close

sustentabilidade

Marketing

Nova campanha do BNDES valoriza o conceito de sustentabilidade

Fonte: divulgação

Banco lança novo posicionamento reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável

 

O BNDES estreia a campanha “Sustentabilidade é mais do que você imagina” para lançar o novo posicionamento da marca: “O banco nacional do desenvolvimento sustentável”.

Com criação da WMcCann e sob a coordenação do BNDES, a campanha de âmbito nacional reforça o compromisso do banco com o desenvolvimento sustentável. Partindo da premissa de que o público já associa o termo “sustentabilidade” à conservação da natureza, a linha criativa trabalha com um movimento de ampliação, que consiste em agregar ao viés ambiental novos aspectos ligados ao conceito, como as dimensões social e de governança.

“A sustentabilidade está no DNA do BNDES, e o banco tem uma trajetória de décadas de atuação nessa área, sendo reconhecido até internacionalmente. Assim, a campanha busca promover uma associação de marca, ao mesmo tempo que visa ampliar a compreensão da sociedade sobre sustentabilidade, desdobrando-a em diversas dimensões e temas”, explica Gaspar Giacomini, chefe do Departamento de Marketing do BNDES.

Com uma vasta estratégia de mídia, a campanha conta com veiculação em TV fechada com filmes de 60”, 30” e 15”, mídia exterior e digital com foco em redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter e Linkedin. Projetos especiais também estão previstos, como a ocupação do circuito de faces digitais do Parque do Ibirapuera, na cidade de São Paulo, e um projeto de conteúdo com a Exame, que incluirá a veiculação de banners no site do veículo e o envelopamento da página Exame Invest ESG.

Com o objetivo de materializar o conceito de sustentabilidade para o público, abordando-o de maneira prática, será realizada uma ativação especial em dois abrigos de ônibus em São Paulo que, além da divulgação da campanha, ainda contarão com a instalação de placas de energia solar e carregadores de telefone celular.

“Seguimos realizando nossas primeiras grandes campanhas para o BNDES, e trabalhar em um projeto tão abrangente, que fala de um assunto tão urgente, é um privilégio”, comenta Marcio Borges, VP da WMcCann Rio.

A campanha também direciona o público para uma landing page (https://sustentabilidade.bndes.gov.br/) em que o BNDES aprofunda as questões de sustentabilidade, apresenta seu histórico de atuação e divulga seus compromissos com o tema, incluindo metas. “Essas metas estão atreladas ao planejamento estratégico do BNDES e influenciam a priorização de projetos e o direcionamento de recursos. Ou seja, estamos comprometidos de verdade, a sustentabilidade faz parte da nossa missão, do nosso propósito”, reforça Alice Lopes, Chefe do Gabinete da Presidência.

Veja o vídeo aqui: https://youtu.be/O33IRUZewR8

 

Ficha Técnica:

Agência: WMcCann
Cliente: BNDES

Produto: Institucional
Nome da campanha: Sustentabilidade é mais do que você imagina

Time do Cliente: Gaspar Giacomini, João Meireles, Catarina Donda e Alexandre Pessôa

Executive Chairman: Hugo Rodrigues

CEO: André França

CCO: Mariana Sá

VP executivo e diretor-geral do RJ: Marcio Borges

Diretor de Criação: Ricardo Weistman

Diretor de Criação Associado: João Resende

Criação: Rafael Jardim, Andrea Lobato, David Tabalipa, Humberto Nogueira, Gustavo Rodrigues, Vinicius Bandoli

CSO: Renata Bokel

Planejamento: Hugo Santos e Erika Souza

Atendimento: Bianca Almeida, Talita Fontes, Giovana Candia e Marina Sodré

VP de Mídia: Fabio Urbanas

Mídia: Romana de Oliveira, Patricia Newlands, Régis Rabelo, Vinicius Werner e Renata Mota

BI: Deny Watanabe, Felipe Borges, Danilo Borges e Ingrid Barros.

Conteúdo digital: Patrícia Colombo, Stella Soares Peixinho e Lorena Manso

Coordenadora de Tecnologia e Inovação: Danubia Fujita

VP de Produção: Camila Naito

RTV:  Mariana Veronez, Fernanda Pinheiro e Bianca Repsold

Produtora do filme: Capuri

Produtor Executivo: Thiago Mascarenhas, Ana Flávia F. Di Luca e Eduardo Rezende

Atendimento: Ana Flávia Di Luca

Direção: Gabriel Ghidalevich

Direção segunda unidade: Samuel Henrique Araújo Costa

Direção de fotografia: João Batista Frohlich e Maria Navarro Guimarães de Sousa

Coordenadora de pós: Leticia Cruz

Atendimento de pós: Camila Santana

Produtora de Áudio: Sonido

Direção Musical: Lucas Duque

Produção Musical, Mixagem e Finalização: Jayme Monsanto e Marcio Biaso

Coordenação Interna: Mari Tardelli

Atendimento: Alessandra Ferreira e Ligia Susini

Locutora: Cláudia Ventura

Art Buyer: Mariana Veronez e Fernanda Pinheiro

Estúdio de manipulação: Ginger Pic

Ilustrador: Ginger Pic

Produção Digital: Digital Business

Produção Gráfica: Nereu Marinho

Gerente de Pós-produção: Mauricio Martim

Finalizador: Claudio Costa

Revisores: Renata Fontes e Roberto Bagarollo

Projetos: Erika Casal e Isabela Araújo

Relações Públicas: Kerena Neves

 

Leia Mais
Publicidade

Itaipava e Cauã Reymond unem forças e miram ações para o Verão

Ator se torna parceiro da marca e reforça questões de conscientização de preservação das praias.

 

O ator, criador e produtor Cauã Reymond, amante de surf e da natureza, tem uma forte relação com o tema sustentabilidade e preocupação com o meio ambiente, tanto que já foi visto algumas vezes recolhendo lixo em praias no Rio de Janeiro. Agora, Cauã une forças com a Itaipava, do Grupo Petrópolis, em busca de um “verão 100%”, com intuito de transmitir valores de conscientização ambiental.
“Estou muito feliz com essa parceria com a Itaipava que combina com tudo aquilo que eu acredito, afinal, para ter um ‘verão 100%’, precisamos lembrar de cuidar das nossas praias e mantê-las limpas. Juntos buscamos realizar um trabalho que realmente tenha um impacto positivo para a sociedade despertando a conscientização ambiental”, destaca Cauã Reymond.
A head de Marketing do Grupo Petrópolis, Eliana Cassandre, também celebra a parceria. “O Cauã se une ao time para somar e reforçar ao público esse novo propósito de Itaipava, unindo forças para ampliarmos esse discurso tão necessário”, afirma Eliana. A WMcCann é a responsável pela estratégia de conteúdo e a Spark Influencer Marketing pela operação.
No último domingo, 8 de agosto, Cauã foi flagrado na praia usando uma ecobag 100% sustentável da Itaipava, que ganhou de presente da marca. Ele ainda ganhará uma geladeira completa e montará um espaço Itaipava em sua casa.
Sustentabilidade: A cerveja Itaipava mudou a composição dos rótulos da linha de garrafas de 600ml e de um litro para um papel 100% reciclado, que vai integrar um movimento cíclico de reaproveitamento do insumo, tornando a produção mais sustentável. Após o uso, os novos rótulos retornarão para as papeleiras, entrando novamente no processo de fabricação de novos insumos à base de papel. O novo processo de reciclagem empregado para os rótulos passa por seleção dos materiais, preparação da polpa de papel e transformação em bobina de papel reciclado. No processo de produção dos rótulos, a empresa recebe a bobina e aplica as tintas e vernizes para realizar a impressão e finaliza o processo com o corte no formato desejado. Além do ganho ambiental, o Grupo Petrópolis estima economizar 8% em relação ao material que é usado atualmente, o que representa uma economia de R$ 1 milhão ao ano na cadeia produtiva. Os próximos passos agora são viabilizar a produção em grande escala e estender o projeto para demais itens do portfólio do Grupo.

SOBRE A ITAIPAVA – Criada em Petrópolis (RJ), Itaipava, a cerveja do verão, conquistou o consumidor brasileiro ao longo dos anos e, hoje, é uma das cervejas mais consumidas no país. A família Itaipava conta com diferentes tipos para todos os gostos e ocasiões: Itaipava Pilsen, Itaipava Premium Puro Malte, Itaipava Go Draft, Itaipava Malzbier, Itaipava Chopp e Itaipava Zero Álcool. Conheça o site: http://www.cervejaitaipava.com.br/ @itaipava

SOBRE O GRUPO PETRÓPOLIS – O Grupo Petrópolis é a única grande empresa do setor cervejeiro com capital 100% nacional. Produz as marcas de cerveja Itaipava, Crystal, Lokal, Black Princess, Petra e Weltenburger, Brassaria Ampolis com os rótulos Cacildis, Biritis, Ditriguis e Forévis, as vodkas Blue Spirit Ice e Nordka, a Cabaré Ice, os energéticos TNT Energy Drink e Magneto, o refrigerante It!, o isotônico TNT Sports Drink e a água Petra. Com oito fábricas em operação, o Grupo é responsável pela geração de aproximadamente 24 mil empregos diretos. Por meio dos projetos ambientais, promove o plantio e manutenção de milhares de árvores, além de ações de sustentabilidade e programa de educação ambiental para escolas municipais. Conta também com o Saber Beber, programa comprometido em orientar as pessoas sobre os benefícios do consumo moderado e as consequências do consumo exagerado de álcool. Saiba mais em: www.grupopetropolis.com.br e @grupo.petropolis nas redes sociais.

Leia Mais
Conteúdo

P&G e o incentivo a jovens líderes

Você já deve ter ouvido a frase “Os jovens são o futuro do país”.

Pensando nisso, Juliana Azevedo, Presidente na Procter & Gamble Brasil, apresentou com a companhia nesta quarta-feira (4), o novo programa social que visa construir juntamente com 22 jovens, de 18 a 24 anos, possíveis soluções táticas para mobilizar mudanças em 2022.

Como parte de um questionamento do que a posição de liderança pode fazer pelos jovens, o programa auxiliará no desenvolvimento das propostas feitas pelos jovens através do diálogo com a sociedade civil, organizações privadas e líderes de opinião em três áreas-chave:

– Equidade e Inclusão;

– Impacto na Comunidade;

– Sustentabilidade Ambiental;

A P&G tem ganhado destaque em ações que visam impactar na comunidade. Esta inciativa é a terceira ação aceleradora social da marca. Em 2020, foram feitas ondas sociais com o foco no combate ao coronavírus e outro étnico-racial.

Este programa visa reconhecimento e capacitação para esses futuros grandes líderes, que atuam em suas comunidades e que farão a diferença no futuro. Portanto, é importante que mais empresas deem voz ao público jovem para criar novas referências, modelos e para que possa existir trocas de ensinamentos e aprendizados por quem já têm experiência.

Os 22 jovens aprovados formarão duplas de trabalho conjuntamente com os líderes da P&G para troca de ideais e mentoria por um período de três meses. A ação contará com um festival onde os participantes apresentarão seus trabalhos e haverá um prêmio de R$ 10 milhões para o primeiro lugar e um apoio de R$ 1 milhão para os outros 21 participantes.

 

Quer participar do projeto ou conhece algum jovem que participaria?

Inscreva-se aqui: Aceleradora P&G Social

Leia Mais
Marketing

McCann Worldgroup lança departamento de sustentabilidade

Jaclyn Kaminski é nomeada Diretora Global de Sustentabilidade do grupo.

O McCann Worldgroup lançou um departamento de sustentabilidade para comprometer recursos e impulsionar a agenda de sustentabilidade da rede. A agência anunciou que Jaclyn Kaminski, Diretora de Business Leadership da McCann London, foi nomeada para a função recém-criada de Diretora Global de Sustentabilidade e irá liderar o departamento. Kaminski traz consigo uma vasta experiência, incluindo a co-liderança do Departamento de Sustentabilidade Global da agência. Ela recebeu vários certificados de negócios de sustentabilidade na Universidade de Cambridge, Reino Unido, incluindo um certificado de pós-graduação em Liderança em Sustentabilidade.

Kaminski será responsável por incorporar a sustentabilidade em toda a estratégia de negócios, operações e cultura global do McCann Worldgroup, criando mudanças organizacionais e gerenciais duradouras. Sua missão inclui liderar a transição Net Zero do McCann Worldgroup, desenvolver uma estratégia de educação de sustentabilidade interna, estratégia de parceria global, gestão da análise da emissão de carbono da rede e envolvimento do cliente.

O anúncio segue um comunicado global para toda a rede McCann Worldgroup do Chairman e CEO Bill Kolb, relatando que a sustentabilidade é um dos imperativos de negócios da rede de agências e é crítica para o crescimento futuro do grupo.

Kolb anunciou que o McCann Worldgroup se comprometerá a ser uma empresa Net Zero em emissão de carbono até 2040. “Estamos muito além do estágio em que podemos falar sobre ser um cidadão corporativo mais responsável quando se trata de sustentabilidade – precisamos agir. E estamos.” , Kolb disse. “Estou animado por anunciar nosso novo Departamento de Sustentabilidade dentro do McCann Worldgroup. A sustentabilidade em toda a rede é crítica para nosso crescimento futuro – para nossos clientes, nossas comunidades, nossos funcionários e nossos parceiros. ”Kolb acrescentou: “As decisões que tomarmos agora determinarão o curso dos próximos 30 anos e além. Portanto, como uma primeira etapa, concluímos uma análise global da emissão de carbono. Esses aprendizados permearão a nossa primeira fase de compromissos de sustentabilidade global e estratégias de redução de carbono. Também nos comprometemos, junto com muitos de nossos clientes parceiros, a alcançar o Net Zero. E estamos comprometidos em estabelecer e cumprir metas baseadas na ciência. ”

Nannette Lafond-Dufour, Presidente de Global Clients y Business Leadership do McCann Worldgroup, colaborará com Kaminski no estabelecimento e construção de parcerias de sustentabilidade com cada um dos clientes. “Queremos trocar conhecimento e experiência sobre como atingir as metas de sustentabilidade com todos os nossos clientes e também garantir que todo o trabalho que fazemos com nossos parceiros e clientes atenda aos nossos planos mútuos de sustentabilidade”, disse Lafond-Dufour.

Kaminski tem dirigido a primeira Análise da Emissão de Carbono Global do McCann Worldgroup para garantir que todos os colaboradores entendam o impacto que a rede tem como negócio no planeta. Esta análise da emissão de carbono permitirá que o grupo reduza as emissões no futuro e faça o progresso necessário para alcançar seu compromisso com o Net Zero.

“Estou emocionada e honrada pela confiança que o McCann Worldgroup demonstrou ao indicar-me para essa importante função”, disse Kaminski. “O McCann Worldgroup é um membro comprometido da comunidade global e isso significa que temos um imperativo moral de nos comportarmos como cidadãos corporativos ativos e progressistas na luta contra as mudanças climáticas. E isso significa cada um de nós, como colaboradores e parceiros do McCann Worldgroup. ”

Uma parte fundamental da estratégia de sustentabilidade da rede é seu foco em educar e envolver todos os mais de 20.000 membros da rede McCann Worldgroup no caminho a seguir na agenda de sustentabilidade. Kaminksi trabalhará com liderança em toda a rede para criar programas que operem em nível global, regional, local e escritório por escritório para garantir que cada colaborador do McCann Worldgroup seja uma parte interessada engajada e responsável no progresso da rede.

Além disso, o McCann Worldgroup está formando uma parceria estreita em sustentabilidade com sua controladora, o Interpublic Group (NYSE: IPG). Em junho, o CEO do IPG, Philippe Krakowsky, anunciou que o IPG está dando três passos importantes em relação às mudanças climáticas, que incluem definir uma meta baseada na ciência, obter 100% de eletricidade renovável até 2030 e se comprometer a atingir o nível net zero de carbono em toda a rede do IPG até 2040.

Leia Mais
Marketing

Whisky e Sustentabilidade – Será que combina?

Nunca foi novidade que as bebidas alcoólicas sempre foram uma grande paixão do povo brasileiro, e quase 60% destas bebidas são os destilados, estando o whisky em quarto lugar numa pesquisa feita pela Euromonitor International. E dentro deste mercado temos a marca mais distribuída no mundo, Johnnie Walker, que divulgou hoje sua trajetória pela sustentabilidade, que terá início na data de amanhã, dia 15 de junho.

Esta ação tem como objetivo alcançar a maior sustentabilidade possível, desde a produção até o produto final, onde restaurarão paisagens naturais e o modo que seu whisky é produzido. Alguns compromissos que a marca promete é: as destilarias irão utilizar energia renovável, produção com zero emissão de carbono e todas suas embalagens serão recicláveis, compostáveis ou reutilizáveis. A Agência de Publicidade responsável pela propagação da mensagem é a AlmapBBDO.

“A Johnnie Walker está construída sobre um legado de fazer escolhas positivas e progressivas – nosso próprio mantra ‘Keep Walking’ (continue caminhando) é moldado por esse pensamento. Quando olhamos para o mundo ao nosso redor, fica claro que todos temos um papel a desempenhar na proteção do planeta e de seus recursos. Podemos ver o que está acontecendo e escolher nada fazer ou continuar caminhando, dando cada passo que pudermos para reduzir nosso impacto. Acreditamos que haja apenas uma escolha a ser feita”, disse Julie Bramham, diretora global da marca Johnnie Walker.

Uma das novidades interessantes que foi divulgada, foi a substituição das garrafas de vidro por garrafas a base de celulose, atendendo os padrões de segurança alimentar, tornando a ação além de sustentável, inovadora!

Acredita-se que com essa ação viralizando nos meios de comunicação, permitirá que as outras marcas dos mercados repensem em seus designs de embalagem sem comprometer o produto nele reservado, e ainda levantando a bandeira da sustentabilidade que é um dos assuntos que ultimamente estão chamando muita atenção do público.

Se você fosse um grande consumidor/apreciador de Johnnie Walker, toparia ir no mercado e encarar de forma positiva aceitar substituir a clássica garrafa chique que por muitas vezes é feita de enfeite por uma nova basicamente de papel por um bem maior, o Planeta Terra?

Leia Mais
Marketing

Conheça as empresas-modelo no quesito sustentabilidade

 

Nos últimos anos, uma grande preocupação de toda a população mundial tem sido com relação aos danos ambientais e suas consequências. Pensando nisso, algumas empresas realizaram mudanças em suas técnicas produtivas, em suas políticas, e desenvolveram estratégias visando diminuir seu impacto ambiental, agindo de maneira mais ecológica e ética, originando assim um desenvolvimento sustentável.

Ações como estas, trazem benefícios não só para o planeta mas também para as próprias empresas, já que segundo um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Marketing, 52% dos consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos eticamente produzidos, enquanto que 67% das pessoas preferem trabalhar para empresas socialmente conscientes. Além da expressiva redução de custos, é claro.

Durante os últimos meses algumas empresas em específico ganharam destaque neste campo, dentre elas podemos citar três.Vamos abordá-las de forma mais detalhada para entender suas ações:

– Natura

Há mais de 20 anos, a Natura adotou a Amazônia como sua principal causa, buscando na floresta soluções sustentáveis para a produção de matérias-primas, priorizando ingredientes da biodiversidade brasileira, estimulando a economia da floresta, contribuindo para a valorização de seu manejo, desenvolvendo práticas agrícolas sustentáveis para combater o desmatamento, entre outras medidas.

O projeto SAF Dendê (Sistema Agroflorestal com Dendê) é uma de suas principais iniciativas, já que foca no uso sustentável da biodiversidade e dos sistemas ecológicos para produção de matérias-primas cosméticas. Sabendo-se que o óleo de palma é o mais utilizado no mundo e é sempre produzido em monoculturas que causam o esgotamento do solo, a Natura buscou um novo modelo de plantio, onde ele cresce associado a outras espécies de plantas (como bananeiras, cacaueiros, açaizeiros, ipês etc.) para que a fertilidade do solo se mantenha além de reduzir a emissão de gases do efeito estufa.

Outras ações que podemos citar são: suas embalagens e refis evitaram mais de 2,6 mil toneladas de resíduos e a emissão de mais de 7 mil toneladas de carbono em 2019, contribuíram com a conservação de 1,8 milhão de hectares na Amazônia, intensificaram os cuidados com cooperativas e catadores parceiros, incorporaram 2,4 mil toneladas de material reciclado em suas embalagens em 2019, possuem 90% de suas fórmulas  feitas com ingredientes naturais e, portanto, renováveis, não testam em animais desde 2006, estão trabalhando para alcançar a circularidade total das embalagens até 2030, garantindo que elas sejam reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis, reaproveitaram 7 toneladas de plástico ao desenvolver a embalagem de Kaiak Oceano com plástico retirado do litoral brasileiro, reciclou 10 toneladas de copos descartáveis utilizados durante o Rock in Rio em 2019 ao transformá-los nas embalagens da linha Humor, além de incorporarem produtos 100% veganos ou com composição 100% PET em suas embalagens em linhas como Ekos, Tododia e Sève.

 – Unilever

Desde 2010, a Unilever segue um Plano de Sustentabilidade, que tem como objetivo conectar o sucesso nos negócios à sustentabilidade, agindo para melhorar a saúde do planeta, proteger o clima e a natureza para criar um mundo livre de poluição.

Dentre suas ações climáticas podemos destacar a transição que está sendo feita para energia renovável em todas as operações, a procura por ingredientes de baixo carbono, a produção de produtos de limpeza isentos de combustíveis fósseis, além da reformulação dos produtos para oferecer alternativas baseadas em plantas (como linhas de produtos veganos).

Buscam também zerar as emissões líquidas de seus produtos até 2039 e transformar a cadeia de suprimentos, incluindo a eliminação do desmatamento até 2023. Pretendem eliminá-lo em suas cadeias de abastecimento de óleo de palma, papel, chá, soja e cacau, por exemplo.

Estão tentando implantar uma abordagem de economia circular para atingir um mundo livre de resíduos, inclusive diminuindo os usos de plástico. Além de proteger e regenerar florestas e oceanos.

– Nestlé

A Nestlé tem como uma de suas metas alcançar o impacto ambiental neutro e acelerar uma necessária transformação global, zerando a emissão líquida de gases efeito estufa em suas operações no mundo inteiro até 2050.

A preservação do meio ambiente e o combate as mudanças climáticas são feitos por meio de iniciativas em toda sua cadeia de produção. Uma de suas metas estabelecidas recentemente foi a de promover o plantio de milhões de árvores por todo o mundo, sendo ao todo 200 milhões, até 2030. O que reforça seu compromisso em preservar o capital natural, em especial as florestas.

Tudo isso é planejado e executado de forma cautelosa pelo seu projeto ‘’Re’’, que prega o slogan de ‘’recriar, repensar e reduzir’’.

Aqui no Brasil ela já conseguiu atingir 100% de uso de energia elétrica renovável em suas instalações, e pretende que isso se estenda em escala mundial até 2025. São também pioneiros no uso de biomassa na produção de energia desde 1983, além de terem eliminado 100% do uso de plástico descartável nos escritórios e fábricas.

Latas de diversos de seus produtos, como Farinha Láctea, Ninho, Leite Moça e leite Molico são feitas com 18% de aço reciclado, além de que 95% de todas as suas embalagens já estão prontas para serem recicladas ou reutilizadas.

São investidores do aplicativo CATAKI, que conecta catadores de recicláveis com pessoas que querem fazer o descarte correto dos seus resíduos e dão suporte às cooperativas de reciclagem através do programa “Reciclar pelo Brasil”.

Lançaram um programa de logística reversa em parceria com a Terracycle, que converte as embalagens de seus chocolates e biscoitos em doações para instituições sem fins lucrativos. É necessária essa cooperação já que essas embalagens são feitas de um plástico metalizado chamado de BOPP (Polipropileno Biorientado), que devido a sua composição não é usualmente reciclado, muitas vezes pelo custo elevado.

Possuem uma fábrica“triplo zero”, que é a das cápsulas de NESCAFÉDolceGusto, localizada em Montes Claros – Minas Gerais. Ela conta com zero resíduos enviados a aterros, já que 100% deles passam por algum tipo de reciclagem (seja direta, coprocessamento ou compostagem), zero emissões liquidas de gases efeito estufa,já que toda emissão remanescente das operações são neutralizadas e zero captação de água da natureza, já que toda água vem da evaporação da fábrica de Leite Moça, estrategicamente situada ao lado. O que poupa mais de 66 milhões de litros por ano. Medida que reforça seu compromisso em alcançar eficiência e sustentabilidade hídrica em todas as operações.

Algumas de suas ações recentes que merecem notoriedade são:a Nestlé entrou em parceria com o projeto Tamar e conseguiu fazer com que os canudos de Nescau agora sejam constituídos de 100% papel em todo o país, também fizeram parceria com a empresa Embrapa para desenvolver o primeiro protocolo nacional para uma pecuária de leite de baixo carbono, repesaram a caixa e as embalagens dos bombons ‘’Especialidades’’,  reduzindo o uso de 450 toneladas/ano de plástico, pretendem plantar 1 milhão de árvores para a recuperação da Mata Atlântica no sul da Bahia com a Mucilon, além de lançar até o final do ano em vários países do mundo o novo KitKat vegano, chamado KitKat V.

Siga o exemplo dessas empresas, comece a criar em si a responsabilidade ecológica e aja de maneira consciente. Só assim manteremos nosso planeta saudável para nós mesmos e para as gerações futuras.

 

 

Leia Mais
Marketing

Adidas lança tênis Stan Smith Mylo feito de couro de cogumelo

A Adidas lançou seu mais novo protótipo chamado Stan Smith Mylo nesta quinta-feira (15). O modelo é o primeiro calçado contendo Mylo como um de seus componentes, mesmo que de maneira parcial. Foi feito em colaboração com a Bolt Threads, uma empresa de biotecnologia que busca inventar e dimensionar materiais sustentáveis, mais especificamente de origem natural, para serem utilizados na indústria da moda.

O material Mylo busca substituir o couro, é considerado renovável e além de tudo muito versátil, podendo assumir qualquer cor, relevo ou textura. Para que ele fosse considerado adequado foram analisados outros aspectos também, como a confortabilidade, durabilidade e performance, e todos atingiram com êxito os padrões exigidos, apresentando desempenho no mesmo nível e até mesmo superior ao dos ‘’materiais tradicionais’’. Mylo tem uma semelhança inconfundível com couro animal, perfil flexível e macio, mas o diferencial é que é projetado para ter um baixo impacto ambiental.

Ele é obtido a partir do micélio, que na natureza serve como um tecido conectivo ecológico, como uma teia entrelaçada, muito extensa e renovável, que se espalha pelo solo decompondo matéria orgânica  e fornecendo nutrientes a plantas e árvores. Os cogumelos são frutos do micélio, e é daí se obtém o Mylo.

O micélio é cultivado por meio de um processo altamente eficiente, feito por meio de uma técnica vertical de ponta, permitindo que seja cultivado em um ambiente de laboratório controlado, o que aumenta o rendimento por metro quadrado. Outra vantagem é que ele leva cerca de apenas duas semanas para crescer. Um processo que além de sustentável, é rápido.

Por meio desta ação, a Adidas acaba de integrar o ‘’ The Mylo Consortium’’ composto por outras marcas como Kering, lululemon e Stella McCartney. Consiste em um grupo de empresas de classe mundial que investem em inovação significativa de materiais para ajudar a criar um futuro mais sustentável para a moda.

No novo calçado, o cano externo, as três listras perfuradas, a aba do calcanhar e a marca premium são todos feitos com Mylo, além de que a sola intermediária do calçado é feita com borracha natural. Ainda sem data de lançamento, mas com previsão de comercialização sendo prevista para os próximos 12 meses, este promete ser um sucesso de vendas.

Em declaração, Amy Jones Vaterlaus, Chefe Global de Futuro da Adidas explicitou:

“Como planeta, devemos aprender a trabalhar com a natureza e não contra ela, e colocar todos os nossos esforços para encontrar soluções inovadoras que sejam criadas de forma responsável com recursos que se renovam em um ritmo sustentável. Projetado em sinergia com os ecossistemas da Terra. E como marca, continuamos a explorar as possibilidades de inovação de materiais.”

Mas essa não foi a primeira grande iniciativa na marca neste campo, a Adidas já possui até mesmo uma linha vegana, alguns produtos feitos com componentes recicláveis ou com algodão orgânico, outros produzidos de maneira sustentável, e o próximo objetivo é migrar para o uso de poliéster 100% reciclado em seus produtos até  o ano de 2024.

Por meio de colaborações como esta a marca pretende mudar a maneira como seus produtos são feitos e inspirar outras a fazerem o mesmo, visando construir um mundo mais sustentável e eliminar de vez o desperdício de plástico.

Leia Mais
Marketing

Em campanha, Malwee reforça propósito em sustentabilidade

Por meio da campanha “Moda Sem Ponto Final”, marca se posiciona como estilo atemporal para estimular o consumidor a pensar sobre a vida útil das roupas e a relação entre consumo e uso das peças

A nova campanha da Malwee, “Moda Sem Ponto Final” é o marco de uma nova etapa na comunicação da marca. Reconhecida internacionalmente como uma das 20 marcas mais transparentes do mundo, segundo o relatório “Índice de Transparência da Moda” (2019), a Malwee agora reforça o propósito no consumo consciente como forma de frear os impactos ambientais causados pela indústria da moda convidando o consumidor a ser agente dessa transformação necessária.

Segundo dados da ONU Meio Ambiente, a moda é responsável por 20% da poluição industrial da água do planeta, por 10% da emissão global de CO2 e pelo descarte do equivalente a um caminhão de roupas por segundo. 

De acordo com o Gerente de Marketing da Malwee, Guilherme Moreno, a principal mensagem da campanha de novo posicionamento é: “consumir melhor, ao invés de consumir mais“.

‘Moda Sem Ponto Final’ é sobre roupas que duram mais e que não se perdem a cada nova estação. É sobre produzir de forma mais sustentável, pensando em descartar menos e consumir o mínimo de recursos possíveis. A indústria da moda é a segunda mais poluente do mundo e, com esse novo posicionamento, esperamos conscientizar as pessoas sobre o impacto que geramos no nosso planeta quando melhoramos a nossa relação de consumo com a moda. O descarte é um bom exemplo disso. O que fazemos com as nossas peças quando enjoamos delas? Por que manter na gaveta um produto que não usamos mais, se podemos trocar, revender ou doar para que ele viva uma nova história?“, observa.

Referência em Sustentabilidade na moda, a Malwee é líder em iniciativas pioneiras no Brasil, como o uso de malha PET na produção de roupas (a empresa já retirou mais de 50 milhões de garrafas do meio ambiente), de algodão desfibrado (produzido a partir da reciclagem de resíduos de malhas) e de processos de acabamento que permitem economizar até 98% do volume de água (como no caso do tingimento das cores neon ou da nova lavanderia de jeans ‘Lab Malwee Jeans’). A prestação de contas de ações efetivas em práticas sustentáveis, segundo Guilherme Moreno, deve ser obrigação da indústria da moda, e cabe ao consumidor cobrar posicionamento das suas marcas de preferências. Esse é o outro objetivo da campanha de novo posicionamento.

Se o consumidor passar a cobrar transparência, as marcas e a indústria da moda em geral mudam mais rápido. Por isso, é importante levar informação e conhecimento para que as pessoas façam escolhas mais inteligentes e cobrem posicionamento das suas marcas de preferência. A provocação que estamos fazendo é: ‘Se tem duas peças de roupa pelo mesmo preço, mas uma delas produzida de forma a causar menor impacto ambiental, qual delas você compraria? ‘”.

Conceito e criação

O mote do novo posicionamento da Malwee, “Moda Sem Ponto Final” teve seu conceito elaborado ao longo de 2019 em parceria com a agência Touch Branding. Marca e agência fizeram um extenso trabalho que passou por uma grande etapa de pesquisa para investigar consumidores, colaboradores, lojistas e representantes em diferentes cidades do Brasil. Esse mergulho, permitiu uma grande imersão no universo da Malwee e a decisão pela criação do posicionamento. 

Já a campanha publicitária é assinada pela 35. Esta é a primeira criação da 35 para a marca após conquistar a conta da Malwee, em julho deste ano.

A campanha, que estreia nacionalmente nesta semana, conta com um filme de 60″ e dois filmes de 30, que serão veiculados em mídia digital, além de peças de comunicação OOH em diferentes cidades brasileiras. Os filmes trazem uma provocação direta para o consumidor “E se uma marca ensinasse você a se vestir melhor comprando de um jeito mais inteligente? A gastar menos e ter roupas que duram mais?“.

A marca também fará ação com mais de 30 influenciadores sobre consumo consciente. 

A estratégia conta também com branded content em alguns dos principais portais e redes sociais.  Além disso, uma preocupação genuína de interpretar a mensagem da marca nas diferentes cidades do Brasil deu espaço à escolha de um plano de mídia exterior regional nas principais cidades em que a marca está presente e de micro influenciadores das diferentes regiões do país para reforçar essa estratégia.

Antes de conquistar a Malwee, a gente já tinha sido conquistado pela sua história. Uma empresa grande no tamanho e na postura ao longo de mais de 50 anos. Produzindo moda democrática e cuidando da sustentabilidade, do meio ambiente e das pessoas. É um prazer para a 35 vestir a camisa da Malwee e estrear com uma campanha que leva as pessoas a se entenderem melhor e consumir moda de forma mais consciente“, comenta Astério Segundo, CEO e CCO da 35.

LINK para os filmes

60″: https://youtu.be/g_wCPhWQ9nw

30″: https://youtu.be/25tlOzFOQqE

30″: https://youtu.be/7YgtHmh8gg4

FICHA TÉCNICA

Agência: 35
Cliente: Malwee
CCO: Astério Segundo
Head Of Art: Enio Kawahara
Criação: Astério Segundo, Enio Kawahara, Larissa Almeida, Diogo Mono e Manu Sanchez
Planejamento: Cris Freire e Manu Sanchez
Atendimento: Bruna Defelippe
Mídia: Thaís Corsi
Fotografia: Jacques Dequeker
Figurinista: Juliana Dequeker
Produtora: Due
Diretoras de Produção: Thatiana Cayres e Karin Bormac
Assistente de Direção: Jorge Escudeiro
Tratamento de Imagens: Image Touch
Produtora de Cena: 8588 Creative Studio
Direção: Thiago Jenne (Cabelo)
Assistente de Direção: Bruno Trindade Lima
Figurinista: Thiago Biagi
Direção de Produção: Patricia Veneziano
Finalização: Thiago Jenna (Cabelo)
Pós-Produção: Bruno Trindade Lima
Color Grading: Thiago Jenne (Cabelo)
Produtora de Som: Alma 11:11 Áudio
Direção Musical: Diego Raso
Atendimento: Carla Bräuninger
Técnico: Junior Aragaki
Canto: Blubell
Locução: Dani Freitas
Finalização: Graphline
Conceito do novo posicionamentoTouch Branding
PR Malwee: Maria Clara Dultra e Marina Nobre (Néctar Comunicação Corporativa)
Aprovação: Marcos Ribeiro, Guilherme Moreno, Gudmila Svensson, Patrícia Calixto e Joyce Thinen
Leia Mais
Marketing

O marketing de grandes marcas e a sustentabilidade na prática

Está cada vez mais crescente as empresas que se posicionam ambientalmente. Algumas apostam em estratégias de logística reversa com embalagens retornáveis, outras investem em criar embalagens através de resíduos. Envolver agentes civis e o poder público no diálogo, assim como desenvolver novos materiais industriais “ecologicamente corretos”, de acordo com texto publicado no Meio & Mensagem por Karina Balan, são ações que possuem potencial para solucionar o problema de desperdício de recursos e descarte indevido de resíduos em escala industrial. Existe um clima de “pressão” sob as marcas para adotarem princípios da economia circular. soldes coque iphone No último final de semana, a economia circular foi tema em muitos painéis do Festival Path, em São Paulo. Representantes de grandes players como Ambev e Coca-Cola e especialistas em políticas sustentáveis, apresentaram seus desafios para escalar práticas sustentáveis no Brasil e no mundo. Thaís Vojvodic, gerente de sustentabilidade da Coca-Cola, disse durante o Path que inovação não é sempre sobre tecnologia, mas sobre romper barreiras culturais entre empresas. coque iphone A Coca-Cola e a Ambev, por exemplo, há dois anos criaram a iniciativa Reciclar Pelo Brasil para oferecer apoio cooperativas de catadores de materiais recicláveis, e têm como parceiros empresas como Vigor e Nestlé. Para Thaís, as empresas continuam sendo concorrentes e competindo entre si, porém, quando se trata de reciclagem e sustentabilidade não há motivos para competir. Os investimentos em embalagens retornáveis e em logística reversas já voltaram a ser uma prática das empresas. Contudo, para Thaís, o desafio é incentivar o consumidor a adotar um hábito antigo, no caso dos retornáveis. O Fórum Econômico Mundial aconteceu em janeiro, em Davos, na Suíça. Na ocasião, James Quincey, CEO da Coca-Cola, compartilhou que até 2030 a companhia pretende coletar e reciclar 100% das suas embalagens. coque iphone en ligne Neste trajeto da economia circular, a Nestlé também caminha junto com a mesma meta, porém com prazo até 2025. coque iphone xr O Head de sustentabilidade da Ambev, Richard Lee, afirma que as práticas relacionadas com sustentabilidade devem ser vistas como parte do core business das empresas, deixando de ser apenas branding. coque iphone “Se não tivermos uma bacia hidrográfica saudável, não conseguimos operar adequadamente”, exemplifica Richard, que afirma também que a empresa investe junto a startups e universidades para incorporar soluções sustentáveis. Sob outro viés, aponta Fernando Penedo, especialista em sustentabilidade urbana, que entre as empresas, a sociedade civil e os governos possuem desalinhamentos no quesito sustentabilidade. “É muito difícil vermos iniciativas de sustentabilidade das empresas sendo criadas junto à sociedade civil. Além disso, geralmente empresas privadas não querem se misturar com assuntos públicos, o que é necessário. coque iphone xs Hoje em dia, quem cuida do pós-consumo no País é apenas o poder público”, ponderou e exemplificou com o caso da cidade de São Paulo, que gasta sozinha mais de R$ 1 bilhão anuais para coletar e transportar o lixo do município. Thaís, da Coca-Cola, ressalta a ótica econômica: “A carga tributária referente a produtos reciclados pode se apresentar pouco viável para algumas empresas. Um produto que já pagou toda a sua cadeia tributária, como uma garrafa PET, quando é reciclado paga o mesmo valor novamente, enquanto o descarte de lixo tem custo menor.

Leia Mais
Marketing

O marketing de grandes marcas e a sustentabilidade na prática

Está cada vez mais crescente as empresas que se posicionam ambientalmente. coque iphone 8 Algumas apostam em estratégias de logística reversa com embalagens retornáveis, outras investem em criar embalagens através de resíduos. Envolver agentes civis e o poder público no diálogo, assim como desenvolver novos materiais industriais “ecologicamente corretos”, de acordo com texto publicado no Meio & Mensagem por Karina Balan, são ações que possuem potencial para solucionar o problema de desperdício de recursos e descarte indevido de resíduos em escala industrial. Existe um clima de “pressão” sob as marcas para adotarem princípios da economia circular. coque iphone 8 No último final de semana, a economia circular foi tema em muitos painéis do Festival Path, em São Paulo. Representantes de grandes players como Ambev e Coca-Cola e especialistas em políticas sustentáveis, apresentaram seus desafios para escalar práticas sustentáveis no Brasil e no mundo. soldes coque iphone Thaís Vojvodic, gerente de sustentabilidade da Coca-Cola, disse durante o Path que inovação não é sempre sobre tecnologia, mas sobre romper barreiras culturais entre empresas. A Coca-Cola e a Ambev, por exemplo, há dois anos criaram a iniciativa Reciclar Pelo Brasil para oferecer apoio cooperativas de catadores de materiais recicláveis, e têm como parceiros empresas como Vigor e Nestlé. Para Thaís, as empresas continuam sendo concorrentes e competindo entre si, porém, quando se trata de reciclagem e sustentabilidade não há motivos para competir. Os investimentos em embalagens retornáveis e em logística reversas já voltaram a ser uma prática das empresas. Contudo, para Thaís, o desafio é incentivar o consumidor a adotar um hábito antigo, no caso dos retornáveis. acheter coque iphone en ligne O Fórum Econômico Mundial aconteceu em janeiro, em Davos, na Suíça. Na ocasião, James Quincey, CEO da Coca-Cola, compartilhou que até 2030 a companhia pretende coletar e reciclar 100% das suas embalagens. Neste trajeto da economia circular, a Nestlé também caminha junto com a mesma meta, porém com prazo até 2025. O Head de sustentabilidade da Ambev, Richard Lee, afirma que as práticas relacionadas com sustentabilidade devem ser vistas como parte do core business das empresas, deixando de ser apenas branding. coque iphone xr “Se não tivermos uma bacia hidrográfica saudável, não conseguimos operar adequadamente”, exemplifica Richard, que afirma também que a empresa investe junto a startups e universidades para incorporar soluções sustentáveis. Sob outro viés, aponta Fernando Penedo, especialista em sustentabilidade urbana, que entre as empresas, a sociedade civil e os governos possuem desalinhamentos no quesito sustentabilidade. “É muito difícil vermos iniciativas de sustentabilidade das empresas sendo criadas junto à sociedade civil. Além disso, geralmente empresas privadas não querem se misturar com assuntos públicos, o que é necessário. Hoje em dia, quem cuida do pós-consumo no País é apenas o poder público”, ponderou e exemplificou com o caso da cidade de São Paulo, que gasta sozinha mais de R$ 1 bilhão anuais para coletar e transportar o lixo do município. Thaís, da Coca-Cola, ressalta a ótica econômica: “A carga tributária referente a produtos reciclados pode se apresentar pouco viável para algumas empresas. Um produto que já pagou toda a sua cadeia tributária, como uma garrafa PET, quando é reciclado paga o mesmo valor novamente, enquanto o descarte de lixo tem custo menor.

Leia Mais
1 2
Page 1 of 2