comunicativa, iniciou sua carreira na P&G há 14 anos como estagiária e hoje ocupa um dos cargos mais altos do mercado do marketing. Abrangendo sempre o aspecto humanitário da empresa, Isabella defende que a paixão pelo trabalho e a consciência de que tudo vale a pena para o seu desenvolvimento são elementos profissionais essenciais.

CreativosBr – Sabemos que o machismo na sociedade, sobretudo nas agências de comunicação, sempre foi uma grande realidade. Como você, mentora de futuros jovens talentos da comunicação, aborda esse assunto – principalmente com as mulheres?

Isabella: O machismo realmente sempre foi uma grande realidade,que acredito que aos poucos, a sociedade tem evoluído bastante, também com o papel de grandes organizações e de pessoas que acabam levantando esse assunto para educar, para debater e para caminhar. Meu papel como mentora de jovens talentos, principalmente mulheres, é em primeiro lugar mostrar que é possível!  Sempre que nós queremos quebrar algum padrão que não consideramos correto, é muito importante que a gente veja que é possível chegar lá! É possível ser mulher e crescer, é possível ser mulher e ser uma profissional respeitada e reconhecida, e o mais importante, é possível fazer isso sendo quem você é! O meu papel principal e parte da responsabilidade que carrego é servir de exemplo, de modelo. Precisamos desses tipos de heróis ou heroínas que nos mostrem que construir, batalhar e sonhar valem a pena! Em segundo lugar, é ajudar nas questões do dia a dia, compartilhando as próprias vulnerabilidades e as próprias situações as quais tive que enfrentar, o machismo ou outras condições que me desfavoreceram. Ajudar é ser uma voz que vai ativamente lutar contra isso! Embora seja um caminho possível, não é fácil.  Precisamos estar lá e servir como um porto seguro, um ponto de ajuda, alguém que possa, a partir das próprias experiências, mostrar que dá para virar o jogo.

CreativosBr – A P&G é uma multinacional que conta com vários pilares de diversidade e inclusão, como exemplo a organização GABLE (Gay, Aliados, Bissexual, Lésbicas e Transgêneros) que é presente em 43 países com mais de 5 mil membros. Questões como essas são de extrema importância para as pauta das empresas atuais. Como você se sente fazendo parte e ajudando a construir um mercado publicitário mais moderno e inclusivo, em uma área que até uns anos atrás era muito padronizada?

Isabella: A P&G realmente possui todos esses  pilares de diversidade e inclusão, porque ela não só acredita em diversidade e inclusão como parte do que chamamos de PVP’s, que são os nossos propósitos, valores e princípios, como também acreditamos genuinamente que melhores resultados são alcançados a partir de equipes diversas.  Quando cheguei na companhia a igualdade de gêneros não era uma realidade, mas hoje, felizmente ela é! Temos uma equipe bastante equilibrada entre homens e mulheres, isso também na liderança. A verdade é que olhando para trás, vejo que nesses 14 anos que pude ser parte de dentro da P&G, vejo a jornada fantástica na frente de diversidade e inclusão, e me sinto muito orgulhosa porque sei que a companhia para qual eu gero resultados com meu trabalho, compactua e age para ter um impacto positivo na sociedade. Além do orgulho, sinto bastante responsabilidade, ainda mais por hoje eu estar na liderança, também sou responsável por levar essa jornada adiante.

CreativosBr – Passando por diversas experiências profissionais em uma multinacional de comunicação você já deve ter presenciado ou ter ouvido testemunhos de comportamentos sexistas em escritórios e conferências. Há/houve algum meio de denúncia ativa, como canais de denúncia anônima ou até mesmo de suporte emocional dentro da empresa?

Isabella: Na P&G a cultura é muito forte! Nosso propósito, valores e princípios são o que de mais inegociável nós temos, o maior ativo da companhia, na minha opinião. É claro que há situações que fogem da norma, daquilo que consideramos o correto, mas existe um sistema fortíssimo que ajuda as pessoas a entender quais são os comportamentos errados e não tolerados e a reportar esse tipo de comportamento, para que as devidas medidas sejam tomadas. Esse forte canal existe desde que eu entrei, ele continua existindo e serve realmente para capturar as exceções à regra. A regra é operar de acordo com a nossa cultura, com o que vemos a liderança fazendo, que como eu disse, são os nossos PVP’s.

CreativosBr – Recentemente você chegou a participar em um bate-papo sobre protagonismo feminino, marketing e inovação. Além desses bate-papos e de palestras informativas sobre as mulheres no mercado publicitário, o você acredita que pequenas e grandes empresas podem fazer para diminuir esse impacto da falta de presença feminina?

Isabella: Creio que se expor, participar desses bate-papos, entrar em grupos de conversa e olhar fora das paredes da nossa organização é uma das atitudes mais importantes para que consigamos diminuir esse impacto. Nosso papel como liderança além de fornecer mentoria para jovens talentos, também é promover o debate da sociedade, participamos de diversas mesas redondas, almoços construtivos, como nós chamamos, para debater temas importantes da sociedade com pessoas de diferentes idades e realidades. Um outro aspecto que eu acho que é um dos mais relevantes, é entender como profissional de comunicação, qual é o impacto que podemos ter a partir da voz das nossas marcas. Nosso papel é mais do que apenas comunicar um benefício funcional de mercado econômico, nosso papel também é promover debates importantes que ajudem a moldar a sociedade para aquilo que consideramos uma sociedade mais próxima do ideal, de acordo com os nossos valores.

CreativosBr – Você carrega uma alguma filosofia própria ou tem algum valor que ajudou a te apoiar em eventuais momentos de crise profissional? Ou tem alguma inspiração?

Isabella: Eu tive e tenho a oportunidade de cruzar, trabalhar e conviver com pessoas que definitivamente são inspiração para mim, mas até para ligar isso com a pergunta da minha filosofia própria, a minha principal filosofia é me inspirar e me espelhar não em uma única pessoa, mas em aquilo que eu gostaria de ser no futuro. Em vários momentos,eu fecho meus olhos e penso quem gostaria de ser daqui cinco anos, quem eu gostaria de ser daqui a 10 anos. Então eu penso: “Ok e o que que eu preciso fazer para chegar onde quero?”.  Isso não só na vida profissional, mas também na vida pessoal, também em relação ao legado que eu quero deixar no mundo. Isso é a respeito de você não ser outra pessoa, mas de você se aceitar e amar quem você é, e ainda assim buscar ser melhor todos os dias. Esse é um ponto muito importante e que me ajuda em momentos de crise e em momentos de conquista e realização,para também a gente nunca tirar o pé do chão.

CreativosBr – Você ingressou na P&G como estagiária e hoje em dia tornou-se diretora de marketing. Qual dica ou conselho você daria para os alunos de cursos de comunicação que estão ingressando agora no mercado publicitário?

Isabella: A principal dica: tenha atitude.  Os hard skills são coisas que a gente consegue aprender na escola,na faculdade ou até no trabalho; eles nós conseguimos construir! Tem até um ditado que fala que essas habilidades são as que nos contratam, mas muitas vezes são as atitudes que te demitem. Ter a atitude certa, de querer contribuir e aprender mais, de entender que somos eternos aprendizes,  isso é muito importante!

Segunda dica: se mantenha atualizado. Hoje, mais do que nunca, a gente precisa se atualizar porque a velocidade de transformação da sociedade é cada vez mais rápida e quando estamos falando com consumidores, um bom  profissional de comunicação tem que se conectar com eles. Precisamos lembrar que acima de tudo, eles são humanos e que a forma que vamos nos comunicar também tem que mudar, experimentar ferramentas novas para que não sejamos passados para trás.

Última dica: exercite sempre a empatia. No final das contas,nós temos que atender as necessidades e servir as pessoas, e só conseguimos entender essas pessoas quando temos empatia, quando sabemos observar, escutar e quando conseguimos transformar isso em insights.

 

Indicação de vídeo: Campanha “Like a girl” (Tipo Menina) da marca Always.  

Link: https://youtu.be/mOdALoB7Q-0

 

Leia Mais
Conteúdo

Mundo dos Apps: qual a melhor escolha?

Quem nunca teve o WhatsApp no celular que atire a primeira pedra!

Brincadeiras à parte, a bem verdade é que uso de aplicativos está se mostrando cada vez maior e as pessoas passaram a procurar os seus ‘queridinhos’ para baixar no celular, até porque, ter espaço nessa tecnologia é como encontrar o pote de ouro no fim do arco íris.

Conforme o tempo passa, mais e mais empresas investem nos aplicativos, seja devido a facilidade de funções em um só lugar ou até a experiência proporcionada aos usuários. E, não à toa, já sabemos todos os aplicativos básicos no celular: WhatsApp, Instagram, Facebook, Twitter, TikTok, Netlix… a lista é longa (e muito), porém o espaço é escasso e, devido a isso, sempre existe a pergunta: qual a escolha final do consumidor? Se você tivesse que escolher entre WhatsApp e Netlix, ou Instagram e TikTok, qual seria o aplicativo desinstalado?

É uma escolha difícil, nós sabemos. Mas, as empresas também sabem disso e buscam tentar criar a melhor experiência para você, de forma que ele venha a ser o escolhido a ficar. Então, vamos a (algumas) dicas para levar em consideração na hora de escolher usar um app no seu negócio:

  • Usabilidade/Eficiência

Não é novidade que quanto mais fácil o uso, mais prático ele é. Verifique se o aplicativo não dá erros no meio das funções, se os usuários conseguem encontrar facilmente o que precisam, se sabem usá-lo e se eles conseguem realizar suas atividades sem problemas.

  • Comunicação/Feedback

Aqui, você deve verificar se as pessoas se sentem acolhidas no momento do uso. “Ah, mas como eu vejo isso?” É bem simples: as mensagens de “bem-vindo de volta” ou “boa tarde, posso ajudar?”, instruções de uso simplificado, ou “estamos quase lá!” na finalização de uma compra, demonstram a presente preocupação das empresas com os seus clientes. É importante ouvir o que as pessoas têm a dizer, assim como é importante eles perceberem o que você possui de diferente no seu serviço.

  • Entender o mercado

Este ponto é o mais importante. Deve-se atentar ao perfil dos seus usuários e suas preferências, ou seja, o que eles gostam de utilizar no produto/serviço. Se uma pessoa gosta de praticar exercícios físicos, faz sentido possuir o app Nike Training, por exemplo. Não adianta ter um app com mil e uma funcionalidades se as campanhas do seu produto estão direcionadas para o mercado errado. Leve em consideração o número de pessoas que ainda possuem o aplicativo instalado – e com que frequência isso acontece -, entenda a realidade dos usuários.

E, vamos a um caso prático: em uma empresa que vende cosméticos, por exemplo, o uso de um app é bem mais fácil para desenvolvimento, manutenção e acessibilidade? A realidade é que mesmo o aplicativo sendo um ótimo meio de experiência para as pessoas, nem sempre é o ideal. A atualização dos catálogos, o espaço ocupado no celular, o tempo de desenvolvimento e a baixa acessibilidade, ou seja, as pessoas apenas fazem o download do app quando necessário, faz com que seja muito mais eficiente o uso de um site do que de um app.

O mercado digital é muito disputado e muda o tempo todo. Esteja atento ao que acontece com o seu público e o que melhor se encaixa nele e você fará muito sucesso!

Leia Mais
Digital

Dicas: O que seguir no Instagram em período pandêmico?

Desde março de 2020, com os primeiros casos confirmados de coronavírus no país, o Governo brasileiro tem anunciado alguns períodos de quarentena, nos quais a maioria da população que tem o privilégio de poder ficar em casa e trabalhar pela modalidade do Home-Office é aconselhada a permanecer em isolamento. Em comparação, a vida virtual se tornou sobrecarregada. O percentual de indivíduos nas redes sociais aumentou em 40%, segundo fontes do Jornal Contábil. E consequentemente durante este período pandêmico a saúde mental dos brasileiros tem piorado em torno de 53%, de acordo com a BBC News.

A cautela com o que se está consumindo durante os seus minutos na internet é sempre necessária, afinal de contas, esses minutos podem ser bons ou ruins dependendo do conteúdo que esteja disponível no seu feed. Ainda mais agora, sendo momento delicado para todos, onde se informar excessivamente sobre as atuais situações sobre a COVID-19 podem trazer resultados contrários à saúde mental. 

Por isso, separamos algumas dicas de perfis para você seguir no Instagram e curtir os minutinhos (talvez horas) virtuais de uma forma mais saudável e consciente.

  • Saúde Mental: Os tratamentos para prevenção e cuidados com as doenças psicológicas não são tão acessíveis. Ainda assim, podemos encontrar profissionais que estão sempre dispostos a ajudar. Portanto, pesquise sempre e peça ajuda!

Alguns perfis super legais que podem te ajudar:

  • Vidas Reais: O período de pandemia não é fácil e afeta tanto nossa saúde física quanto a mental, por isso cuidado para não ter pessoas no seu feed que passem a ideia de estar vivendo uma realidade inalcançável.

Alguns perfis super legais que podem te ajudar:

  • Entretenimento: Dar uma pausa na rotina e entrar nas redes sociais para ativar aquela serotonina seria um sonho, não é mesmo? Pois quando os perfis a seguir você vai conseguir se desligar uns minutinhos do mundo complicado e dar umas boas risadas.

Alguns perfis super legais que podem te ajudar:

  • Renovando as Esperanças: Com tudo que está acontecendo ao redor no mundo diariamente fica complicado continuar tendo fé na humanidade, mas podemos trocar que nem todo ser humano é culpado desse sentimento. Dá uma conferida nos próximos perfis que foram escolhidos especialmente para renovar suas esperanças com a humanidade.

Alguns perfis super legais que podem te ajudar:

  • Dica Bônus: Um dos perfis mais importantes que descobri recentemente foi o @qualmascara. Por lá você fica informado de uma maneira segura como se proteger da melhor forma possível contra a COVID-19 e qual a melhor máscara para te ajudar.

A equipe da CreativosBr deseja que todos estejam bem e em segurança. Esperamos que essas dicas ajudem de alguma forma a tornar este momento um pouco menos difícil.

Leia Mais
Mídia

Algoritmo do Instagram: 3 dicas infalíveis à sua disposição.

Nessa última quinta (8), a rede Instagram teve uma paralisação, estima-se que tenha sido por conta de uma nova atualização, porém, houve bastante repercussão nas redes que não podemos descartar; logo bombaram stories e até no feed com perguntas e reclamações como, “não está tendo entrega do meu conteúdo”, “meu engajamento caiu drasticamente, o que fazer?”, “ não entendo o algoritmo”, e assim por diante.

Grande parte tem conhecimento que o algoritmo do Instagram é outro. Até 2016 a entrega de conteúdo era cronológica, visibilidade igualitária para todos. Em contrapartida, os usuários passavam menos tempo na rede por interagir com postagens que não eram de seu interesse; por conta disso, houve essa mudança pensando em melhorar a experiência de quem usa e apresentar assuntos que agreguem e seja prioridade para cada um.

Mas afinal, como o algoritmo funciona? A mídia social faz a entrega do seu post para uma parcela da sua audiência. Conforme esse grupo interage com curtidas, comentários, enviar para alguém, ele vai aumentando a entrega, alcançando pessoas novas; enquanto isso acontece, o Instagram faz uma comparação com sua nova postagem e as antigas, e caso sua taxa de engajamento esteja baixa, isso prejudica seu alcance. Para solucionar isso, separamos 3 sugestões para vocês analisarem.

Frequência: um dos pontos mais importantes. Esteja sempre na ativa com seu público e faça postagens regularmente; no entanto, é necessário ter qualidade no que está tratando, pois a relevância do conteúdo é essencial para o melhor ranqueamento; dentro isso existe a temporalidade, por mais que a cronologia não é mais utilizada, ainda sim é um aspecto importante, uma vez que os mais recentes tendem a aparecer mais, por isso, novamente, conheça seu público e veja qual horário ele costuma estar online;

Engajamento: foi-se o tempo que número de seguidores era algo decisivo; curtida, comentário, enviar e principalmente compartilhar o post… o algoritmo entende que é relevante para os usuários; para melhorar isso trabalhe junto com a temporalidade, postar num momento em que os usuários estão mais ativos na rede; assim você vai conseguir um alto número de engajamento nas primeiras horas;

Relacionamento: relacionar-se com os usuários também faz parte dos princípios do algoritmo. Não é à toa que o feed do seu amigo ou marca que você gosta aparecem como prioridade para você. Com isso, apresente algo que promova uma melhor experiência, desperte o desejo de quem está consumindo seu conteúdo através de comentários, por exemplo. É daí que a análise parte. Além disso, relacionar o assunto que está abordando no feed com outros recursos, como stories, reels e o IGTV agrega para o perfil, ajudando nos três pilares apresentados.

Estabeleça planejamento e organização, tendo este entendimento a culpa não será mais do algoritmo. Dica: acesse o site Socialblade; com ele você consegue ver seu nível de engajamento, não somente no Insta, mas em outros veículos como Youtube, Facebook, TikTok. (lembre-se que isto é apenas para contas comerciais).

Leia Mais
Marketing

7 DICAS PARA MELHORAR A EXPERIÊNCIA DOS SEUS CLIENTES PELO WHATSAPP

O WhatsApp, além de ser um aplicativo de mensagens para as pessoas conversarem, é também uma plataforma muito útil para o pequeno e médio empreendedor manter uma relação amigável e transparente com seus consumidores.
Se você quer aprender como utilizar o WhatsApp para o seu negócio, é só continuar lendo.

Utilize o WhatsApp Business
Muitas pessoas não sabem o que é ou como funciona, tornando mais difícil visualizar o uso da ferramenta para os negócios.
O WhatsApp Business é um aplicativo secundário do WhatsApp voltado para o uso de empresas. Nele, é possível criar etiquetas, como “cliente novo”, “cliente fidelizado” e “prospect”, além de colocar informações importantes sobre o seu negócio no perfil, como site, horário de funcionamento e catálogo.
Gratuito, tudo que você precisa é baixar o aplicativo e cadastrar um número que não seja o seu pessoal, podendo inclusive ser uma linha fixa. A partir daí, o próprio app te direciona para completar o perfil preenchendo todas as informações que ele disponibiliza.
Mais para frente lançaremos um texto falando exclusivamente sobre o WhatsApp Business para você conhecer melhor suas ferramentas.

Seja educado e escreva bem
Agora que você tem o WhatsApp Business, deve ser também educado e escrever bem. Isto, pois o bom atendimento é um ponto essencial principalmente nas vendas online, nas quais você não está vendo o vendedor, além da mensagem escrita trazer mais ruído e interpretações ambíguas. Além disso, escrever mal passa uma imagem antiprofissional não só do atendente, mas também da marca. Desta forma, o usuário pode perder a confiança em comprar seu serviço ou produto.
Coloque alguém educado e com boa escrita para utilizar o WhatsApp da empresa, garantindo conforto e segurança ao consumidor.

Aposte nos áudios
Se você é sozinho na empresa e não se sente confiante o suficiente para escrever para o cliente, aposte nos áudios.
Isto não significa que você deva mandar 3 minutos contínuos de áudio. Utilize-o para passar informações mais específicas, como a precificação do seu serviço ou como ele funciona. Intercale as informações em áudio com a escrita, tornando a conversa dinâmica, rápida e mais interativa.

Use figurinhas personalizadas
Outra forma de não mandar só texto para o cliente são as figurinhas. Crie figurinhas simples de acordo com seu nicho com chamadas como “hoje é dia de crepe!”, “já pediu seu crepe hoje?”, “crepe chegando!”.
Além de você atingir o usuário por outra fonte sem ser os stories, você o deixa com vontade de pedir seu produto – funciona muito bem com comida – além de criar uma experiência diferenciada para ele, interagindo de forma engraçada e leve.

Use emojis
Os emojis são outra forma de se expressar bem, pois transmitem emoções e dão um toque a mais nas suas mensagens.
Com eles, você evita que seu cliente interprete o que você disse como uma “forma seca” de falar. Afinal, o que parece mais simpático: “bom dia”, ou “bom dia <3”?
Além de parecer mais educado na conversa, os emojis também servem para você “enfeitar” a mensagem com emojis do seu nicho. Por exemplo, se você tem um petshop, utilize patinhas, cachorrinhos e gatinhos diferentes para deixar as mensagens com mais cara do seu negócio.
Num aplicativo só de mensagens, pode ter certeza que os emojis farão sucesso para conquistar seus clientes.

Até agora dei várias dicas sobre como melhorar a conversa direta com o cliente, mas você não deve utilizar apenas este método de contato. Aliás, mandar várias mensagens chamando a pessoa para comprar, conhecer coleção nova ou CTAs do tipo pode incomodar e muito, a ponto de bloquearem o seu número, e não é isso que você quer, né?
Portanto, deixe para colocar em prática as dicas até então dadas quando o cliente te chamar, e as figurinhas chamando para comprar duas vezes por semana, variando de acordo com o seu negócio. Se você vende crepe, a pessoa pode querer consumir duas vezes na semana. Se você é um truck de banho e tosa, pode mandar uma vez por semana apenas, já que não é sempre que se manda o pet para estes serviços.

Divulgue pelo Status
Outra forma de impactar seus clientes é através dos status. Assim, coloque promoções, fotos dos produtos e comunicados importantes sobre funcionamento em feriados lá.
Se a pessoa se interessar por algo que você posta, irá te chamar no privado, e aí sim você pode usar e abusar das dicas que dei até então, pois o cliente está interessado em você, e ao invés de incomodar, você estará oferecendo a experiência única que comentei em dicas anteriores.
Como o Status é o “story” do WhatsApp, vale colocar em prática as dicas que dei em outro post sobre como vender pelos stories, também, gravando vídeos seus, explicando sobre os produtos e a marca. Você pode inclusive salvar os stories do Instagram e repostar no Status do WhatsApp, deixando textos bem formatados e chamando ainda mais a atenção do cliente, visto que o status tem ferramentas muito primitivas ainda comparadas com as do Instagram.

Crie PDFs
A última dica é sobre como mandar mensagem direta para o cliente. Ao invés de mandar 20 fotos seguidas mostrando seus produtos, crie um catálogo pequeno em PDF e mande este arquivo único. Desta forma, o celular da pessoa recebe uma única notificação, além de não lotar a memória dela.
Esta prática foi recentemente adotada pelo Sonda Supermercados, mandando seu folheto de ofertas em PDF para a base cadastrada. O cliente gosta por ser promoção, e o empreendedor, nem preciso falar, né?
Além do cliente não rejeitar de cara a mensagem por ser uma só, é uma forma mais fácil ainda dele repassar o PDF para outras pessoas que possam se interessar no seu serviço, portanto reserve sempre na capa as formas de contato com sua empresa, pois certamente virá gente de fora te procurando.

E aí, gostou dessas dicas valiosas de WhatsApp? Já utiliza o aplicativo para vender? Se você conhece alguém que vende por este software, não se acanhe e já mande esta matéria pra ele melhorar a experiência dos seus usuários.

Leia Mais
Conteúdo

06 dicas para arrasar na entrevista de emprego

Se você está procurando a primeira agência de publicidade pra chamar de sua, ou até mesmo um veículo ou anunciante, esse texto é pra te ajudar a se destacar nas entrevistas de emprego!

Apesar de sermos – no geral – comunicativos, sempre tem algo que deixamos de fazer, então preste atenção nas dicas de hoje.

Expressão corporal
A grande sacada das entrevistas de emprego é a expressão corporal. Você deve passar confiança, proatividade e firmeza, mas sem deixar de ser você mesmo

Por isto, mostre que não está tenso, com os ombros relaxados e braços separados em cima da mesa. Estes são sinais básicos de que você está à vontade e receptivo para bater um papo com o entrevistador.

Dresscode
Não só o seu corpo fala, mas também a sua aparência. Ao contrário do que você deve estar pensando, não estou sugerindo que vá de social – a menos que seja o seu estilo.

Você deve se vestir bem, como se fosse sair para um shopping: uma roupa bonita, que seja do seu estilo e de preferência evitando decotes muito profundos. Você pode usar decote, mas a sacada é acompanhá-lo de uma peça elegante por cima, como um blazer ou echarpe.

Olho no olho
Sim, além do corpo e roupa, seu olhar faz toda a diferença. Uma pessoa segura das suas habilidades olha no olho do outro, pois sabe do seu potencial.

Por mais que seja difícil, olhe ao máximo nos olhos da outra pessoa. Se você se sente desconfortável, intercale olhar no olho esquerdo e no direito do outro, assim não fica com o olhar fixo e se sente mais à vontade.

Simpatia com a concorrência
Ao contrário do que muitos pensam, é importante – e muito – tratar os demais participantes bem.

Em processos seletivos em grupo, o avaliador quer compreender a sua capacidade de se relacionar com todos.

Por isto, não olhe apenas para ele, mas para cada concorrente que você tem, falando com simpatia com todos eles, mostrando que não está lá competindo – por mais que você esteja sim.

Objetivos na ponta da língua
Sim, as perguntas do RH já caíram de moda, como “qual animal você seria?” ou “porque merece esta vaga?”. Mas se tem algo que sempre precisam saber é: suas fraquezas, forças e objetivos.

É muito importante entenderem no que você é bom para verificarem se está alinhado com o que buscam; no que você é pior para compreenderem se suas dificuldades podem atrapalhar muito a sua estadia na empresa; e seus objetivos, que devem estar alinhados com os da marca.

Então, tire um tempo antes do grande dia para entender melhor sobre você, sobre as bandeiras que você defende e como você se vê naquela agência, veículo ou cliente.

Mostre que está preparado pra ontem
Não tem estagiário melhor para empresas do que aquele que se mostra pronto pro que der e vier.

Vá com caderno, caneta, agenda, o que for. Mas mostre que está pronto para tomar notas sobre o seu primeiro job caso te contratem naquele mesmo instante!

Anote sobre a empresa, sobre o processo seletivo ou algo que achar relevante. Só não perca o foco com rabiscos, ou então essa dica que era pra te ajudar acabará te atrapalhando no final.

E aí, está menos nervoso para a sua entrevista?

Acho que não, mas tenha certeza que pode se sentir mais confiante se seguir estas dicas no dia que for em busca do seu primeiro estágio!

Aproveite e anote todas elas no caderninho que eu sugeri estar ao seu lado no dia da entrevista!

Leia Mais
Publicidade

11 dicas essenciais para qualquer publicitário

A vida de Publicitário, sobretudo de Redator, me trouxe muitos aprendizados. Muitos deles adquiri sozinho, muitos deles com pessoas importantes com as quais tive o prazer de trabalhar. Logo, fiz uma lista de dicas importantes e que acho que devo passar pra frente. Mas, para não ficar naqueles chatos “10” pontos, trouxe 11. Seguem:

1) Anote tudo: em reunião de briefing, ao sair do chuveiro ou enquanto faz suas necessidades, anote. Mesmo que você tenha memória de elefante!

2) Busque sempre referências: cansou? Busque mais! E entenda que referências devem ser apenas uma inspiração. Faça sua releitura, use sua criatividade!

3) Duas ideias para o cliente: sempre leve para o cliente uma versão que ele pediu e uma versão que você sugere: o cliente deve ser atendido, mas você deve propor sua ideia. #valeuYa

4) Degradê é brega: foi-se o tempo que era bonitinho. Hoje não é mais. Deixe de lado. Não sou Diretor de Arte, mas tenho respaldo de 99% dos que trabalharam comigo. #faleiesaícorrendo

5) Nunca use mais de uma exclamação: nem mesmo se você for do varejão! Jamais utilize três exclamações. Eu já nem gosto de usar exclamação, mas se for usá-la, não use mais de uma, por gentileza. Obrigado.

6) Seja generalista, não mais especialista: o mercado valoriza profissionais que manjam de tudo um pouco, muito mais do que aquele que manja pra cacete de uma coisa só.

7) Se for usar duas telas, saiba que é pra sempre: pois é! Fica a dica. É irreversível.

8) Revise sempre seus textos depois de escrevê-los: você sempre encontrará erros em seu próprio texto. Ideal é que alguém revise seus textos pra você. Relaxa, é natural.

9) Não se apegue aos seus trabalhos. Eles terão alteração: gostou do seu texto? Nem adianta se apaixonar por ele, pois há grandes chances de que ele seja alterado, e nem é por maldade. Às vezes ele não se encaixa na necessidade do cliente.

10) Nunca tome café com açúcar: aprendi quando trabalhei dentro do cliente Nestlé. Atendia Dolce Gusto. E ninguém me deixava tomar café com açúcar. Hoje agradeço. Vai por mim!

11) Descarte sempre a primeira ideia, ela nunca é a melhor: e não é que é verdade?! A primeira ideia é a que todo mundo tem. Aprendi essa com o Renato Barreto, da DM9. Obrigado, Renato. É a mais pura verdade.

Espero que as dicas tenham ajudado. Acredite. Elas me ajudaram e continuam ajudando. E tem mais por aí. Onze é só um número de dicas que vieram à cabeça agora, mas se eu abrir uma cerveja e olhar para o horizonte por uma meia hora vem mais onze. Quem sabe em breve eu não escreva mais onze?

 

Leia Mais