close
Opinião

Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?

Se você tem entre 20 e 30 anos, certamente se lembra dessa frase escrita acima, no título do post.

No último Domingo, consegui assistir parte da reprise do Fantástico, que passa na GloboNews, horas mais tarde que o ao vivo, na Globo.

Passava uma matéria sobre a busca pelo primeiro emprego, de uma jovem, recém formada em Publicidade e Propaganda.

Só apra se ter uma ideia, dizia a matéria, que ao ano, se formam 25 mil novos publicitários.

Por mais aquecido que o mercado esteja (e está, podem acreditar), creio eu, que seja impossível absorver essa quantidade de gente.

E esse monte de gente, ao procurar emprego, encontra sempre a mesma dificuldade: A EXPERIÊNCIA

Como ter experiência se ninguém te dá oportunidade?

Mas essa pergunta não é de hoje e não vamos conseguir resolvê-la agora, nesse post.

Sendo assim, na tentativa de esquivar-nos dessa pergunta, caímos naquela velha questão: precisamos nos diferenciar.

"Já que não tenho a experiência para concorrer à essa vaga, posso chamar a atenção do contratante, por conta da diferenciação que possuo".

E é exatamente isso que deve ser feito!

O Blog do Crespo já teve inúmeros postas a respeito, dando dicas de como buscar uma diferenciação nesse mercado.

Ações de voluntariado, experiência no exterior, blogs mantidos por você, enfim, tudo que julgar relevante pode ser dito.

É lógico, é sabido, é claro, que nesse nosso ramo, mais do que em qualquer outro, o que vale é o "QUEM INDICA". Pode todo mundo negar, mas eu não nego. É assim sim, que funciona.

Mas para queles que não tem por quem ser indicado, devem procurar a diferenciação. Essa diferenciação pode ser inicialmente cursando uma boa faculdade.

Olha só: eu sempre achei que quem faz a faculdade é o aluno. Porém, tenho aqui que reconhecer que dentro das grandes agências, a maioria é formada ou cursa uma ESPM, Casper, FAAP ou PUC. Lógico que tem gente formada em outras insitituições, mas é raro, viu!

E sendo assim, a formação em uma boa faculdade, acaba sendo um diferencial.

Mas e se você não cursou um faculdade de ponta, como se diferenciar?

Vejam:  estudando muito, buscando relacionamento com gente do mercado, estando atento à tudo que acontece no mercado de publicidade.

E lógico, procurando emprego a todo momento!

E nesse meio tempo, você vai cair em algumas entrevistas armadilhas, como aquela que a menina da reportagem do Fantástico foi e era para atendente de telemarketing.

Cuidado! Estudantes de publicidade, por terem um perfil despojado, comunicativo e felicidade sem causa, é sempre bem aceito por empresas de telemarketing ou vendas em geral.

Mas publicidade não é isso!

E outra coisa: não se submetam a estágios não remunerados, nem que seja por conta de uma experiência! Temos que valorizar a nossa profissão.

Hoje, chove currículos de estudantes querendo trabalhar de graça nas agências, em busca dessa primeira exeriência.

Acho um absurdo empresas que se beneficiam desse tipo de coisa! Valorizem a nossa profissão, seja você empresa ou estudante.

Montem um bom currículo, incluam seus diferenciais para compensarem a falta de experiência e saiam à luta.

Lembrem-se que a cada ano, se formam 25 mil novos publicitários e que se passar o ano e você não cosneguir uma vaga, esse número já grandioso, está acumulando e ficando ainda maior.

Faça a diferença.

Tags : agênciablog do crespocurrículum vitaediferenciaisdiplomaempregoestágioexperiência profissionalfaculdadefantásticofilipe crespom blogmídiapropagandapublicidadetelemarketingvaga
Filipe Crespo

The author Filipe Crespo

Publicitário formado e Mestre em Administração com ênfase em Finanças. Profissional de mídia certificado pelo Grupo de Mídia de São Paulo construiu carreira em agências como Ogilvy, Africa, Y&R, JWT, W/McCann e Lowe, atendendo clientes como: P&G, Unilever, BRFoods, LG, Bradesco e Mastercard. Atualmente é Sócio Diretor do Creativosbr e Consultor de Mídia do McDonalds no Brasil. É idealizador do Amigos do Mercado. É também professor de Planejamento de Mídia na FECAP, na FAAP e no MBA do Mackenzie.

Comentários no Facebook