close

digital

Digital

Estudo identifica 5 perfis diferentes diante do cenário pós-pandemia

TRUTH CENTRAL_PORT

O estudo, realizado pelo McCann Worldgroup, aponta que 50% das pessoas seguirão as regras impostas conscientemente e 13% seguirão suas próprias regras

À medida que algumas partes do mundo caminham para uma retomada nas atividades, surgem muitas perguntas sobre quais comportamentos pré-pandêmicos retornarão e quais novos permanecerão quando o cenário estiver melhorando. Com base em um universo de mais de 16 mil pessoas, em 18 países de todos os continentes, uma pesquisa[1] da Truth Central – unidade de inteligência global do McCann Worldgroup – identificou 5 perfis de atitudes diante da fase de reabertura das atividades pós-pandemia.

Esses perfis foram definidos com base nas respostas e nos comportamentos das pessoas diante das novas regras que os governos estão estabelecendo para este período de reabertura gradual das atividades. São eles:

• Cautelosos: seguem as regras cuidadosamente – 50%*

• Condicionais: seguem algumas regras, mas não outras – 21%*

• Os não conformistas: ignoram todas as regras – 6%*

• Os criativos: seguem as suas próprias regras – 13%*

• Os sem noção: não sabem quais são as regras – 9%*

*Números globais

CLASS

MEXICO

BRAZIL

COLOMBIA

ARGENTINA

CHILE

THE CAUTIOUS

48%

 

54%

 

51%

 

48%

 

58%

 

THE CONDITIONALS

 

22%

18%

20%

22%

18%

THE (NON) CONFORMIST

 

6%

7%

6%

6%

5%

THE CREATIVES

 

15%

12%

13%

11%

14%

THE CLUELESS

 

9%

9%

10%

6%

6%

Quando comparados à média global, nos mercados latino-americanos os “cautelosos” são maioria no Chile (58%) e no Brasil (54%), e os “condicionais” no México e Argentina, com 22% em ambos os países. O perfil de “não conformista” é maioria no Brasil, mesmo com um índice de apenas 7%. Os perfis de “criativos” lideram no México (15%) e os “sem noção” na Colômbia (10%).

Nesse contexto, também é importante considerar que, globalmente, uma em cada cinco pessoas prefere trabalhar permanentemente em casa. A pesquisa também mostra que 29% dos entrevistados consideram que a sociedade está reabrindo muito rapidamente.

“No caso de um possível cenário próximo ao fim da pandemia, vemos que uma parte significativa da população terá uma atitude cautelosa. Do ponto de vista do marketing, estamos redesenhando nossa visão estratégica para o dia a dia dos consumidores e revisando a oportunidade de uma conexão significativa com as marcas, criando melhores experiências de interação física e digital em novos momentos”, afirma Fernando Fascioli, Presidente do McCann Worldgroup para América Latina e Caribe. O executivo ainda destaca que “neste momento é vital fornecer informações que possam reduzir os graus de incerteza, facilitando também esses processos que são completamente novos para um grande número de pessoas, como o uso  mais frequente de sites de compras e relacionamento online, entre outros. Contar com uma sólida estratégia digital e uma leitura correta dos dados que emergem nestes tempos é crucial para sermos significativos na vida das pessoas. Agora, mais do que nunca, os consumidores estão se adaptando e estão abertos à mudança, e esse é um terreno fértil e desafiador ao mesmo tempo, para o marketing e para as marcas”.

Leia Mais
Digital

Live do Amigos recebe, na próxima semana, Carlo Paschoal, Danilo Fuin, Edson Pintan, Isabel Borba e Hiram Baroli

Live do Amigos recebe, na próxima semana, Carlo Franjolli, Danilo Fuin, Edson Pintan, Isabel Borba e Hiram Baroli

Com o objetivo de unir os profissionais do mercado publicitário para um bate-papo semanal e virtual, o Amigos do Mercado vem realizando uma série de lives que debatem, entre outras coisas, o que aprendemos nas últimas semanas.

Nesta semana a Live acontecerá dia 16 de junho, a partir das 18h30.

Na próxima terça-feira, dia 16 de junho, participarão do bate-papo Carlo Paschoal, Diretor de Novos Negócios da Carrega+; Danilo Fuin, diretor comercial da NovaBrasil FM / Estúdio Ene; Edson Pintan, diretor comercial da Mix Media; Isabel Borba, Head de aeroportos da JCDecaux e Hiram Baroli, diretor comercial de operações da Folha de S.Paulo. Eles irão contar suas experiências pessoais e sua visão geral de como o mercado e as empresas nas quais trabalham estão lidando com o momento atual.

A transmissão será pelo YouTube do Amigos do Mercado.

Amigos do Mercado é uma rede que conecta profissionais de publicidade nas redes sociais e eventos.

Leia Mais
Digital

Live do Amigos recebe, na próxima semana, Ana Matozo, Bruno Campos, Marcos Saurin e Henrique Carsalade

Live do Amigos recebe, na próxima semana, Ana Matozo, Bruno Campos, Marcos Saurin e Henrique Carsalade

Com o objetivo de unir os profissionais do mercado publicitário para um bate-papo semanal e virtual, o Amigos do Mercado vem realizando uma série de lives que debatem, entre outras coisas, o que aprendemos nas últimas semanas.

A Live desta semana acontecerá amanhã, dia 09 de junho, a partir das 18h30.

Nesta terça-feira, dia 09 de junho, participarão do bate-papo Ana Matozo, Head Comercial da Outdoor Social; Bruno Campos, diretor de marketing digital e mídia da GM na América Latina; Marcos Saurin, CEO da Myntelligence; e Henrique Carsalade, gerente comercial da Ameixa Produções e embaixador do Grupo Amigos do Mercado Minas Gerais. Eles irão contar suas experiências pessoais e sua visão geral de como o mercado e as empresas nas quais trabalham estão lidando com o momento atual.

A transmissão será pelo YouTube do Amigos do Mercado.

O Amigos do Mercado é uma rede que conecta profissionais de publicidade nas redes sociais e eventos.

Leia Mais
Publicidade

Chevrolet cria movimento pela positividade

Chevrolet_Campanha_Vai Passar_WMCcann

Com mote “Vai passar”, a ação digital tem o intuito de inspirar tempos melhores com ilustrações presentes em peças criadas pela agência WMcCann

A Chevrolet acaba de lançar um grande movimento nas redes sociais chamado ‘’Vai passar’’. Inspirado na linguagem de pôsteres, as ilustrações remetem às mudanças de cotidiano do momento atual. A ação foi criada pela Commonwealth//McCann – divisão exclusiva dedicada ao atendimento da Chevrolet na agência.

As ilustrações criadas por designers trazem mensagens e imagens que inspiram tempos melhores. As peças serão desdobradas em uma série de conteúdos para as mídias sociais, como posts, protetores de telas, imagens para envios via Whatsapp, além da utilização na comunicação interna da marca com seus colaboradores, com e-mails internos e pôsteres na fábrica e em seus escritórios.

“Neste momento de grandes desafios e incertezas, a solidariedade e o otimismo na esperança de um futuro melhor é o que nos move. Com base nessas premissas criamos a campanha, que segue a certeza que em breve sairemos muito mais fortes e voltaremos a celebrar as coisas boas da vida”, afirma Hermann Mahnke, diretor Executivo de Marketing da GM América do Sul.

A ação nasceu com base na pesquisa ‘TRUTH ABOUT CULTURE AND COVID-19’ – idealizada pelo McCann Worldgroup –, que identificou que ao pensar sobre como será a vida após o período de isolamento social, 73% dos brasileiros esperam mudar e refletir sobre o que aprenderam. Quase metade dos entrevistados se dizem gratos pelas coisas boas em suas vidas.

FICHA TÉCNICA:

Agência: Commonwealth//McCann

Cliente: General Motors do Brasil

Produto: Brand

Nome da Campanha: Pôsteres (Vai Passar)

Ano de produção: 2020

Território: Brasil

CCO: Hugo Rodrigues e Kevin Zung

Direção de criação: Fernando Penteado e Eric Sulzer

Criação: Felipe Racca, Emilio Amora, Marcelo Coelho e Leonidas Razera
VP de Planejamento: Renata Bokel

Planejamento: Leandro Peralta, César Villas Bôas e Isabela Dias

Atendimento: Danilo Ken, Joana Campanelli, Michelle Latessa, Stephanie Gasparini, Stefano Begliomini, Giovana Zanfelicce e Carmen Scórcio

VP de Mídia: André França

Mídia: Jodson Ferreira, Daniel Gebara e Karen Kirizawa

BI: Fernando Cardoso, Rennan Chagas e Alexandre Costa

VP de Produção: Tato Bono

Produção Integrada: Renata Ruas e Nathan Marino

Projetos: Arthur Gonçalves

Produtora: Movee

Diretor de pós-produção: Rubens Angelo

Montador/Motion: Rubens Angelo

Produtora de som: Punch

Produção musical: Punch / Música licenciada

Atendimento: Lili Aragoni

Aprovação pelo cliente: Hermann Mahnke, Federico Wassermann e Paula Saiani

Leia Mais
Digital

RedeTV! é a primeira emissora brasileira a ter 10 milhões de inscritos em seu canal no YouTube

RedeTV! é a primeira emissora brasileira a ter 10 milhões de inscritos em seu canal no YouTube

Canal está ainda entre os 15 mais vistos no país na plataforma de vídeos

A RedeTV! é a maior emissora brasileira no YouTube em números de inscritos em seu canal principal. Mantendo-se na liderança entre os canais de TV aberta na plataforma há mais de um ano, a página da RedeTV! alcançou nesta semana a marca de 10 milhões de inscritos. O canal se destaca também em número de visualizações, sendo o único entre as televisões abertas a figurar no ranking dos mais vistos do SocialBlade, ocupando o 14º lugar.

O canal da RedeTV! no YouTube soma 6,1 bilhões de visualizações, mais do que o dobro da segunda colocada do segmento de televisão. De acordo com o ranking do SocialBlade, a página da emissora contempla mais views do que a do sertanejo Gusttavo Lima, por exemplo, que recentemente produziu lives no período de isolamento social.

Muito além de uma televisão aberta, a RedeTV! tem ampliado o desenvolvimento de produções multiplataforma, reforçando sua operação enquanto produtora de conteúdo a ser distribuído em diferentes verticais.

Toda sua estratégia e inteligência digital está concentrada na Peanuts Content, empresa voltada para a produção, gerenciamento e comercialização de conteúdo exclusivo para plataformas de social videos, responsável por tornar a emissora um dos maiores players digitais do país com um crescimento orgânico nas plataformas.

Ao todo a Peanuts administra cerca de 25 milhões de inscritos e seguidores no YouTube e Facebook com uma audiência total de 12 bilhões de views em seus vídeos.

Confira o ranking dos canais brasileiros em visualizações no YouTube:
1) KondZilla: 30,1 bilhões
2) Galinha Pintadinha: 15,3 bilhões
3) GR6 Explode: 14,9 bilhões
4) Luccas Neto: 11,1 bilhões
5) Rezende Evil: 10,3 bilhões
6) Marília Mendonça: 10,3 bilhões
7) Turma da Mônica: 10,1 bilhões
8) Felipe Neto: 9,9 bilhões
9) Maria Clara & JP: 8,1 bilhões
10) AuthenticGames: 7,8 bilhões
11) Henrique e Juliano: 7,8 bilhões
12) Totoykids: 7,6 bilhões
13) Zé Neto e Cristiano: 6,7 bilhões
14) RedeTV!: 6,1 bilhões
15) Gusttavo Lima: 6 bilhões

Fonte: SocialBlade

Leia Mais
Digital

WMcCann apresenta nova estrutura de dados

Deny_Watanabe_3x4

Área de dados da agência muda para abordar dados de outra maneira, alterando o escopo, a forma de trabalho e o organograma

Nos dias atuais, é consenso entre os profissionais de publicidade, propaganda e marketing que os dados vieram para ficar, e sua utilização correta é um grande diferencial na construção de campanhas mais fortes e eficazes. Sua utilização é unânime e ubíqua: todas as áreas de uma agência podem – e devem – enriquecer suas entregas fazendo uso do processo de coleta, análise e interpretação de dados. Este processo, que possibilita novas leituras sobre o negócio de cada cliente, o ambiente social em que ele se encontra, as diversas audiências que ele atinge, dentre outros fatores, não pode ser ignorado por nenhuma delas, sob pena de prejudicarem sua própria sobrevivência.

Se engana quem acha que esta nova ferramenta relegou a criatividade, insumo principal da propaganda desde seu nascimento, ao segundo plano: quanto mais criativo for o seu uso, melhor é o desenvolvimento e resultados das marcas por ela beneficiadas. Para isso, a agência precisa trabalhar não apenas com dados sobre mídia, mas também sobre a própria atuação do cliente e áreas de conhecimento associadas. É essa diversidade que permite que os profissionais desenvolvam olhares e adquiram novas perspectivas sobre assuntos e negócios que já lhe são familiares.

No entanto, apesar de a criatividade ser extremamente importante para o melhor emprego e rendimento dos dados, vemos que, muitas vezes, a área de Business Intelligence fica limitada a atuar apenas como suporte à área de mídia, realizando atividades de pesquisa, social listening, Web Analytics e AdOps. Esta configuração acaba por subaproveitar e podar o grande potencial desta disciplina.

Tendo percebido a insuficiência deste modelo, a WMcCann deu o primeiro passo em direção a uma nova abordagem sobre dados. Para abrir novas frentes com seus clientes e melhor atender suas necessidades, a empresa redesenhou sua área de dados e aumentou seu leque de ofertas de serviços, que agora abrange, além de mídia e mensuração de campanhas, o próprio negócio do cliente.

Para que isso fosse possível, a agência investiu na contratação de profissionais com experiência em diversas indústrias e vindos de diferentes empresas, como consultorias e empresas de tecnologia. São engenheiros, estatísticos e matemáticos, dentre outros profissionais com background técnico, que aplicam a ciência de dados aos serviços tradicionais de comunicação.

Além disso, a forma de trabalho também foi atualizada. A WMcCann quer abordar dados do ponto de vista de engenharia, fazendo design e arquitetura de soluções que funcionam hoje e amanhã, não só para um cliente em uma determinada campanha, mas para todos. Para que isso seja possível, as estruturas são pensadas e construídas com visão no longo prazo, para que possam ser adaptadas conforme a necessidade de cada cliente, que, por sua vez, terá o suporte de profissionais com o perfil mais adequado ao seu momento: clientes que já possuem dados estruturados e sistemas integrados lidarão com equipes diferentes daqueles menos maduros nesta questão. Enquanto uns serão atendidos por especialistas que desenvolverão algoritmos, visualizações de dados e insights, outros trabalharão com profissionais capazes de auxiliá-los na criação e arquitetura de suas estruturas de dados.

Para se adequar a esse novo conceito e olhar sobre os dados na agência, a área de dados foi dividida em duas partes: Insights e Engenharia. A primeira será responsável por Marketing Science, Web Analytics e Pesquisa de Mídia. Já a segunda se encarregará de DataOps e AdOps. Como isso funciona, na prática? É simples: quando um consumidor compra um produto ou contrata um serviço, esta ação é registrada no sistema do anunciante. Este registro chega até a agência através de uma nuvem construída pela própria. Quem cria, otimiza e dá manutenção a este fluxo é o engenheiro de dados (Engenharia). Já quem utiliza essa nuvem para criar algoritmos que geram segmentos de clientes e calculam o desconto mais atraente para cada um deles é outro profissional (Insights). Em outras palavras, a área de Engenharia viabiliza tecnicamente a coleta, o armazenamento e a integração dos dados na nuvem da agência. A área de Insights, por sua vez, irá analisá-los de forma a fazer recomendações de negócios para clientes. Nessa nova configuração, Social Listening passa a ser realizado por Planejamento, sob comando de Renata Bokel, CSO.

Fernando Cardoso, promovido a diretor de Data Science e Head de Insights da WMcCann, é formado em Engenharia da Computação pela PUC-Rio e NYU. Tendo passagens pela TIM, IBM, Litteris Consulting e Dunnhumby, ele explica seu trabalho na WMcCann: “Minha missão é garantir que a gente trabalhe com metodologias analíticas para solucionar problemas de negócio do cliente. Caso ele precise analisar o resultado de uma campanha, eu devo me certificar de que a gente ofereça um método para entender o impacto de cada mídia nas vendas, e que seja uma metodologia robusta, que funciona hoje, amanhã e para todos os setores dos clientes.”

Deny Watanabe é o novo head de Engenharia. Na WMcCann desde Março de 2020, antes atuou como líder de arquitetura de dados para a América Latina na Real Impact Analytics e na Dunnhumby. Deny possui extensa experiência em liderança e desenvolvimento de soluções analíticas, com participação em projetos para empresas como Grupo Pão de Açúcar, Johnson & Johnson, Novartis, Oracle, Unimed, Santander, Daimler Chrysler, Bank Boston e Caixa Econômica Federal. Executor por natureza e focado em excelência técnica, aceitou o desafio de ajudar a agência a reestruturar a equipe de dados.

Com relação aos labs de mídia, cada um possui sua própria estrutura, e o papel dos Diretores de Insights e Engenharia é orientar as equipes sobre quais as ferramentas e metodologias podem ser usadas para cada desafio. Além disso, Fernando irá ajudar na integração entre as expertises. “Meu papel é entender o que está acontecendo com os diferentes clientes e como a gente consegue ajudá-los da melhor forma.”

Mas por que apostar nessa mudança? “A melhor campanha publicitária do mundo não seria boa se o preço, a logística, as avaliações do produto não fizerem parte do mix de marketing. Nós queremos auxiliar os clientes a analisar esses e outros fatores relevantes ao negócio, num ambiente cada vez mais fracionado e complexo, com concorrentes locais e um novo estilo de vida”, finaliza André França, vice-presidente de mídia da WMcCann.

Leia Mais
Digital

Publicidade em jogos de aplicativo se destaca em meio a quarentena

Publicidade-em-jogos-de-aplicativo-se-destaca-em-meio-a-quarentena-BlogdoCrespo-Creativos-Creativosbr-Marketing-GameMobile-Digital

Em época de quarentena, as marcas estão revendo algumas de suas estratégias de marketing para continuar gerando receita sem a certeza de até quando a normalidade volta. Nos noticiários muito se fala sobre o Coronavírus e seu impacto no mundo.

 

As marcas agora também possuem a preocupação de sua publicidade não parecer oportuna, mas sim, abraçada com a causa de que todos precisam ficar em casa. Algumas empresas como Mercado Livre, Mc Donald’s, Audio e tantas outras marcas se mostraram conscientes com a causa ao mudarem seu logo temporariamente reforçando a ideia do distanciamento social.

 

Com esse desafio no atual cenário, a industria de jogos de aplicativo está vivendo um momento de ascensão. Primeiro porque os jogos não possuem conteúdos de terceiros diferente de um site de notícias onde você pode expor seu anúncio ao lado de alguma notícia negativa e ter uma associação indesejada pelo consumidor.

 

Outro motivo é o aumento do consumo de jogos de aplicativo durante a pandemia. Segundo um estudo da InMobi, os jogos tiveram um aumento de 41% nos EUA. Na Malásia e Indonésia, 50% dos usuários estão jogando mais jogos por mais tempo. Já em Singapura, houve um aumento de 70% e 110% de na Índia, esse ultimo o maior fenômeno global.

 

Atualmente, os aplicativos de jogos podem ser uma das soluções que os profissionais de marketing estão procurando por publicidade segura da marca. Dada a escala e o alcance, eles são uma fonte confiável para as marcas evitarem conteúdo ofensivo

Leia Mais
ConteúdoDigital

Alavanque seu Instagram através dos stories

Alavanque seu Instagram através dos stories

Para você aumentar as visualizações do seu perfil corporativo, os stories são uma ótima estratégia, já que você não conta apenas com a possibilidade de aparecer no feed, mas tem a oportunidade de ser notado através dos stories.
Hoje, trago cinco dicas de como você pode fazer stories interessantes para a sua empresa, desde a estética deles até o conteúdo em si.

Mostre quem está por trás
Principalmente para pequenas empresas, mostrar quem faz o negócio funcionar é essencial para passar credibilidade para o prospect. Ao passar uma boa imagem de quem você é, o usuário se sente mais à vontade para te acompanhar e interagir, além de ser mais provável efetuar uma compra com você.
Nestes stories, mostre quem é você, fale sobre a sua rotina e o “por trás das câmeras”, abrindo um pouquinho do seu processo de vendas, para que entendam toda a sua linha produtiva e confiem no seu serviço.
Seja alegre, carismático e confiante. E principalmente, seja você mesmo, afinal você é o espelho da sua empresa.

Tenha um mascote
Muito interessante para empresas com público mais jovem, ter um mascote é uma boa estratégia, pois os usuários criam um apego emocional por ele, vinculando-se à sua marca.
O mascote pode ser tanto um bichinho de pelúcia, quanto uma estátua ou até mesmo um peludo de verdade. Se seu pet é receptivo e não se sente acanhado com câmeras, faça fotinhos com seu bichinho. Mas não se esqueça: o seu pet é o seu melhor amigo, então não judie dele só para ter mais views.

Legende os vídeos
Muitas pessoas escrevem com fundos coloridos nas fotos dos stories, mas são poucas aquelas que usam as legendas nos vídeos.
A dica é que você as utilize para instigar o telespectador a continuar a assistir o story, mas sem forçar muito a barra. Por exemplo, se você vai falar sobre a entrega segura para clientes que comprarem pelo e-commerce, escreva algo como “como estamos entregando na quarentena”.

Utilize cores do próprio story
Sabe aqueles tons vibrantes que o próprio insta sugere você utilizar para colocar de fundo nas legendas? Eles são bonitos sim, mas podem destoar um pouco do que você está fazendo no seu story.
Para harmonizar ainda mais seus stories, escolha uma cor bonita que aparece na foto ou filmagem que tirou, priorizando uma cor diferente que aparece de relance, ou uma cor bonita que apareça mais, como da sua blusa azul ou do enfeite de cabelo. Independente da cor que pegar, ficará melhor do que as padrões do Instagram.

Faça enquetes
A última dica deste post é que você interaja direto com a sua audiência, através de enquetes do próprio insta para que os usuários se sintam parte da sua marca. Aproveite também para tirar dúvidas dos usuários, gerando informação para eles e explorando suas dúvidas para divulgar ainda mais como a sua empresa trabalha.

Com o que você leu acima, surpreenda seus seguidores e se prepare para melhorar a forma como sua empresa é vista. Mas não se esqueça: planeje-se para isto e entenda que não acertará de primeira, mas nem por isto deve desistir.
Você já faz alguma dessas dicas que eu passei aqui hoje? Conte para os outros leitores aqui nos comentários de que forma isto te ajudou a ter seguidores mais engajados e mais vendas também!

Leia Mais
Digital

Ultrafarma amplia investimentos em e-commerce

Ultrafarma_01

Em nova campanha, o presidente, Sidney Oliveira, torna-se astronauta promovendo entregas por todo o país ‘até na lua’

Reconhecida como a maior farmácia online do Brasil, e com os melhores preços em medicamentos, vitaminas, suplementos e outros produtos, a rede Ultrafarma, presidida por Sidney Oliveira, investiu ainda mais em sua logística de entregas, tornando-se cada vez mais acessível, rápida e segura para seus clientes que se espalham por diferentes regiões do país.

Em seu novo comercial, a marca reforça a todos os consumidores que não importa em qual endereço ele está, em meio a tempos de ficar em casa, a Ultrafarma irá até ele. No filme, o empresário Sidney Oliveira dá lugar a um astronauta, podendo ir até mesmo à lua para garantir a melhor e mais eficaz entrega a quem confia em sua empresa.

Leia Mais
Conteúdo

Home Office e Autoconhecimento

Home office e o Autoconhecimento

Com a pandemia que tomou conta do globo, a maior parte de nós, publicitários, foi alocada para trabalhar em home office, já que basta um notebook e internet para estarmos na área.

Em um período de tanta precaução e restrição, no qual nos vemos obrigados a seguir uma rotina restrita, temos a chance de nos conhecermos melhor.

Neste post, eu destaco o que aprendi sobre mim mesma trabalhando de casa e como fiz isto, e espero que sirva como reflexão para você se policiar e entender melhor como você pode ser mais produtivo.

Trabalho sob pressão
Com os funcionários em casa, é provável que alguns líderes se sintam com o pé atrás de saber se você está de fato trabalhando. Não é o meu caso, já que tenho uma boa relação com os meus, além de sempre seguir as dicas que dei no meu último post sobre estágio. Porém, descobri que mesmo tendo uma ótima relação de confiança com eles, tenho medo que pensem que não estou dando o meu melhor, e acabo me pressionando para entregar mais.

Claro que não é muito bom se pensarmos em saúde mental, já que me obrigo a melhorar e ser mais firme durante a jornada de trabalho, mas ao mesmo tempo percebi um potencial maior de entrega e engajamento, tanto com a minha agência, quanto com o meu cliente.

Responsabilidade
Trabalhar de casa exige sim grande responsabilidade, pois você pode fazer tudo na pressa para entregar os Jobs espaçadamente e fingir que esteve trabalhando o tempo todo. Mas isso seria bom para você?

Eu não me sinto bem sabendo que alguém está me pagando para fazer um serviço com a qualidade que ele merece ter, e ao invés de me dedicar, fazer tudo com pressa para descansar ou me divertir.

Você deve ser responsável como seria se estivesse na empresa não apenas para ser correto no trabalho, mas para ser correto enquanto ser humano. Você fazer o certo mesmo quando tem a oportunidade de fazer o errado, mostra caráter, lealdade e, principalmente, responsabilidade.

Transparência
Do jeito que estou falando, parece até que é para ser um robô e nem olhar para o lado, né? Mas não é assim que trabalho em casa. Trabalho de camisola, na cama da minha mamãe, brincando com os cachorros e assistindo Casos de Família.

E sim, mesmo com tantas “distrações”, consigo aliviar a tensão de vez em quando com algum comentário da minha mamãe ou brincando com o Romero – meu nenê pitbull – sem perder o foco do trabalho.

Não há motivos para esconder a forma como você trabalha se, no final das contas, você está trabalhando bem. Se algo te ajuda a trabalhar, como meus cachorros, você deve incluir na sua rotina de trabalho esta experiência, que certamente te fará render mais.

Aproveitar o tempo
Num ambiente descontraído, por mais que eu gaste 15 minutos brincando e conversando com a minha família, ganho 20 com uma ideia de projeto ou novo produto. É como se enquanto eu trabalho com um planejamento ou um design, eu esteja fazendo um brainstorm com referências que vêm de vários lugares: do grupo de Facebook no qual minha mãe está procurando ovos de chocolate de colher, do barulho que faz o Romero se atentar para a rua, ou quando meu avô me manda um vídeo no WhatsApp sobre o coronavírus – como aconteceu neste exato instante.

Permita-se usar o tempo da melhor forma que quiser, desde que consiga entregar o que esperam de vocês.

Insights
Com tantas informações vindas de diferentes dispositivos, pessoas e sons de casa, temos muitos gatilhos – inclusive afetivos – que podem nos dar uma ideia de postagem, campanha ou entendimento do nosso consumidor.

Se você percebe que ficar neste ambiente “conturbado” parece te ajudar, então arrisque um dia de serviço para ver os frutos que irá colher desta nova forma de pensar e criar.

Basta entender como você funciona e não se bloquear. Tudo pode ser um insight, e este insight poderá te levar a um projeto que você não pensaria só de frente para uma tela de computador na sua mesinha no escritório.

Espero que estes benefícios que o home office trouxe para que eu conhecesse melhor como funciono possam te ajudar a se autoconhecer também, testando seus limites e a sua forma de criar.

E você, também está trabalhando desse jeito doido e ainda assim entregando bons resultados, ou sou só eu que trabalho de camisola na cama?

Leia Mais
1 2 3 7
Página 1de 7