close

público-alvo

Mídia

Como aumentar a conversão de leads com a mídia programática

Como aumentar a conversão de leads com a mídia programática

A mídia programática é uma forma prática e automatizada de direcionar a publicidade ao público-alvo, impedindo que os anúncios se dispersem em sites que não dão match com o perfil do cliente. 

 

Porém, de nada adianta otimizar o uso do seu tempo e budget, se você não consegue criar uma boa segmentação do target. Afinal, este será o fator decisivo para que sua mensagem chegue aos usuários corretos – e no momento certo.

 

Assim, o primeiro passo é compreender o tipo de target ao qual sua campanha se destina:

 

Influenciador

Não falamos apenas dos famosos influencers, como também de médicos que recomendam determinado laboratório para os pacientes realizarem seus exames.

 

Decisor e Comprador

O decisor é responsável por “bater o martelo”. Muitas vezes, o decisor é também o comprador, porém não é regra. Um casal pode se organizar de forma que a esposa monte a lista do mercado – portanto decidindo os itens dos quais precisam – enquanto o marido é responsável por ir até o mercado de fato comprar os produtos – tornando-se o comprador.

 

Consumidor

Por fim, temos o consumidor, que é aquele que irá utilizar o produto ou serviço. Crianças e animais são líderes na categoria, justamente por não decidirem ou comprarem os produtos que consomem.

 

Se você acredita que definir o tipo de target e ter seus dados demográficos é suficiente, dificilmente obterá sucesso.

 

No mundo digital as pessoas expõem seus valores éticos e morais nas redes sociais, seguem famosos com os quais se identificam e principalmente, consomem o que lhes atrai. Entender o comportamento do seu consumidor, o que ele gosta de ver no Youtube e qual é o seu “rolê ideal” fazem grande diferença no meio online.

 

Portanto, emerja-se no mundo do seu cliente, entenda como ele age e seu papel dentro do processo de compra. Com estes três passos, você aumentará – e muito – a probabilidade de conversão dos leads.

Leia Mais
Opinião

“Entrar pra dentro”, “sair pra fora” e “CPM qualificado”

no thumb

CPM Qualificado?

Ainda na faculdade, na aula de Mídia, com o Prof. Davidson Iuspa, aprendi o significado da expressão CPM.

Dizia ele mais ou menos assim:

Custo por mil (CPM) é o quanto se paga para atingir cada grupo de mil pessoas do público-alvo, anunciando em um veículo de comunicação.

Só o conceito era pouco e precisava então de usar “aquilo” na prática.

No ano seguinte, também em Mídia, com o Prof. Amadeu, veio a oportunidade de se usar o tal CPM. E mais: para desespero total da galera, ele vinha acompanhado de uma fórmula.

Enfim, conceito mais do que compreendido e útil, uma vez que ainda hoje (7 anos depois de minha formação acadêmica) o CPM é utilizado como critério de rentabilidade entre diversos veículos de comunicação.

Porém, de uns meses para cá, tenho escutado de contatos de veículos, a expressão CPM QUALIFICADO.

Que porra é essa de CPM QUALIFICADO?

Pow Amadeu, essa você não me ensinou!

Talvez seja uma expressão até usual no mercado, mas para mim, ainda em começo de carreira (hehehe), “CPM QUALIFICADO” ainda não completou um ano de vida e se depender de mim, morre antes.

Mas fui procurar saber, e a resposta é bastante simples: Trata-se de um CPM com base no seu público-alvo e não no total da população! Ou ainda, que trata-se do CPM sobre o valor negociado ou o valor de tabela.

Ué, mas CPM já não é isso?

É como dizer então: “ENTRAR PRA DENTRO”, “SAIR PRA FORA”, ou “DESCER PRA BAIXO”!!!!

Todo CPM já leva ao entendimento de qualificado. Não queira você, Sr. Veículo, dizer que seu CPM é mais qualificado do que os outros!

Cada coisa, viu!!!

Leia Mais