close

mídia

Opinião

O que os Mídias esperam dos veículos?

O-QUE-OS-MÍDIAS-ESPERAM-DOS-VEÍCULOS-MÍDIA-CREATIVOS-BR

Antes de falar sobre isso, precisamos considerar algumas questões que dizem respeito principalmente ao comportamento de consumo e também aos desafios empresariais. Não é nenhuma novidade dizer que somos “multitelas”. Estamos em celulares, computadores e televisões quase sempre. Nos celulares são diversos aplicativos competindo pelo nosso tempo, assim como nos computadores acessamos vários sites e deixamos sei lá quantas abas abertas; e ao assistir TV são bem amplas as opções de canais. Trabalhamos com um notebook, pegamos o celular diversas vezes e fitamos a TV, não necessariamente nessa ordem. Mas também lemos livros, blogs e revistas, somos impactados por mídias out-of-home enquanto ouvimos uma música via streaming. A nossa realidade é fazer muita coisa “ao mesmo tempo”. Temos dois ou três empregos, mais de uma empresa, participamos de alguns projetos, defendemos muitas causas, enfim, são muitas as bandeiras que levantamos. E bem neste cenário cresce a repulsa por propaganda. Pulamos anúncios, instalamos bloqueadores, pagamos streaming para não ouvir e ver propagandas, não pegamos folhetos em semáforos. Ok, mas o que isso tem a ver?

Em um passado não tão distante era possível atingir os objetivos dos clientes praticamente fazendo publicidade, comprar mídia nos veículos de maior audiência e afinidade com o público resolvia. Mas agora a mídia é segmentada, e o anunciante precisa falar adequadamente com seu público em vários canais diferentes. E precisa também integrar o PDV, eventos, marketing direto, endomarketing, marketing digital… e por aí vai. Ah, e tem que ser interessante, tem que ter conteúdo relevante. Todo esse conjunto precisa estimular interatividade e ser passível de mensuração. Culpa ou mérito da evolução digital? Tanto faz, o que importa é que o consumidor quer falar (e ser ouvido) e o cliente quer/precisa saber dos “números”. O Mídia precisa comprovar efetividade e também precisa prover inovação constante.

Hum… e como é a realidade de um departamento de Mídia hoje?

O cliente é como um investidor, e a mídia naturalmente detém o maior montante do investimento. Talvez esse conjunto de fatores pode ter influenciado o crescimento da relevância desse departamento perante os clientes. As equipes estão menores, apesar de terem crescido as responsabilidades. A mídia tem incorporado funções como inteligência de dados (B.I.). Consequentemente os profissionais do departamento têm menos tempo, e precisam de agilidade e assertividade mais do que nunca. Pode ser que alguns departamentos se deparem com outro problema: a “juniorização” da equipe. E aí, meu amigo, por mais inteligente e dedicado que um “júnior” possa ser, por tempo de mercado (e de vida), dificilmente terá a sagacidade que um profissionalmente experiente tem para lidar com problemas, planos e relacionamento com veículos.

E o que os mídias esperam dos veículos?

Primeiramente, que resolvam os problemas dos clientes. Mas para que isso aconteça, o veículo precisa conhecer o cliente, saber das suas dores e intenções. Bom, se é falta de preparo do veículo ou falta de briefing da agência… não sei. Mas sei que se tiver maior proximidade entre veículos e os departamentos de mídia (e entre os departamentos da agência), o cliente sai ganhando, provavelmente com problemas resolvidos e objetivos concretizados.

De acordo com Filipe Crespo, Diretor de Mídia da Aktuellmix, o Mídia precisa das melhores oportunidades de tempo e espaço, que promova diferenciação da concorrência, tenha adequação ao target, traga rentabilidade, e que principalmente estejam atreladas aos objetivos de campanha determinados.

Os Mídias precisam:

  • De propostas claras, focadas no cliente, que tenham dados para basear argumentação tática para defender porquê investir no veículo X para atingir o target da campanha (ranking de audiência, afinidade com o target e análise de concorrência, por exemplo).
  • Apresentações sucintas (pouco importa o layout, o conteúdo tem muito mais valor).  Com tempo bem escasso do mídia e também do cliente, não há tempo para brincar de leilão com o plano de mídia, então espera-se que o veículo apresente sua melhor negociação ou corre risco de ser cortado do plano.
  • Enxergar no veículo a possibilidade de saber das possibilidades de veiculação. Não somente as novidades, mas as características importantes do veículo (por exemplo, as possibilidades de segmentações).
  • Que o veículo se interesse verdadeiramente pelo seu cliente (e não em bater meta de venda). Se o veículo sabe o que o cliente quer comunicar ao seu público… a solução pode ser incrível.

E se a equipe é quase toda júnior? Abrace-a, dê dados e argumentos. Leve-a pra dentro do veículo, mostre a realidade, dê conteúdo, ensine. Contribua com o crescimento desses profissionais. Lembre-se que todo senior já foi júnior um dia.

 

Comente o que os veículos ou os mídias podem fazer para facilitar o seu dia e te ajudar a ser mais assertivo.

 

Leia Mais
Digital

Mídia fragmentada e oportunidades de conversão

GRAD ALON – DIGITAL – CREATIVOS BR – DIVULGAÇÃO – CELINA GERMER

Durante o 8º Congresso da Abeb, em São Paulo, Gad Alon – diretor de parcerias em métricas do Facebook – apresentou dados que evidenciam a fragmentação da audiência. De acordo com este dados, na década de 70, nos Estados Unidos, os 10 programas mais assistidos alcançavam 37% da audiência, e hoje o número chega a 17%. Outra diferença é que nesses quase 50 anos os domicílios que tinham em média 8 canis de TV agora contam com mais de 194 opções. Além disso, para consagrar a fragmentação, os telespectadores adicionaram a segunda tela.

É cada vez mais difícil atingir o público diante da diversidade de opções de consumo de mídia, contudo Alon afirma que diante deste cenário haverá oportunidades aos profissionais de marketing que investem em plataformas digitais e mídias tradicionais.

Para Alon, a concentração do público está dividida entre os modais e isso não significa que as pessoas não estejam prestando atenção aos comerciais. “A noção de atenção mudou. Para sermos mais efetivos, é necessário abraçar isso”, diz Alon. Um estudo realizado pelo Facebook sustenta seu discurso. Durante o lançamento de uma série o uso da rede social apontou aumento de 50% durante os intervalos.

“Antes, quando pensávamos em cross device e cross channel era sobre complementar alcance, mas não é mais sobre isso. Agora é sobre frequência e estímulo”, afirma Alon.

No Facebook deve ser considerado o tempo de visualização com um dos pilares da comunicação. Alon explica que mesmo vídeos que não foram vistos até o fim podem trazer bons resultados para empresas, principalmente porque, nesses casos, eles custam cerca de um quinto do valor ao anunciante. Para que a campanha tenha uma boa performance, é necessário realizar uma inserção do nome da empresa nos primeiros momentos do filme, e adaptá-lo a um ambiente em que ele possa ser visto sem som.

Leia Mais
Opinião

Influenciadores digitais nas táticas de mídia

influencidor digital-mídia-creativosbr

Que os “influenciadores digitais” estão cada vez mais presentes em nossas vidas, é inegável, mas você já parou para pensar o tanto que as suas respectivas presenças cresceram nos budgets de mídia? Antes de mais nada, o que é um influenciador digital mesmo?

Influência, segundo o dicionário Michaelis significa o poder de influenciar e modificar o pensamento ou o comportamento de outrem sem o uso da força ou imposição. E digital… dispensa comentários. Então pra fechar a ideia, influenciador digital é aquele ser que através de meios digitais tem poder de alterar pensamentos e comportamentos de outras pessoas… interessante, e é aí que está a sacada. É ai que as marcas estão apostando.

Arrisco dizer que os influenciadores digitais podem ser como veículos de mídia especializados, ou melhor, segmentados. Ao definir um veículo de mídia segmentado, como um canal fechado de TV ou uma revista de carros, para uma campanha é preciso conhecer a “linha editorial”, tiragem, circulação, audiência, alcance, entre outras variáveis e opções até chegar a uma decisão do melhor custo-benefício para a campanha e/ou para o cliente. Com o influenciador digital não pode ser diferente, é preciso estar atento a todas as nuances para certificar que aquela pessoa escolhida realmente detém o poder de influenciar comportamento do público de interesse da marca. Ou no final da campanha você pode olhar pro relatório pensando “Influência de quê?”.

Foi-se o tempo em que a efetividade de uma campanha era medida pela abrangência (se é que esse tempo existiu um dia). Então não ache que o melhor influenciador digital é aquele que tem a maior quantidade de fãs, seguidores ou inscritos no seu canal, o melhor é aquele que tem maior proximidade com o público a qual a mensagem se destina. Reforço aqui que o influenciador digital não é necessariamente aquele ser famoso com vários dígitos de seguidores, para comprovar o que estou dizendo veja como a Adorocinema definiu influenciadores para suas ações.

Poderia até listar vários cases de diferentes formas de como os influencers estão cada vez mais presentes na mídia. Mas prefiro encerrar com uma mensagem e um convite. Influenciador digital não é a função é a consequência de um posicionamento coerente com conteúdos frequentes e de qualidade.

Se você quer (ou precisa) saber mais a respeito de como planejar e comprar influenciadores digitais para se destacar no mercado…

OBJETIVO DO CURSO:

Capacitar os alunos presentes quanto ao entendimento dos conceitos e tendências da mídia digital e sua aplicabilidade no dia a dia, possibilitando assim, a construção de um bom e estratégico plano de mídia com influenciadores digitais para marcas de empresas de pequeno, médio ou grande porte. Entender as características do marketing de influência e quem são esses influenciadores e como eles alteraram o negócio da publicidade na mídia digital nos últimos anos. Através de inúmeras atividades práticas, os alunos trabalharão e exercitarão habilidades da técnica da disciplina, que passam por análises de adequação e relevância, alcance e engajamento, além das etapas de segmentação, rankeamento, negociação e mensuração da mídia comprada. O curso inclui o fornecimento do material por parte do professor e certificado de participação.

Mais informações, conteúdo programático e inscrições: https://bit.ly/2Ibe2O4

 

Leia Mais
Mídia

Fox Sports terá Jô Soares como comentarista na Copa

Fox Sports terá Jô Soares como comentarista na Copa – Mídia – creativosbr

O canal que possui os direitos de transmissão do torneio mundial na TV paga junto com a SporTV anunciou nesta segunda-feira, 22, a contratação de um reforço especial durante a Copa da Rússia. Jô Soares foi escalado para compor a seleção da Fox Sports durante o torneio. Entre jornalistas, narradores e comentaristas experientes em transmissões esportivas, Jô integrará o time de especialistas participando de programa diário com análises do torneio.

Jô Soares volta à televisão como convidado especial para comentar e discutir os acontecimentos da Copa após 2 anos de encerrar sua trajetória de 16 anos na Globo. O programa em questão é o “Debate Final” e será exibido diariamente pela Fox Sports com intuito de comentar os destaques do dia referente à Copa.

De acordo com a Fox Sports, a escolha de Jô foi motivada pela relação que ele tem com o futebol. Vale lembrar que além de apaixonado pelo esporte, Jô Soares também é autor (junto com Roberto Muylaert) do livro “A Copa que ninguém viu e a que não queremos lembrar”, retratando a campanha do Brasil em 1954, no Mundial da Hungria.

Leia Mais
Mídia

Novo game da Ubisoft é lançado com ação de branded content

all 3 games

Para o novo lançamento do jogo Far Cry5, desenvolvido pela empresa francesa Ubisoft, a produtora Massiv realizou uma ação de branded content contratando influenciadores reconhecidos no mundo do game.

Nesta ação, Rato Borrachudo, Gusang e Cherrygumms são os protagonistas que interpretam personagens do jogo em cenas autênticas do game e conhecidas por todos os fãs do jogo. O filme é mais uma das produções realizadas para a Ubisoft que possui um brand channel com mais de 1 milhão de inscritos no YouTube.

Luther Peczan, vice-presidente de brand da Wbedia e CEO de Massiv, afirma que “criar conteúdo com a qual o usuário se identifique é de extrema importância para engajá-lo, atualmente. E usamos os influenciadores justamente para criar essa ligação do público com o conteúdo”.

Vale ressaltar que o último game da franquia Far Cry foi lançado em novembro 2014.

Leia Mais
Mídia

OMO SPORTS ATIVA MARCA EM JOGO DO BRASILEIRÃO

OMO SPORTS ATIVA MARCA EM JOGO DO BRASILEIRÃO – MÍDIA – CREATIVOSBR – CORINTHIANS

Em ação da campanha “Cada Gota de Suor Marca”, da OMO, neste domingo (15), durante o jogo Corinthians e Fluminense, o logo OMO Sports surgiu com muito suor no uniforme preto e branco, na área de patrocínio máster do Corinthians. A ação criada e implementada pela F.Biz inovou utilizando tinta hidrocrômica para revelar a marca Omo Sports conforme os atletas se movimentavam e suavam em campo.

“A OMO está constantemente inovando e trazendo produtos que resolvem de primeira, para que as pessoas possam aproveitar os momentos que marcam. E assim como OMO é uma das marcas mais lembradas e usadas pelos brasileiros, o futebol é um dos esportes preferidos. Nada melhor para mostrar que cada gota de suor marca do que se associando a um esporte que conecta e emociona as pessoas”, destacou Giovanna Gomes, diretora de marketing de OMO.

Para se manter inovadora, além de desenvolver o produto, a OMO apostou no patrocínio com camiseta especial que reage ao suor evidenciando o logo da linha sports, feito em tinta transparente. A ação integra campanha de lançamento da OMO Sports e tem o intuito de reforçar a marca em momentos marcantes de diversão, superação e bem-estar.

A comunicação foi sustentada por plano de mídia com filme publicitário em TV aberta e fechada, além de mídia digital. Confira:

 

Leia Mais
Vai e vem

Renata Valio troca Ogilvy pela Crane

creativos – renata valio

Depois de um ano como diretora-geral de mídia na Ogilvy, Renata Valio decide deixar a agência e liderar a mídia da Crane, dos sócios Fabio Shimana, Thiago Baron e Rodrigo Toledo. A profissional, que irá priorizar a tecnologia e inteligência de dados para criar soluções para os clientes como HBO, Jaguar e Melissa, aceitou o desafio de ir para uma agência menor acreditando ter muito mais possibilidades em um modelo na qual acredita, segundo ela.

A chegada de Renata representa um conhecimento mais aprofundado dos canais e dos negócios de mídia, de acordo com o sócio e COO da Crane, Rodrigo Toledo.

Leia Mais
Conteúdo

PUBLICITÁRIOS USAM GRUPO NO FACEBOOK PARA DIVULGAR VAGAS E PROMOVER ENCONTROS

creativosbr

Se você não conhece o grupo AMIGOS DO MERCADO, é bem provável que algum amigo já conheça.  Aliás, muitos já devem estar por lá.  Funciona como um megafone do mercado publicitário, pois são quase 20 mil membros no Facebook e por lá rolam mais de 1000 publicações por mês.

Tudo começou pela iniciativa de três publicitários: Marcos Braga, Delen Bueno e Murilo Oliveira. A ideia de criar o grupo no Facebook nasceu em um grupo de Whatsapp e até evento próprio eles já promoveram, como o Prêmio Amigos do Mercado, que aconteceu no final do ano passado. A festa de premiação teve o patrocínio do CreativosBr.

O principal ponto de contato é um grupo fechado no Facebook. Os organizadores contam que o propósito deles é tornar o mercado publicitário mais amigável, criando um espaço democrático de convivência (virtual e real), com profissionais de veículos, agências de publicidade, anunciantes e estudantes. Por lá rolam vagas de empregos, notícias, troca de contatos e discussões sobre assuntos ligados à publicidade. Sem falar que é tudo de graça, vale a pena conhecer!

Agora mais dois profissionais juntam-se ao time que busca organizar, nas horas vagas, as ações do grupo. Filipe Crespo, diretor de mídia e professor, será o responsável pela integração e maior envolvimento com o meio acadêmico; e Luciano Ottaviani, consultor de marketing, será o responsável pela relação com empresas que buscam parcerias ou patrocínios.

Com a contribuição dos mais novos profissionais responsáveis no grupo, é esperado que se propague cada vez mais vagas, que seja promovida mais ações de marketing e troca de informações, cumprindo o papel proposto do grupo e fazendo cada vez mais verdadeiros amigos de mercado.

Ficou interessado?! Para participar do grupo é fácil, basta procurar pelo grupo no Facebook, responder um curto questionário e aguardar a liberação!

Leia Mais
Mídia

Fãs, integrações com marcas e transmissões ao vivo: o crescimento do Esports

CREATIVOSBR-MIDIA-ESPORTS

O esporte eletrônico é um segmento que está em ascensão nos últimos anos. Isso porque os homens da Geração Y eram o principal público dessa indústria que, atualmente, a cada três fãs de esporte eletrônico um é representado pelo sexo feminino.

O consumo de Esports não expandiu somente para o público feminino. Segundo Guy Constantini, vice-presidente de Marketing Global da Skydance Media, há diferentes perfis de telespectadores: “há pessoas que possuem tempo o suficiente para jogar por horas e mais horas, enquanto a outra audiência quer assistir aos jogos de mais alto nível serem disputados, mas não possuem tempo para se dedicar a várias horas de jogo”; o que foge do estereótipo que apenas jogadores viciados acompanham os campeonatos de jogos eletrônicos.

Craig Levine, diretor de estratégia da ESL, reforça que hoje em dia a interação com Esports não acontece somente em frente a uma tela. Hoje há campeonatos com público lotando arquibancadas. “Os eventos ao vivo são um grande sucesso de Esports. É uma maneira importante para as marcas se inserirem nesse meio”. Se você acha que publicidade à moda antiga expondo o logotipo de sua empresa vai funcionar, esqueça, porque nesse meio é preciso contribuir com essa comunidade. Há grandes marcas como Red Bull, Coca-Cola e Toyota que estão criando engajamento com esse público ao se inserirem nesse espaço por meio de um estilo de vida.

O COO da Hi-Rez, Todd Harris, disse que se tratando de Esports, a integração social e a comunicação andam em perfeita harmonia tendo em vista que este é um esporte digital para uma geração digital.  O Esports é uma indústria relativamente nova que possui grande potencial de crescimento para chegar ao mesmo patamar de ligas esportivas tradicionais, diz Jon Gosier, fundador da AudiGent. Uma plataforma de inteligência de audiência irá propor novas maneiras de monetizar essa informação.

Quando se começou a falar sobre Esports, as informações obtidas para fins comerciais não eram um tanto atrativas para as marcas. Apesar disso, as mesmas estavam interessadas em se envolver com aquilo que viam como diferente e cheio de novidades. Então chega a Twich.Tv, um site de streaming, investindo U$ 45 milhões, à medida que parceiros não tão conhecidos se inseriram no espaço. “Todo esse cenário dificultou para os clientes se dirigirem aos seus diretores de marketing dizendo que Esports venderá seus produtos sem nenhum dado para comprovar”, disse Kolodny.

A TBS exibiu 21 transmissões Esports desde o verão de 2017, que é mais do que a Disney XD (13) e a ESPN2 (cinco). ESPN e NFL Network também exibiram Esports. A TV também está transformando Esports e pro-gaming (liga profissional) em geral. À medida que os jogos profissionais continuam a crescer, o interesse é em televisar Esports entre as redes de transmissão e cabo para cada vez mais alimentar esse nicho de telespectadores que não para de crescer em níveis mundiais.

Leia Mais
Mídia

Google promove plataforma de inteligência artificial

Mídia-CreativosBr-Google promove plataforma de inteligência artificial-inteligência-artificial

Durante a cerimônia do Oscar 2018, o Google lançou uma nova campanha global com o objetivo de promover sua inteligência artificial: Google Assistant. Seu novo produto atuará como um assistente em tempo integral, dando suporte para a organização do dia a dia.

O anúncio criado internamente pelo Google Creative Lab traz Jonh Legend, Sia e Kevin Durant preocupados com uma série de tarefas que poderiam muito bem colocar o Google para fazer o chamado “Make Google do it.”

Para o Google, é um Google individual e sempre pronto pra ajudar. De acordo com o Brainstorm9, o anúncio pode ser apenas o começo de uma grande campanha, com diversas mídias, para divulgar o Google Assistant. Confira:

Leia Mais
1 2 3 124
Página 1de 124