close

publicitário

Publicidade

Washington Olivetto estreia em Podcast

W/Cast é o novo projeto que marca a presença de Washington Olivetto no digital e traz o que ele conta como ninguém: histórias

Na 1ª temporada de seu podcast, patrocinada pela Bradesco Seguros e produzida pela gestora de propriedade intelectual e produtora de conteúdos premium HUB Mídia, Washington relata em primeira mão ao ouvinte suas experiências de vida, desde o início da sua trajetória profissional, quando seu pneu furou, até histórias dos grandes prêmios que recebeu, passando pelas campanhas que deram muito errado, pelo encontro mal sucedido com a atriz Jennifer O’Neill, pela parceria profissional com Francesc Petit, etc.

São quase 50 anos de vivência na publicidade contados de uma forma única e inspiradora, com histórias que marcaram gerações e conquistaram o mundo.

A estreia está marcada para hoje (19) nas principais plataformas como Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Amazon Music e Google Podcasts.

O projeto conta com uma campanha de lançamento digital com a presença de Carlinhos Moreno, o Garoto Bombril, que foi dirigido de forma remota pelo diretor de filmes publicitários, Andrés Bukowinski, o mesmo que dirigiu Carlinhos em mais de 400 filmes. O comercial traz o garoto propaganda de 1001 utilidades falando sobre o publicitário que tem 1001 histórias pra contar.

Um ponto em comum marca o formato dos episódios, que começam sempre com o instrumental de uma canção simbólica para Olivetto que remete ao momento em que a história aconteceu e se repete no fechamento do episódio. Como no de homenagem às Mulheres na Publicidade onde temos, no início e no final, a canção ‘Mulher’, além de ‘Mulher Brasileira’ e ‘Pretty Woman’ que aparecem no decorrer da história.

Olivetto fez questão de que as canções fossem regravadas instrumentalmente.

Todas as canções, com sua versão exclusiva para o W/Cast, foram produzidas por professores da Intermezzo, em São Paulo, Escola de Música com mais de 60 anos de história e administrada por três gerações da mesma família.

Leia Mais
Mídia

CENP Meios mostra consolidação do mercado de mídia digital

Nas últimas semanas, o CENP (Conselho Executivo Normas-Padrão) divulgou os investimentos publicitários do último semestre de 2020, através do estudo CENP Meios.

O estudo, que já é realizado há cinco anos e acontece em parceria com 217 agências de publicidade de todo o país, consolidou os dados de 2020. O CENP Meios é considerado um dos melhores estudos sobre o tema, já que traz e afere também os principais veículos da mídia digital.

Os números divulgados e que retratam os investimentos em mídia digital de janeiro a dezembro de 2020 mostram que a mídia digital alcançou 27,6% de todo o bolo publicitário, ou algo próximo de R$ 3,7 bilhões. O número percentual divulgado é o maior que o meio digital apresentou desde o início do CENP Meios e pode ser considerado esperado, já que a pandemia concentrou os esforços de mídia das marcas neste ambiente.

Se observado como se deu o investimento de mídia dentro da mídia digital, a mídia display e programática juntas alcançaram mais da metade (56,5%) de todo o investimento publicitário em mídia digital. Segundo Rodolfo Darakdjian, CEO da OPL Digital, empresa que atua no segmento de mídia programática e mobile, isso se deve ao fato de esses serem pilares de mídia que oferecem maior assertividade na segmentação: “os números divulgados pelo CENP Meios demonstram a força do display e da mídia programática nesse período. As empresas anunciantes, mais do que nunca, buscam rentabilidade e assertividade, premissas importantes para quem anuncia”.

Leia Mais
Opinião

Publicitário professor. Professor publicitário.

Publicitário professor. Professor publicitário. Uma coisa não fica em pé sem a outra… pra mim, pelo menos.
Sabe que tem muitos anos que divido meu tempo entre agência de publicidade (agora empreendendo) e salas de aula (tão importantes e gratificantes quanto). Difícil, jornada diária de 15, 16 horas.
A sala de aula é minha segunda casa. Exatamente isso.
Nos últimos meses, minha segunda casa aconteceu de dentro da minha primeira casa. Literalmente. Consequências de uma quarentena dura, talvez nunca vista antes. Algum tempo para adaptação, compreensão de todos os lados e tudo tem funcionado bem desde então.
Sabe… Agradeço à Deus pela oportunidade que me foi dada de ser professor. Só quem é, sabe o que significa isso. Poder compartilhar conteúdo é algo extremamente gratificante.
Não é nada fácil, é verdade.
Estudo demais pra levar sempre o melhor para os alunos.
Desde 2007 tenho essa atividade em minha rotina. De lá pra cá, não teve um dia sequer que eu tenha deixado de lecionar, corrigir ou pensar nas atividades acadêmicas. Todos os dias da semana, estou dentro de uma sala de aula por pelo menos quatro horas, acreditando levar conteúdo novo, relevante e aplicável à atividade publicitária. Faço isso com muito amor, comprometimento, satisfação.
Sempre me dei bem com meus alunos. Respeito recíproco sempre foi o primeiro valor acordado nas minhas salas de aula que entrei. Quem não gosta disso? Sempre deu certo. De forma espontânea, natural, tento me conectar aos alunos, com discurso leve, informal, verdadeiro e sempre exemplificado às suas realidades. Se não sei algo, a humildade bate em minha porta. Se não sei, digo que não sei, mas que irei buscar a resposta onde quer que ela esteja. Aliás, quem sabe tudo?!
Tem uma coisa que muita gente sabe, mas pouca gente fala: A vitória de um aluno é infinitamente mais prazeirosa do que a própria vitória. Acreditem! Luto por essas vitórias dos meus alunos, todo dia e peço ao Papai do Céu que ocorram cada vez em maior número. Só ontem, duas delas: uma aluna Fecap que entrou numa grande agência e um aluno Faap me falando de uma etapa de um processo seletivo. Eu vibro por eles, eu vibro com eles.
Ser professor não é fácil nesse país. Tenho consciência que tenho uma posição privilegiada dentro desse mercado. Tenho as melhores condições de trabalho e atuo em casas que oferecem o melhor aos docentes e discentes.
Obrigado Fecap. Obrigado FAAP. Obrigado Mackenzie. Obrigado PlugSchool.
Mas, registro aqui que admiro muito e bato palmas para milhares de professores e professoras por esse Brasil que possuem uma realidade diferente da minha. São profissionais da educação que sofrem diariamente com a falta de recursos, a inexistência de reconhecimento e de respeito e ainda assim, continuam lecionando diariamente com sorriso no rosto, torcendo para um futuro de sucesso aos seus alunos. Todos esses, na busca por uma melhor entrega de conteúdo, se desdobraram e reaprenderam muito nos últimos meses para fazerem das aulas virtuais, as mais proveitosas possíveis para seus alunos.
Lembro quase que sempre dos meus professores. Gente que me ajudou bastante. Difícil citar alguns sem esquecer outros, mas ainda sim, farei: obrigado Amadeu, Russell, Bucci, Edson, Guaíra, Davidson, Cida, Lelo, Mecca, Adão, Ângelo, Marcinha, Alberto, Paulo Roberto. Alguns desses citados me deram aula, outros me incentivaram e outros ainda me deram a primeira oportunidade.
Feliz Dia dos Professores aos meus colegas, aos meus professores da escola, da faculdade e da vida e também a todos os que lecionam pelo Brasil, independente da dificuldade ou da falta de reconhecimento que tenham.
Que orgulho de vocês!
#diadosprofessores
por Filipe Crespo
Leia Mais
Publicidade

11 dicas essenciais para qualquer publicitário

A vida de Publicitário, sobretudo de Redator, me trouxe muitos aprendizados. Muitos deles adquiri sozinho, muitos deles com pessoas importantes com as quais tive o prazer de trabalhar. Logo, fiz uma lista de dicas importantes e que acho que devo passar pra frente. Mas, para não ficar naqueles chatos “10” pontos, trouxe 11. Seguem:

1) Anote tudo: em reunião de briefing, ao sair do chuveiro ou enquanto faz suas necessidades, anote. Mesmo que você tenha memória de elefante!

2) Busque sempre referências: cansou? Busque mais! E entenda que referências devem ser apenas uma inspiração. Faça sua releitura, use sua criatividade!

3) Duas ideias para o cliente: sempre leve para o cliente uma versão que ele pediu e uma versão que você sugere: o cliente deve ser atendido, mas você deve propor sua ideia. #valeuYa

4) Degradê é brega: foi-se o tempo que era bonitinho. Hoje não é mais. Deixe de lado. Não sou Diretor de Arte, mas tenho respaldo de 99% dos que trabalharam comigo. #faleiesaícorrendo

5) Nunca use mais de uma exclamação: nem mesmo se você for do varejão! Jamais utilize três exclamações. Eu já nem gosto de usar exclamação, mas se for usá-la, não use mais de uma, por gentileza. Obrigado.

6) Seja generalista, não mais especialista: o mercado valoriza profissionais que manjam de tudo um pouco, muito mais do que aquele que manja pra cacete de uma coisa só.

7) Se for usar duas telas, saiba que é pra sempre: pois é! Fica a dica. É irreversível.

8) Revise sempre seus textos depois de escrevê-los: você sempre encontrará erros em seu próprio texto. Ideal é que alguém revise seus textos pra você. Relaxa, é natural.

9) Não se apegue aos seus trabalhos. Eles terão alteração: gostou do seu texto? Nem adianta se apaixonar por ele, pois há grandes chances de que ele seja alterado, e nem é por maldade. Às vezes ele não se encaixa na necessidade do cliente.

10) Nunca tome café com açúcar: aprendi quando trabalhei dentro do cliente Nestlé. Atendia Dolce Gusto. E ninguém me deixava tomar café com açúcar. Hoje agradeço. Vai por mim!

11) Descarte sempre a primeira ideia, ela nunca é a melhor: e não é que é verdade?! A primeira ideia é a que todo mundo tem. Aprendi essa com o Renato Barreto, da DM9. Obrigado, Renato. É a mais pura verdade.

Espero que as dicas tenham ajudado. Acredite. Elas me ajudaram e continuam ajudando. E tem mais por aí. Onze é só um número de dicas que vieram à cabeça agora, mas se eu abrir uma cerveja e olhar para o horizonte por uma meia hora vem mais onze. Quem sabe em breve eu não escreva mais onze?

 

Leia Mais
Opinião

FUNCIONÁRIO 2020

A proatividade – tomar decisões sem que peçam para que realize um trabalho – é um termo muito citado por atualmente ser algo positivo, mas nem sempre foi assim. Apesar deste termo não existir antigamente, ações ligadas a ele eram mal vistas. Quer entender porquê?

 

Antigamente, um funcionário que fizesse mais do que lhe competia era visto como o “puxa saco” do chefe e que queria subir de nível mais rápido. Basicamente uma pessoa esnobe e metida, pois não era comum que as pessoas se interessassem em realmente dar o melhor de si para o crescimento da empresa, se importando apenas consigo. Porém, no cenário atual, a proatividade surge justamente para estimular os empregados, independentemente de seus cargos, a darem o melhor de si para que a companhia se desenvolva e possa enaltecer aqueles que a fizeram tão importante, são os chamados (por mim) funcionários 2020.

 

Um caso muito interessante de proatividade ocorreu com um amigo meu, que acabava de ter nenê, e após sua esposa e filhinho receberem alta, precisava colocar o pequenino no bebê conforto. No estacionamento do hospital, apenas um rapaz sabia instalar a cadeirinha e colocar o bebê confortavelmente nela. Este funcionário era indicado por todos os outros, parecendo até ser um especialista em colocar crianças no assento. Ao conversar com o jovem, ele contou que foi o único do estacionamento que, após perceber a necessidade que os pais de primeira viagem tinham em colocar o bebê na poltroninha, encontrou uma possibilidade de tirar uma renda extra que chegava a ele através das gorjetas, como gratidão que os pais tinham pelo cuidado com o qual ele lidava com a situação.

 

No trabalho empresarial, ocorrem situações de proatividade que nem percebemos realizar. O amor que tenho pela empresa na qual trabalho me faz pensar em soluções para ela dia e noite, o que me faz levar uns “puxões de orelha” de vez em quando por tentar abraçar o mundo e realizar jobs que sequer foram destinados a mim.

 

Em suma, ser proativo vale a pena – senão não teria caído no bordão de entrevistas de emprego como uma qualidade. Os benefícios da proatividade são o reconhecimento profissional que você terá por mostrar estar interessado em cumprir seu papel da melhor forma possível. Por outro lado, se isto for feito sem primeiro mostrar interesse, somente tomando decisões precipitadas e sem consultar seus superiores, pode ser uma furada para você, pois deixa de ser proatividade e passa a ser um ato de desobediência.

 

E você? Se considera um bom proativo ou já deu umas escorregadas como eu em querer abraçar o mundo?

Leia Mais
Publicidade

Coca-Cola em: A perseguição

Por aqui já nos habituamos com a Coca-Cola com café. Mas na gringa chegou a Coca-Cola sabor Laranja com Baunilha. coque iphone xs max Apesar do lançamento do produto já rondar o mercado há um tempo, a campanha entrou no ar nos Estados Unidos enquanto o nosso foco era o samba. coque iphone 6 Segundo Kate Carpenter, diretora da Coca-Cola Trademark, o novo sabor será parte de uma reformulação de sabores da marca, e terá sua respectiva versão zero açúcar. coque iphone x A bebida foi testada no Canadá e Estados Unidos antes do lançamento, e foi considerada ‘única e diferente’ mas com um sabor ‘familiar’. A marca, que não introduzia novos produtos no mercado norte-americano há 12 anos, trouxe o filme ‘A perseguição’ para o lançamento. coque iphone x A clássica cena de perseguição nas ruas dos EUA, na estética dos anos 70, mas estreando um caminhão da Coca-Cola tendo ‘em sua cola’ um caminhão de sorvete de baunilha e outro de laranjas. Com a assinatura da W+K de Portland, o filme mostra de maneira funny a junção dos sabores. coque iphone xs max   A campanha conta ainda com mais três vídeos da reação ao provar o novo sabor. Consegue imaginar qual seria o seu?     Créditos: Advertising Agency: Wieden + Kennedy, Portland, USA Executive Creative Directors: Eric Baldwin, Jason Bagley Creative Directors: Erik Fahrenkopf, Patty Orlando Copywriters: Pepe Hernandez, Eric Fensler Art Directors: Lloyd Winter, James Moslander Broadcast Producer: Amy Berriochoa Executive Producer (Client): Heather Hanrahan Group Brand Director: David Hughes Brand Executive: Beth Lussenhop Studio Designer: Luke Wilhelmi, Luke Wilhelmi / W+K Studios Production: Prettybird Director: Tom Noakes Executive Producer: Suzanne Hargrove Line Producer: Julie Sawyer DoP: James L. Brown Service Company: Farm Films Executive Producer (service company): Peter Sherlock Line Producer (service company): Craig Siney Editorial: Joint Editorial Editors: Tommy Harden, Steve Sprinkel Assistant Editors: Kristy Faris, Ian DeVore Post Producer: Kathleen Russell Post Executive Producer: Leslie Carthy Color: Framestore Colorist: Simon Bourne Senior Color Producer: Chris Anthony VFX: Kevin ECD / Partner: Tim Davies Head of CG: Mike Dalzell Senior EP / Partner: Sue Troyan VFX Producer: Jami Schakel VFX Coordinator: Eoin Sherry 2-D: Robert Murdock, Steve Gibbons, Anthony Petitti 3-D: Carl Harders, Matt Longwell, Greg Mawicke, Dennys Herman, Tom Allen, Jarrod Avalos, Igor Stefanovic Music: We Are Walker Music Supervisor: Stephanie Pigott Partner, Creative Director: Peter Gannon Audio Mixer + Sound Designer: Noah Woodburn Audio Assistant: Natalie Huizenga   Fonte: Jornal O Globo.

Leia Mais
Opinião

Não seja publicitário

Estava em uma daquelas reuniões de família onde todos os primos mais novos sentam-se no chão e eu agradeço por ser a mais velha e ocupar o último lugar à mesa. coque iphone Se não fosse por aquele tio que insiste em conversar sobre os mais diversificados assuntos até chegar à famosa pergunta: “mas o que você faz mesmo na faculdade?” e eu prontamente responder: “Publicidade e Propaganda”. soldes coque iphone pas cher Aí ele me olha enquanto passa um único e simples pensamento em sua mente: “mas isso todo mundo já nasce sabendo”. coque iphone Pois é. coque iphone pas cher Essa é uma das maiores ou talvez mais certas conclusões acerca da publicidade. coque iphone 8 Todo mundo já nasce sabendo. coque iphone 8 Mas ainda tenho uma definição melhor: todo mundo nasce criativo, isso é verdade, e talvez até um pouco de publicitário, afinal quando você precisa conquistar uma gata na balada você apela para o marketing pessoal para gerar um buzzmarketing, não é verdade? Mas nem todos são publicitários em sua essência. A questão é que ser publicitário é muito mais que andar descolado por toda agência, e ostentar uma biblioteca com diversos livros “cult.”; é muito mais que ter aquela fantasiada rotina flexível enquanto se dedica 12 horas consecutivas a um projeto, e o cliente manda um famoso “textão” com várias alterações. soldes coque iphone É, de fato, muito mais que ser o “diferentão” da família. Seus dias são regados a café a ponto de ser seu melhor combustível, ou talvez parte de você, pois só assim você aguentará o dia agitado entre os almoços com veículos e reuniões que poderiam ter sido um simples e-mail. A verdade é que a publicidade não envolve somente ser criativo e descolado, envolve muito do seu conhecimento e sua visão sobre o mundo; exige que você se dedique a ela e entenda todos os seus detalhes e as curvas de seu corpo. É preciso arquitetar cada peça e montar uma boa estratégia, além da soberania em dominar Exatas e Humanas, e acordar diariamente disposto a resolver problemas que ainda não existem com inovações geniais, por que o que era novo ontem, hoje já não é mais.

Leia Mais
Eventos

Social Media Week São Paulo (Cobertura 12/09)

No dia de ontem, 12/09, teve início mais uma edição do
Social Media Week São Paulo. O evento que é sucesso nas principais capitais do
mundo já se tornou tradicional também na capital paulista e faz parte da agenda
dos profissionais do meio digital.

A equipe do Blog do Crespo mais uma vez esteve presente no
evento e conferiu uma das palestras do dia, que correu no MIS, um dos locais em
que ocorre o evento.

O tema do painel foi “Youtube além do teen”, tema bastante
atual e relevante principalmente para o mercado publicitário.

O debate foi mediado pelo empreendedor João Motta, que falou
sobre a representatividade e importância que os youtubers possuem junto ao
público jovem e como esse público têm acompanhado e até idolatrado os famosos
nomes brasileiros do Youtube. Também foi abordada, a maneira como grandes
canais do Youtube vêm se estendendo ou migrando para outras plataformas, após
garantirem o sucesso na rede. Alguns dos exemplos citados foram os filmes recentemente
filmados pela youtuber Kefera e pelo youtuber Cristian Figueiredo, ou o
programa do Desimpedidos, agora na Fox.

Com a apresentação de alguns cases de youtubers foi possível
conhecer e tirar dali alguns insights e aprendizados como por exemplo, o retorno
esperado ao investir em influenciadores que tem sido cada vez maior.

Discutiu-se também no painel, a cautela ainda existente por
parte dos anunciantes de investir suas verbas em youtubers devido ao receio de
ter sua imagem denegrida por alguma atitude imprópria, uma vez que os youtubers
possuem mais liberdade em seu universo e maneira própria de dialogar com seu
público.  Além disso, falou-se muito do
cuidado, em especial dos clientes, para a criação de conteúdos harmônicos, de
modo que o conteúdo fique menos “fake” e mais atrativo e autêntico.

A palestra também contou com a apresentação ilustre do
youtuber Caio Novaes, fundador do canal Ana Maria Brogui. No debate, Novaes
contou como se deu o surgimento de seu canal, além do percurso que teve após
lançar seu primeiro livro.

Leia Mais
1 2 3 8
Page 1 of 8